sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

O canivete em Trás-os-Montes e Alto Douro e de Palaçoulo

«A terceira mão
No mundo rural, o canivete era o instrumento mais universal, acompanhando toda a vida quotidiana. Era a terceira mão, tão indispensável como as outras duas.
Era tratado com todo o cuidado, evitando-se que fosse atingido pela ferrugem e cuidando do fio de corte, que não podia ter falhas ou rombos.
Pouco volume fazia nos bolsos dos camponeses, onde entrava de manhã, com o lenço e a onça de tabaco para os fumadores.»
João Serra, in “Crónicas dos anos 50/60”

Canivetes da Cutelaria Martins, Palaçoulo
«Empresa familiar de cariz artesanal, que coloca nos seus produtos um saber de experiência feito, adquirido ao longo das últimas 5 décadas.
A cuidada selecção das matérias-primas, aliada ao processo de fabrico, onde coabitam tradição e inovação, sustentadas pelo "saber fazer" dos seus recursos humanos, são indubitavelmente o garante de satisfação dos seus clientes.
Num olhar mais atento, podemos constatar, que cada um dos seus produtos é cuidadosamente elaborado segundo metodologias artesanais.
A presença humana, assume um papel de destaque no processo de fabrico, pelo que apesar das semelhanças finais, cada peça é única e especial.»

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real...
navalha transmontana, pequena e média com cordão
navalha ellegance, pequena e média
navalha glamour, pequena e média
navalha pé de cabra, pequena e média, com ponta e sem ponta
navalha de garfo lisa com tira cápsula
kit merendeiro com faca

Sem comentários:

Enviar um comentário