quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Memórias de uma aldeia: Ôlas, Douro



“Douro – Memórias de uma Aldeia” de Dora Maria Penela Reis

«Dora Maria Penela Reis, natural de Ôlas, concelho de São João da Pesqueira, licenciada em Estudos Portugueses, concretiza aqui um sonha de mais de uma década.

Do ponto de vista da eternidade, a vida é um simples relâmpago, demasiado breve para ser desperdiçada. Aqui estão apenas alguns pedaços de existência, partilhados com afecto...

Os cabelos brancos que vão cobrindo a cabeça das gentes desta terra, sempre lhe imprimiram respeito e sobretudo admiração. Daí esta pequena homenagem à memória de uma aldeia duriense.

O ser humano tem que fazer o que puder para ser feliz! Pelas letras muitos o têm sido. Que este trabalho afortune almas e corações.»

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Guia excursão geológica Serra do Marão



“Guia de Campo para uma Excursão Geológica à Serra do Marão” de Carlos Coke e Rui Dias

O guia de campo para uma excursão geológica à Serra do Marão surgiu como resposta à necessidade de documentar com informação científica e rigorosa, um percurso onde se observam vários aspectos geológicos muito didácticos e de rara beleza, geralmente alvo de inúmeras visitas de alunos universitários, do ensino secundário, professores e público em geral. Foi elaborado principalmente a partir da compilação dos resultados de diversos trabalhos publicados em co-autoria com os professores Rui Dias e António Ribeiro sobre a região.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Dia da Livraria e do Livreiro 2014



Dia da Livraria e do Livreiro
dia 30 de Outubro de 2014 (domingo), das 10h00 às 20h00
na livraria Traga-Mundos, em Vila Real


Desde 2012 que se comemora o Dia da Livraria e do Livreiro, inspirado por ventos vindos do país vizinho e assinalando o aniversário da morte de Fernando Pessoa e de Fernando Assis Pacheco (este último, faleceu precisamente numa livraria de Lisboa). A Fundação José Saramago e o movimento Encontro Livreiro estabeleceram uma parceria que passou a assumir a organização e a dinamização do Dia da Livraria e do Livreiro, tornando-o mais abrangente e destacando sobretudo o lugar central que o livreiro ocupa no percurso do livro e na promoção da leitura.

O Dia da Livraria e do Livreiro é um dia de Festa! Festa da livraria! Festa do livreiro! Festa do leitor!

O leitor, que para nós não é apenas um cliente, é o convidado de honra deste e de todos os dias e quem verdadeiramente justifica a livraria e o livreiro e garante, não só o futuro do livro e das gentes do livro, mas também o progresso, esclarecido e em liberdade, do(s) país(es).

Apelamos a todos os leitores que, nas suas agendas, assinalem o dia 30 de Novembro como um dia de visita a, pelo menos, uma livraria, associando-se à festa do(s) seu(s) livreiro(s).

A livraria Traga-Mundos, em Vila Real, estará aberta no dia 30 de Outubro de 2014 (domingo), das 10h00 às 20h00.

António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

Próximos eventos:
- Novembro e Dezembro: exposição de fotografia de Eduardo Silva Alves, na Traga-Mundos em Vila Real;
- dia 6 de Dezembro de 2014 (sábado), pelas 21h00: apresentação do livro “Manual de Saudades” de Xavier Frías Conde, no âmbito do Festival 6 Continentes 2014, na Traga-Mundos em Vila Real;
- de 8 de Dezembro de 2014 a 6 de Janeiro de 2015: Bazar de Natal e dos Reis da Traga-Mundos, na Traga-Mundos em Vila Real;
- dia 13 de Dezembro de 2014 (sábado), pelas 21h00: 2.ª sessão de Traga-Contos, com o contador transmontano Vítor Fernandes, na Traga-Mundos em Vila Real.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

O Lobo da Xente, Vicente Risco



 
Jantar temático “O Lobo da Xente” de Vicente Risco, por Tri-Co-Loma (Galiza)
no âmbito das “Veladas Literárias / Seráns Literarios”, uma organização da Fundación Vicente Risco, com a colaboração da Ponto Por Ponto
com a participação da livraria Traga-Mundos, no âmbito da comemoração do Dia da Livraria e do Livreiro 2014
dia 29 de Outubro de 2014 (sábado), pelas 20h30
na Quinta do Paço, em Vila Real

«A obra de Vicente Risco titulada O lobo da xente está baseada nunha lenda galega do lobishome, como indica o subtítulo da narración. Esta obra publicouse no 1923, e é unha narración breve, con certos trazos de carácter etnográfico.»

