quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Foi há 7 anos...


FOI HÁ 7 ANOS...

Foi há sete anos, no dia 2 de Agosto de 2011, que reabri actividade em Portugal, registando nas Finanças de Vila Real a Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro – Património Mundial, tendo como actividade principal a de livraria.

Chegara a 21 de Maio, no seguimento de trabalho voluntário de quase cinco anos na promoção da Língua Portuguesa em Canchungo e na Região de Cacheu, na Guiné-Bissau, e de imediato me vi confrontado com a total ineficácia do Centro de Emprego local. Optei então por fazer avançar um projecto – e sonho – que tinha reservado apenas para o que se designa como “o tempo de reforma”: abrir um espaço multi-cultural de livraria e/ou alfarrabista. Em dois meses, (re)visitei a oferta de livrarias, também em diversas cidades, estudei catálogos de editoras, procurei lojas em Vila Real, iniciei contactos, etc. Sobretudo, dei um nome à iniciativa, criei o logotipo e redigi o seguinte conceito orientador – que se foi apurando:

«queremos construir uma referência quando se pensa na região de Trás-os-Montes, nomeadamente do Alto Douro Vinhateiro, seus autores e cultura, vinhos e tradições, produtos e artesanato...».

A 5 de Novembro de 2011 abri a porta da Traga-Mundos na rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28, na zona histórica da cidade e entre comércio tradicional, no espaço onde durante muitos anos esteve a notável Livraria Setentrião.

Estamos a montar um espaço com diversos nichos de interesse...

Uma livraria especializada na temática do Douro, incluindo álbuns de edição cuidada e guias (turísticos, vinhos, vinhos do porto, quintas, castas, etc)...
Onde estão presentes os autores locais e regionais com projecção nacional e universal –  A.M. Pires Cabral, António Cabral, João de Araújo Correia, Miguel Torga, Otílio Figueiredo, etc...
Obras em prosa ou poesia; romances, novelas e contos; livros técnicos e revistas temáticas; álbuns infanto-juvenis e de banda-desenhada; de edições de bolso a álbuns de fotografia; de guias turísticos a cd’s e dvd’s; de edições de autor a edições de associações e outras instituições; em português e an mirandés; num esforço para se reunir e apresentar num mesmo local a riqueza cultural e literária da região de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Uma loja de vinhos do Douro, desde o vinho generoso – também denominado do Porto – ao vinho moscatel, com exemplares de aguardentes velhas. Iremos disponibilizar edições de 10, 20, 30 e mais de 40 anos, bem como LBV e Vintage...
Proporcionamos igualmente brancos e tintos, reservas e outras delicadezas, de produtores particulares da região – que não se encontram nos hipermercados...

Uma loja de mercearia fina: de compotas a ervas aromáticas, de chás a licores, de mel a frutos secos, de sabonetes naturais a azeite extra virgem, privilegiando produtos da agricultura local, familiar e tradicional...

Uma loja de artesanato, desde a olaria negra de Bisalhães a cutelaria, das máscaras a instrumentos de manufactura tradicional, da latoaria a outros artefactos...

Um local onde poderá igualmente encontrar informação turística, sobre eventos, romarias, restauração, alojamento, percursos, museus, igrejas e capelas, parques naturais, etc...

Um espaço de galeria de exposições (pintura, fotografia, escultura, cerâmica, artesanato, etc). Um espaço de diversos eventos (apresentações de livros, tertúlias temáticas, workshops, ateliers, oficinas, etc). Cuja porta é local de encontro e partida para um passeio pedestre ou de uma visita pela região. Um espaço onde simplesmente se está bem – por exemplo, confortavelmente no sofá vermelho!»


A todos vocês, amigos e familiares, clientes e produtores, escritores e artesãos, livreiros e editores, o nosso muito muito obrigado pelo apoio e interesse ao longo de todo este tempo – que é o que nos faz continuar, teimar, persistir...

António Alberto Alves
2 de Agosto de 2018

Nota: continuamos sem qualquer apoio das entidades responsáveis pela cultura, turismo, comércio, empresas, imprensa, empreendorismo e afins, na cidade de Vila Real e na região de Trás-os-Montes e Alto Douro.