Programa:

16h00   Acolhimento do grupo galego no Grémio Literário Vila-Realense – tertúlia sobre alguns escritores contemporâneos da Região;
Segue-se para o centro de Vila Real - pequeno percurso pedonal com passagem pela Casa dos Brocas – evocação a Camilo Castelo Branco (pequena surpresa);
18h30   Paragem na Livraria Traga-Mundos;
Segue-se para a Quinta do Paço;
20h30   Jantar Temático: “O Lobo da Xente”
[preço: refeição + peça de teatro: 35,00 euros – 10% de desconto em inscrição na Traga-Mundos]


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

Próximos eventos:
- Novembro e Dezembro: exposição de fotografia de Eduardo Silva Alves, na Traga-Mundos em Vila Real;
- dia 30 de Novenbro de 2014, domingo, das 10h00 às 20h00: Dia da Livraria e do Livreiro, na Traga-Mundos em Vila Real;
- dia 6 de Dezembro de 2014 (sábado), pelas 21h00: apresentação do livro “Manual de Saudades” de Xavier Frías Conde, no âmbito do Festival 6 Continentes 2014, na Traga-Mundos em Vila Real;
- de 8 de Dezembro de 2014 a 6 de Janeiro de 2015: Bazar de Natal e dos Reis da Traga-Mundos, na Traga-Mundos em Vila Real;
- dia 13 de Dezembro de 2014 (sábado), pelas 21h00: 2.ª sessão de Traga-Contos, com o contador transmontano Vítor Fernandes, na Traga-Mundos em Vila Real.

sábado, 22 de novembro de 2014

Encontro Livreiro do Porto




A livraria Traga-Mundos, em Vila Real, estará presente – também testemunhando a organização dos três Encontro Livreiro de Trás-os-Montes e Alto Douro realizados:

- a 24 de Março de 2013, na livraria Traga-Mundos, em Vila Real;

- a 2 de Junho de 2013, na Poética – livros, arte e eventos, em Macedo de Cavaleiros;

- a 23 de Fevereiro de 2014, na Livraria Rosa d’Ouro, em Bragança.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Contos Bárbaros, João de Araújo Correia



“Contos Bárbaros” de João de Araújo Correia
6.ª edição
[fixação do texto da responsabilidade da associação Tertúlia João de Araújo Correia, seguindo a último revisão realizada pelo próprio autor]

"Contos Bárbaros, sobre ser um título, é um universo. Quem quiser conhecer o homem, não vá mais longe: pegue nos Contos Bárbaros e leia as histórias de João de Araújo Correia. Ali verá a velha que sobrevive a si mesma, e volta pontualmente à feira que já não existe, e morre como vivera: numa esquálida solidão de bicho. Ali verá o avô que, cioso do que amorosamente guardara para o neto, o mata, tomando-o, no escuro da noite, por ladrão. Ali verá o viúvo assisado que, depois de criar os filhos, perde a cabeça por uma rapariga. Ali verá a fidalga, modelo de formosura e de bom senso, que vem a casar com o mais desinfeliz dos seus criados. Ali verá o lavrador honrado que, perseguido pelo infortúnio e pelos credores, escolhe com sinistra serenidade a sua própria morte. Ali verá o doutor malcasado que descobre a graça feminina numa camponesa e paga com a morte um irreprimível gesto de ternura. Ali verá, em certo Natal, um Menino Jesus de carne e osso oferecido ao devoto beijo dos fiéis – um recém-nascido abandonado nessa noite sagrada à porta da igreja e logo perfilhado. Ali verá a Rosa desfolhada e murcha, que readquire, porém, novo viço e novo perfume depois de tratada carinhosamente pelo jovem médico, que a mata no momento em que sobrepõe o dever profissional ao sentimento humano. Ali verá enfim, o velho soldado que vive só da medalha que, logo depois da sua morte, é dada como brinquedo a um garoto, que, desaparecido o encanto da novidade, a esquece na lama da rua." João Bigotte Chorão

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível os títulos: “Nova Freguesia”, “Contos e Novelas I (Contos Bárbaros, Contos Durienses, Terra Ingrata)”, “Contos e Novelas II (Cinza do Lar, Casa Paterna, Caminho de Consortes, Folhas de Xisto)”, “Sem Método – notas sertanejas” e “O Porto do meu tempo”. “O Homem do Douro nos contos de João de Araújo Correia” de Altino Moreira Cardoso e “à conversa com João de Araújo Correia” de José Braga-Amaral. Letras Com Vida – literatura, cultura e arte, n.º 2, 2.º semestre de 2010 dossiê escritor “João de Araújo Correia” coordenação de António José Borges. Revista “Geia” n.º 1 (Dezembro 2009), n.º 2 (Dezembro 2011) e n.º 3 (Setembro 2013), edição da Tertúlia de João de Araújo Correia – recordamos que também disponibilizamos a ficha de adesão à Tertúlia de João de Araújo Correia]

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Agenda 2015, com hortas e jardins medicinais



“Agenda 2015 – Hortas e jardins medicinais” de Fernanda Botelho

Cada vez mais pessoas procuram refúgio entre as plantas. Cultivar uma horta, quer seja numa varanda ou num quintal, tornou-se uma atividade com um número crescente de adeptos. Foi por esse motivo que Fernanda Botelho dedicou a agenda de 2015 às hortas e aos jardins medicinais. Nesse sentido, escolheu 53 plantas, algumas delas pelo perfume e beleza, como a brugmansia, outras pelo facto de atraírem borboletas e abelhas, por exemplo, a budleia. Ao seu lado, há ervas aromáticas, especiarias e hortícolas, como a couve ou a fava, sobre as quais a autora partilha não só conselhos de cultivo e consociações, mas também aplicações terapêuticas e culinárias. Como em anos anteriores, todas as plantas são identificadas através de fotografias a cores e, nas páginas finais, reúne-se uma mão-cheia de receitas suculentas. Com utilizações tão diversas, esta agenda constitui uma ferramenta proveitosa e um convite a uma comunhão mais profunda com a natureza.


Cenoura Daucus carota Umbelífera ou Apiácea

Qualquer quintal ou horta devia ter pelo menos uma ou duas leiras de cenouras e apostar nas variedades tradicionais como o pau-roxo que são lindas e de sabor muito mais intenso. Deste modo estará a contribuir para a conservação das variedades e biodiversidade agrícola, (pode mesmo associar-se a redes de conservação de espécies e tornar-se guardião de sementes dando assim um excelente contributo para a preservação de tão precioso património; as nossas sementes.
As cenouras consociam-se bem com ervas aromáticas como a Artemisia absinthum ou a Salvia officinalis ou o alecrim rosmarinus officinalis, que são repelentes da mosca branca.
Também combina bem com alho-porro, cebola, alface e tomateiro.
A cenoura é rica em A, B e C, ferro, cálcio, cobre, fósforo, zinco, manganês, etc.
É diurética, laxativa, digestiva, alcalinizante, excelente para tratar problemas de hemorragias gastrointestinais, úlceras de estomago, problemas de fígado.
Em xarope para tratar a tosse e a sinusite, aumenta a produção de leite materno.
A rama da cenoura também se utiliza em sopas e guisados e externamente em cataplasmas sobre abcessos, queimaduras, cicatrizante e desinfetante de feridas.
As sementes em decocção têm uma ação muito diurética e desintoxicante.

Cebola Allium cepa Liliácea

As cebolas são dos legumes mais fáceis de cultivar, pode plantá-las em março para depois colhê-las no verão e conservá-las para consumo durante o inverno.
Gostam de solos quentinhos e bem drenados e são sujeitas a podridão se forem deixadas na terra no inverno. Para evitar riscos de doenças é importante ir fazendo rotação de culturas e ir alternando com feijão, ervilhas ou tomate. Consociam-se bem com cenouras, alface e tomateiros e todas as Crucíferas.
A cebola é rica em sais minerais como cálcio, cobre, potássio, manganês, boro, fósforo. Vitaminas B, C e PP.
É anti coagulante do sangue, desintoxicante, hipogliceminante sendo portanto recomendada a diabéticos. O xarope de cebola é um excelente expetorante.
A cebola tem o poder de destruir bactérias e fungos. Colocar uma cebola num quarto onde estejam pessoas doentes é uma prática popular e muito eficaz.
Não se deve colocar cebolas perto de batatas pois estas transmitem-lhe humidade fazendo com que espiguem e apodreçam. No entanto a espiga da cebola também é própria para consumo em sopas e saladas.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível da autora os títulos: “Sementes à Solta”, “Hortas Aromáticas”, “Salada de Flores” e “Nettles and roses”, ilustrações de Sara Simões; “As Plantas e a Saúde – Guia prático de remédios caseiros”]


quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Três poetas em tertúlia



Tertúlia “Três poetas à volta de ‘Relevos’ de Virgínia do Carmo”
com a participação dos poetas Rosário Ferreira Alves, Rui Miguel Fragas e Virgínia do Carmo
dia 22 de Outubro de 2014 (sábado), pelas 21h00
na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro, em Vila Real