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

na Feira do Mel e do Artesanato, Pedras Salgadas


- dias 10, 11 e 12 de Agosto de 2018: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, na Feira do Mel e do Artesanato, em Pedras Salgadas, Vila Pouca de Aguiar;

«O recinto da feira irá receber de 10 a 12 de agosto, em Pedras Salgadas, cerca de uma centena de stands associados ao mel, artesanato, produtos regionais, tasquinhas e associativismo.
Através desta feira, a Câmara Municipal e a EHATB promovem o mel e os seus produtores, bem como os artesãos da região que trabalham os seus artefactos, mantendo bem viva a etnografia da nossa gente.
Os concursos temáticos – Qualidade do Mel, Rótulos de Mel, Doçaria Confecionada com Mel e Peças de Artesanato – são mais-valias da feira pela valorização dos produtos locais. De sexta a domingo, haverá muita animação, quer através da animação regional com destaque para o folclore e demais música tradicional, quer pela presença televisiva que contribuirá para engrandecer este certame regional.»

terça-feira, 31 de julho de 2018

O Seringador T 2019


“O Seringador T” reportório crítico-jocoso e prognóstico diário para 2019
(e 154.º ano da sua publicação)
1865-2018
fundado por João Manuel Fernandes de Magalhães

4
São uns pardais com cultura
Dão cabo da agricultura
E comprometem a produção.
Em qualquer época atacam
E as penas com que se tapam
Têm vírus de corrupção.



«Almanaque de grande tradição, muito ligado à agricultura e à astrologia na sua vertente relativa às condições climáticas relevantes para as actividades humanas. Muito completo na elencagem das feiras e mercados do país, bem como nas datas associadas a eventos de utilidade  pública. Em jeito de editorial, apresenta o "Juizo do Ano" e termina com o espaço habitual de entrevista bem humorada. De realçar a importância dada à dita "Cultura", com um espaço de poesia logo na capa.
À venda nas boas livrarias»[Coisas Avulso]

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...


sexta-feira, 27 de julho de 2018

TL - tertúlia de leituras #7

[cartaz pelas artes de Gil Machado]

        TL – Tertúlia de Leituras #7
dia 02 de Agosto de 2018, quinta-feira, pelas 21h00
na livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal

tertúlia de leituras traga_mundos
evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês

«Os leitores sabem que há livros que lemos depois de termos feito amor e livros para enganar a espera num aeroporto, livros para a mesa do pequeno-almoço e livros para a casa de banho, livros para as noites sem sono em casa e livros para os dias sem sono no hospital. Ninguém, nem mesmo o melhor dos leitores, pode verdadeiramente explicar porque é que alguns livros são bons para certas ocasiões e outros não. De forma indizível, as ocasiões e os livros, tal como os seres humanos, põem-se misteriosamente de acordo uns com os outros ou entram em conflito.» Alberto Manguel


pretende-se um encontro informal de partilha do que andamos a ler: um jornal, um romance, um livro de poesia, uma revista, um trabalho de ciências, um blogue, uma tese de mestrado, uma edição de autor, um álbum de fotografia, uma obra antiga, etc.

não há livros recomendados, só partilhados, e não têm de vir preparados (não é uma apresentação)

aparece – e trás um@ amig@ também...

antónio alberto alves
traga_mundos
na primeira quinta-feira de cada mês


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

Próximos eventos:
- dias 10, 11 e 12 de Agosto de 2018: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, na Feira do Mel e do Artesanato, em Pedras Salgadas, Vila Pouca de Aguiar;
- de 7 a 23 de Setembro de 2018: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2016, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- dias 18, 19 e 20 de Outubro de 2018: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no seminário “Santuários”, Museo Etnográfico de Castilla Y León, em Zamora, Espanha;
- e ao longo de 2018 haverá mais, sempre muito mais...

quarta-feira, 25 de julho de 2018

As Artes Entre As Letras n.º 223 / 224


"As Artes Entre As Letras" | n.º 223 / 224 | 25 Julho de 2018 | quinzenalmente às quartas | 2,00 euros