A Traga-Mundos tem o prazer de convidá-lo/a a participar na Tertúlia "Três poetas à volta de "Relevos", de Virgínia do Carmo", a ter lugar no próximo dia 22 de Novembro, pelas 21h00. 
O evento conta com a participação dos poetas Virgínia do Carmo, Rosário Ferreira Alves* e Rui Miguel Fragas**. 

"Relevos" é o terceiro livro de poesia de Virgínia do Carmo, dado à estampa pela Poética Edições, em Setembro. 

Sobre a obra: 

Além do que, creio, ficou patente quanto ao valor literário da poesia de Virgínia do Carmo, gostaria de referir pormenores que me não passaram desapercebidos. Falo da riqueza vocabular por vezes conseguida pela inusitada adjectivação (liquidez inabraçável do mar; gritos angulares; um anseio vertical; flores acéfalas; aresta áspera e estrídula) pelo recurso a termos eruditos (atérmico, admonição; disfásicas; assíncronos; ambular), pela pluralidade de léxicos relativos a áreas do saber convocadas como a geologia, a geografia, a psicologia e a filosofia, a física e a química e, sobretudo, a geometria. Não se trata de intromissões abusivas e arbitrárias, antes surgem como elementos de clarificação de ideias:

Perdi […] a triangulação das estrelas e a síntese química das pedras;
…na rota recta dos/ olhos, na planura esguia dos ângulos do tempo // [obtusos demais];
…Não tenho ângulos para / medir a congruência dos passos.


Hercília Agarez



António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00
259 103 113 | 935 157 323 | traga.mundos1@gmail.com

Próximos eventos:
- Novembro e Dezembro: exposição de fotografia de Eduardo Silva Alves, na Traga-Mundos em Vila Real;
- dia 23 de Novembro de 2014 (domingo), pelas 15h00: participação no I Encontro Livreiro do Porto e do Grande Porto, na livraria Lello, no Porto;
- dia 29 de Novembro de 2014 (sábado): Jantar Temático “O Lobo da Xente” de Vicente Risco, por Tri-Co-Loma da Galiza, na Quinta do Paço, em Vila Real, uma organização da Fundación Vicente Risco e Ponto Por Ponto, com a participação da livraria Traga-Mundos no âmbito da comemoração do Dia da Livraria e do Livreiro;
 - dia 6 de Dezembro de 2014 (sábado), pelas 21h00: apresentação do livro “Manual de Saudades” de Xavier Frías Conde, no âmbito do Festival 6 Continentes 2014, na Traga-Mundos em Vila Real;

- de 8 de Dezembro de 2014 a 6 de Janeiro de 2015: Bazar de Natal e dos Reis da Traga-Mundos, na Traga-Mundos em Vila Real;
- dia 13 de Dezembro de 2014 (sábado), pelas 21h00: 2.ª sessão de Traga-Contos, com o contador transmontano Vítor Fernandes, na Traga-Mundos em Vila Real.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

traga_mundos in Cambridge



Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro de Vila Real, em Cambridge (Inglaterra)

DOURO In CAMBRIDGE - DOURO em CAMBRIDGE
Talks, Wine tasting and local products

organizado pela Prof.ª Dr.ª Mila Simões de Abreu,
da UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

obrigado!


[fotografias de Timur Usmanov]

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Lady Jane Renfrew, Cambridge






A Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real, Portugal, enviou cerca de quatro dezenas de publicações em língua inglesa, para um evento organizado pela Prof.ª Dr.ª Mila Simões de Abreu, em 8 de Novembro de 2014, no McDonald Institute for Archaeological Research em Cambridge, Inglaterra.


DOURO in CAMBRIDGE - an afternoon in honour of Lady Jane Renfrew

It is a great pleasure to invite you to attend an afternoon in honour of Lady Jane Renfrew.

In 2012, Lady Jane donated a considerable part of her private library to the Archæological Unit and to the Library of the Botanical Garden of the Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro in Vila Real, Portugal.

   The volumes cover over 150 years of knowledge and research in the fields of archæology, prehistory, history, botany, biology and related sciences. In some cases the texts are of great economic value, but all of them are important, both for students and university members of UTAD. The books are now also available upon request to the general public.

   As an acknowledgement, we thought the best way to thank her was to create a “prehistoric garden” on the UTAD campus. The garden, with plants eaten and used by our ancestors in a distant past, was inaugurated by Lord and Lady Renfrew in May 2013 and since then it has been giving pleasure to students and staff of UTAD and has been visited by many people from outside the University.

   In recognition for her continuing support of UTAD the Rector awarded her the silver medal, the highest award of the University.

The medal will be presented to Lady Jane Renfrew on the 8th of November at 6:30pm in the McDonald Institute for Archaeological Research, Downing Street, Cambridge CB2 3ER.

   We hope you will join us.

The wine tasting is organized by the
Cambridge University Portuguese Speakers Society

Lady Jane

Renfrew of Kaimsthorn—brief biographical notes


   Already when she was young, Jane expressed an interest in the study of the past, having made her first archæological dig when she was little more than 12 years old. When she was doing her undergraduate degree at Cambridge (New Hall College), she published her first book entitled “Antiquary on horseback” (1963), with her maiden name of Jane M. Ewbank. The volume is the fruit of the patient work of transcribing and editing manuscripts left by Thomas Machell, rector of Kirby Thore (Cumbria).
    At Cambridge, in the Haddon Library, she meets fellow student Colin Renfrew with whom she later marries and has 3 children. The famous Professor Glyn Daniel says, in his autobiography, “Some Small Harvest”, that giving lessons in his office at St. John’s College to Colin Renfrew, Barry Cunliffe, Jane Ewbank and Ruth Whitehouse were some of the most pleasant memories of those times (Daniel 1986: 448).
    As a student, Jane further developed her interest of studying the past and got interested in botany. Along with Colin she took part of excavations in Greece and other areas of the Balkans and collected seeds in museums and excavations of the region that would be the basis for her doctoral thesis in Cambridge.
Between 1967–1972, she was Head of the Department of Ancient History, at the University of Sheffield and later Visiting Lecturer and Part-time Professor in the Department of Archæology at the University of Southampton (1972–1981). In the early 1980s, she came back to Cambridge, where apart from being Affiliate Professor of the Division of Archæology , of the Department of Archæology and Anthropology, she is for 11 years the Master's wife at Jesus College (1986–1997).
     In the last years she is Byre Professor of Archæology, Fellow of the Library, Steward of the Garden at Lucy Cavendish College. In fact, at LCC she created the “Anglo-Saxon Herb Garden” (a collection of plants used before 1066), opened annually to the general public.
     Her main interests are the use of plants in pre-history, the origin and development of agriculture, food and wine in antiquity, the origin of the vine and wine in the Mediterranean.

[http://cambridge4dimension.org/dourocambridge/sponsors.html]

sábado, 15 de novembro de 2014

em Eco espazo do Rexo, Allariz (Ourense, Galiza)




Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro, em Vila Real, foi convidada para participar com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, de Trás-os-Montes e Alto Douro, no I Festival de Poemagosto, organizado pela Fundación Vicente Risco, no dia 16 de Novembro de 2014 (domingo), no Eco espazo do Rexo Allariz (Ourense, Galiza).

Solicitando a organização que identificássemos um especialista português na temática da castanha, é com grande orgulho que informamos que o Dr. Jorge Lage – autor nomeadamente de “Castanea – uma dádiva dos deuses” e “Memórias da Maria Castanha” – acedeu acompanhar-nos e dar também o seu contributo para este estreitamento de relações e partilhas culturais entre o Norte de Portugal e a Galiza.

 
 «O domingo 16 de novembro, dende as 11:00 horas, terá lugar a primeira edición do Festival do POEMAGOSTO, no Ecoespazo O Rexo - Allariz (Requeixo de Valverde)

Unha xornada lúdico-reivindicativa do marabilloso espazo natural do Rexo no que se pode desfrutar da obra de Ibarrola.
Actividades para cativ@s, charlas sobre a castaña, música, e sobre todo POESÍA.
Tamén se poderán adquirir libros, produtos da terra...

Dende as 14:00 horas: Xantar de Magosto:

Menú:
- Empanada
- Costela
- Chourizo
- Castañas e viño/auga/refresco.

Menú Vegano:

- Crocantes de pemento e cabaza.
- Paté de pemento OU Paté de alcachofa con allos tenros, sobre pan de figos
- Feixóns OU Garavanzos.
(Produtos de calidade provenientes da A Despensa do Alarico)
- Castañas e viño/auga/refresco.

Prezo do menú 15,00 € adultos e 10,00 € cativos.

PROGRAMACIÓN:

11:30 Espectáculo de Maxia co O Mago Gusi

12:30 Presentación da revista "Elipse" (Círculo Edições)

13:00 Mesa redonda "A Castaña", coa participación de Traga Mundos e o Dr. Jorge Lage, experto na materia e autor de diversas publicacións sobre o tema.

13:45 Actuación das Pandereteiras "Xilindeiras"

14:00 Xantar de Magosto

16:00 Actuación das Pandereteiras "Xilindeiras"

16:30 Recital Poético

18:00 Xurxo Souto: Actuación - Presentación do seu libro "Contos do Mar de Irlanda" (Xerais)

Lembrade que haberá carpa, polo que tódolos actos poderán ser a cuberto, e tamén que podedes ir mercando os vosos billetes para o xantar nos comercios de Allariz: Librería Aira das Letras, A Despensa do Alarico, Amares, Impresión Arte e Fina Rei, ou reservalas na Fundación Vicente Risco, enviando un mail a secretaria@fundacionvicenterisco.com

Grazas a tod@s!»

 APAREÇAM!


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00
259 103 113 | 935 157 323 | traga.mundos1@gmail.com

Próximos eventos:
- Novembro e Dezembro: exposição de fotografia de Eduardo Silva Alves, na Traga-Mundos em Vila Real;
- dia 22 de Novembro de 2014 (sábado), pelas 21h00: apresentação do livro “Relevos” de Virgínia do Carmo, na Traga-Mundos em Vila Real;
- dia 23 de Novembro de 2014 (domingo), pelas 15h00: participação no I Encontro Livreiro do Porto e do Grande Porto, na livraria Lello, no Porto;
- dia 30 de Novembro de 2014: Dia da Livraria e do Livreiro;
- dia 6 de Dezembro de 2014 (sábado): apresentação do livro “Manual de Saudades” de Xavier Frías Conde, no âmbito do Festival 6 Continentes 2014, na Traga-Mundos em Vila Real;
- de 8 de Dezembro de 2014 a 6 de Janeiro de 2015: Bazar de Natal e dos Reis da Traga-Mundos, na Traga-Mundos em Vila Real;
- dia 13 de Dezembro de 2014 (sábado), pelas 21h00: 2.ª sessão de Traga-Contos, com o contador transmontano Vítor Fernandes, na Traga-Mundos em Vila Real.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Traga-Mundos e o empreendedorismo




A Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro, em Vila Real, foi convidada para «partilhar a sua experiência e saber com os nossos alunos de Mestrado (2.º ciclo de estudos), no âmbito do seminário de Empreendedorismo, ajudando-os no desenvolvimento de competências de empreendedorismo.» O convite parte da Prof.ª Dr.ª Maria da Felicidade Morais e da Prof.ª Dr.ª Maria Olinda Rodrigues Santana, da Direcção dos Cursos de Línguas e Relações Empresariais (1.º ciclo) e Línguas Estrangeiras Aplicadas (2.º ciclo), da UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e terá lugar hoje, dia 14 de Novembro de 2014.

«O público-alvo é constituído maioritariamente por alunos dos cursos de Mestrado em Línguas Estrangeiras Aplicadas, em Enologia e em Arquitetura Paisagista. O número de participantes deve ser de cerca de 40 pessoas.
A sessão decorrerá no edifício Engenharias II, sala 1.20.

O seminário, com início às 16h, conta com mais três convidados. De acordo com as disponibilidades manifestadas, foi definida a seguinte ordem de intervenções:

Mestre Filipe Mota Ribeiro (convidado de Enologia)
Mestre António Alberto Alves, da Traga-Mundos (convidado de LEA)
Dr. Abílio (convidado de Enologia)
Engª Graça Soares, da empresa Ervas Finas (convidado de Arq. Pais.)»

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Gastronomia transmontana: património imaterial



“Comidas Conversadas – Memórias de Herança Transmontana” de António Manuel Monteiro

“Comidas conversadas – memórias de herança transmontana” são conversas e histórias de comeres, cibos de gana a outros apetites, reencontros e partilha de costumes, meras curiosidades, falas e enguiços, com especial referência a Trás-os-Montes e Alto Douro. Resultaram de um percurso pessoal, técnico e de vivências várias. É o início de um pequeno e modesto roteiro de memórias comestíveis e de algumas transmontanices – de Torre de Moncorvo a Évreux, de Freixo de Espada à Cinta a Şanliurfa, de Vinhais a Meknès ou de Mirandela a Ponta Delgada.
A marcha dos alimentos ao lado da história das religiões, as estórias imateriais e a utopia diária da vida como a argamassa solidificante do edifício da História e a razão do ser das suas estórias, o contento ao aperto fisiológico e o sublimar dessa função, os comeres e os falares enjeitados ou a ilusão e a racionalidade das escolhas existenciais, são, tão-só, motes para a conversa e pretextos ao elogio da castanha ou à eterna paciência de beber vinho, à espera de outros tempos ou aos equívocos agro-alimentares, à excelência dos produtos de identidade territorial ou à virgindade do azeite… enfim… à comemoração da memória e da simplicidade dos saberes.
 A memória é, naturalmente, a capacidade de permanência face ao tempo que corre e que passa – o salvar do passado para serventia do Futuro que queremos!
AMMonteiro
 
Nota de Abertura
Com a publicação deste livro, iniciamos uma colecção de gastronomia e cultura, à qual se irão juntar obras importantes para um melhor conhecimento das tradições alimentares portuguesas, capítulo fundamental para entender as actuais circunstâncias da mesa, e seus atos conviviais, partindo do pressuposto de que «não há futuro sem passado». A alimentação, finalmente considerada como património imaterial, é um elemento diferenciador da cultura dos povos, e assim assume um papel de relevo na história da humanidade.
António Manuel Monteiro é um autor invulgar e possuidor de um rico conhecimento das tradições nacionais, com particular incidência da memória transmontana. A sua escrita, com um vocabulário muito próprio, ou das gentes de para lá dos montes, é um dos fascínios desta obra. No entanto, e para uma melhor leitura, foi criado um glossário simples e elucidativo dos vocábulos menos utilizados. O vigor da informação e a precisão das fontes que confirmam as suas afirmações fazem do conjunto destes textos uma documentação fundamental para quem queira entender a forma como alguns produtos, ou algumas receitas, chegaram até nós.
A Âncora Editora orgulha-se de poder começar esta colecção com este livro e este autor.
Virgílio Nogueira Gomes, Director da colecção

António Manuel Monteiro é natural de Torre de Moncorvo, engenheiro agrónomo de profissão, exercendo atividade na Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte.
Autor e co-autor de várias obras na área da olivicultura e amendoal, António Monteiro, foi distinguido com o Prémio Nacional de Literatura Gastronómica atribuído pela Academia Portuguesa de Gastronomia. É Grão-Mestre e co-fundador da Confraria dos Enófilos e Gastrónomos de Trás-os-Montes e Alto Douro e sócio-fundador da Associação dos Amigos do Museu do Douro e da Academia de Letras de Trás-os-Montes.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Circuito Internacional de Vila Real




Circuito Internacional de Vila Real

fabrico artesanal, em cerâmica,
pintado à mão
versão íman

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[disponível também em motivos de Vila Real: fachada da Igreja de São Pedro, fachada da Capela Nova, brasão ALEU, janela seiscentista]

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Raízes n.º 4



“Raízes – Trás-os-Montes e Alto Douro em Revista”, n.º 4, Novembro 2014

Ei-la! A edição número 4 encontra-se a partir de hoje nas bancas! Provavelmente umas das capas mais picantes deste ano com especial destaque para o sector da castanha. Aproveite também para conhecer um pouco mais sobre a Chef Justa Nobre, uma transmontana que não esquece as suas raízes!

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponíveis os números 1 (Agosto), 2 (Setembro) e 3 (Outubro)]

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

3 anos a celebrar a singularidade da região







TRAGA-MUNDOS, três anos a celebrar a singularidade da região

Para quem entra na livraria Traga-Mundos seja pela primeira ou pela décima vez, existe uma incontornável sensação de magia que se apodera de imediato dos corpos e almas.
É perder a noção do tempo e ganhar a noção de que Vila Real não é, ao contrário do que se possa pensar, uma cidade morta de gentes e culturas.
Esta livraria move-se pelo fundamental objetivo de construir uma referência quando se pensa na região do Alto Douro Vinhateiro, nos seus autores e cultura, vinhos e tradições, produtos e artesanato.
Este espaço mágico é, assim, uma livraria especializada na temática do douro, incluindo álbuns de edição cuidada e guias (turísticos, vinhos, vinhos do porto, quintas, castas), onde estarão presentes os autores locais e regionais com projeção nacional e universal.
Abriu as suas portas a 5 de novembro de 2011 na Rua Miguel Bombarda, em Vila Real sem qualquer evento de inauguração, sem qualquer apoio das instituições responsáveis pela cultura e turismo nesta cidade nem da Região do Douro e sem direito a qualquer notícia na imprensa local.

Ontem, quarta-feira, este pequeno grande espaço celebrou o seu 3º aniversário e o Jornal Geração D’Ouro não podia deixar que este projeto continuasse invisível aos olhos da comunicação social.
António Alves fez questão de nos esclarecer que o seu espaço é exclusivo para autores transmontanos ou para publicações que se debrucem sobre temáticas que incluam a região de Trás-os-Montes, referindo ainda que «é um esforço que a gente faz para ter todas estas temáticas no mesmo local. O objetivo é compilar tudo no mesmo espaço e é isso que está agora a ser um pouco reconhecido».
«Temos ainda a componente dos vinhos por caracterizarem o douro. Não somos uma garrafeira, mas temos os principais vinhos representativos da produção do Douro.»
António acrescenta ainda que a sua livraria é ainda composta por uma vertente de mercearia fina e artesanato - «temos a sorte de ter uma série de produtores extraordinários, são pessoas que têm um pé dentro da loja, ou seja, muitos deles nem sequer têm um espaço próprio e passam aqui muito tempo. Organizam workshops e mantêm contacto com os clientes, um hábito que estimo muito».
Utilizamos o adjetivo «impulsionador» para caracterizar o responsável pela Traga-Mundos, ao que este nos respondeu «Eu sou o impulsionador, mas não podia fazer nada sem a riqueza das pessoas que me entram dentro da porta e me fazem propostas. O que eu reparo é que fazia aqui (em Vila Real) falta um espaço que abrisse as suas portas às pessoas».
Referiu ainda, com brilho que «a riqueza está nas pessoas que entram e abraçam a Traga-Mndos».

De salientar ainda que a Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro esteve a votos online entre 13 de maio a 6 de junho de 2014 no concurso “Livraria Preferida de Portugal” promovida pela APEL. Publicados os resultados, a livraria Traga-Mundos alcançou o 6.º lugar no ranking das livrarias preferidas a nível nacional. Relativamente a este reconhecimento, António Alves refere que pelas atividades que têm vindo a ser organizadas, o reconhecimento nacional acabou por chegar aos poucos.
No entanto, mencionou com alguma tristeza que «nós aqui nunca nos sentimos tão acarinhados. Não me refiro a apoios financeiros, é bom esclarecer. Refiro-me mais propriamente à indiferença das entidades, que não divulgam. Mas não somos só nós. A Traga-Mundos não é apoiada tal como, por exemplo, o Club de Vila Real. Temos tendência para fazer jus ao ditado ‘santos da casa não fazem milagres’. Este 6º lugar vem muito daí, é um reconhecimento de fora».
«Vamos a Ourense e vem a vereadora da cultura falar connosco e essa reciprocidade não acontece aqui, o que me entristece muito».
António termina afirmando que «felizmente estamos a fazer coisas boas e vamos continuar a fazê-las», e o Jornal Geração D’Ouro não deixa estes feitos passarem, de alguma forma, despercebidos.


Note-se que, em três anos de existência, a Traga-Mundos contou com: 165 eventos organizados, 30 apresentações de livros, 3 Encontros Livreiros de Trás-os-Montes e Alto Douro, 3 Feiras do Livro (Lamego, Ourense – Galiza, Porto), 27 bancas de livros (Vila Real, Chaves, Murça, Sanfins do Douro, Atenor, Campos de Jales, Porto, Miranda do Douro, Justes, Pedras Salgadas), 16 encontros, palestras, tertúlias temáticas, 17 wokshops, ateliers, oficinas (fabrico de velas artesanais, fazer pão em casa, cosmética natural caseira, gravura, escrita criativa, fazer tofú em casa, fotografia pinhole, ervas de chá, etc.), 8 sessões de prova e degustação (mel, compotas tradicionais, azeite, amêndoa torrada, etc.), 6 provas e cursos de vinho, 32 exposições (pintura, fotografia, desenho, gravura, escultura, etc.), conquistando ainda o 2º lugar no concurso para melhor loja de comércio tradicional em Vila Real.

[http://geracaodouro.pt/index.php/economia/casos-sucesso-regionais/item/911-traga-mundos-tres-anos-a-celebrar-a-singularidade-da-regiao]