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível os seguintes números: 198 / 199, 200 – 8 anos, 201 / 202, 203, 204, 205, 206, 207, 208, 209, 210, 211, 212, 213, 214, 215, 216, 217, 218, 219, 220, 221, 222]

sexta-feira, 20 de julho de 2018

traga_mundos no L Burro I L Gueiteiro


- dias 25, 26, 27, 28 e 29 de Julho de 2017: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no L Burro I L Gueiteiro – Festival Itinerante de Cultura Tradicional, pelas aldeias de  Ífanes e Paradela, no concelho de Miranda do Douro, Portugal;

«O L Burro I L Gueiteiro é um festival itinerante que decorre de 25 a 29 de Julho, pelas aldeias de Ífanes e Paradela, no concelho de Miranda do Douro.

O Festival Itinerante da Cultura Tradicional L Burro I L Gueiteiro surge como um esforço de revitalizar e valorizar dois elementos chave da cultura mirandesa – o Burro de Miranda e o tocador de Gaita-de-Fole -, bem como enfatizar a relação tradicional existente entre ambos – era o primeiro quem transportava o segundo até aos arraiais que este ia animar pelas diferentes aldeias do Planalto Mirandês. Assim, este Festival planeado ao longo de meses toma forma em 5 dias de itinerância pelas aldeias de Miranda, levando burros, gaiteiros, teatro, dança e música ao encontro das populações locais, geralmente desprovidas deste tipo de evento cultural.


Este Festival caracteriza-se ainda por ter uma dupla missão: mostrar o melhor do Planalto Mirandês e quebrar, ao mesmo tempo, o estereótipo de uma cultura parada no tempo. Bem pelo contrário, acreditamos que está em constante transformação e que temos, por isso mesmo, a responsabilidade de contribuir com actividades criativas e de qualidade que a estimulem. Isso significa trazer pedaços de outras culturas, mas também repensar o contacto com o que é de cá, e que continuamos a privilegiar.

É um evento a pensar em todos - miúdos e graúdos – os que gostam de caminhadas por percursos bonitos, de refeições apetitosas, de sestas burriqueiras, de oficinas instrutivas, de boa música e de muita festa.

Relaxe, Passeie, Descanse, Divirta-se – sempre com calma, sem pressas. Entre no espírito do festival e venha BURRICAR COM VAGAR!»


Organização: AEPGA | CMMD | GGAC | Palombar


segunda-feira, 16 de julho de 2018

escreva-nos!


[texto e cartaz pelas artes de Gil Machado – muito muito obrigado!]

nota: este repto resulta das sugestões que foram consensualizadas na "reunião de aluvião" do dia 4 de julho pelos amigos da traga!

António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

Próximos eventos:
- dia 19 de Julho de 2018, quinta-feira, pelas 21h00: tricota-mundos, noite #23, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dias 25, 26, 27, 28 e 29 de Julho de 2017: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no L Burro I L Gueiteiro – Festival Itinerante de Cultura Tradicional, pelas aldeias de  Ífanes e Paradela, no concelho de Miranda do Douro, Portugal;
- dia 2 de Agosto de 2018, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #6, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dias 10, 11 e 12 de Agosto de 2018: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, na Feira do Mel e do Artesanato, em Pedras Salgadas, Vila Pouca de Aguiar;
- de 7 a 23 de Setembro de 2018: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2016, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- dias 18, 19 e 20 de Outubro de 2018: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no seminário “Santuários”, Museo Etnográfico de Castilla Y León, em Zamora, Espanha;
- e ao longo de 2018 haverá mais, sempre muito mais...

sábado, 14 de julho de 2018

Tradição oral, Mogadouro e Miranda


“Uma Noite de Serão à Luz da Candeia” de Mónica Ferreira

«Uma jovem de Miranda do Douro reuniu histórias da tradição oral nos concelhos de Mogadouro e Miranda e publicou-as no livro “Uma noite de serão à luz da candeia”. Não é a primeira incursão da autora Mónica Ferreira na escrita. A autora, que mostra interesse por recolhas antropológicas, foi ouvir contos em várias aldeias para valorizar as tradições da região, de forma a que estas não se percam.

“Este livro tem narrativas das pessoas mais velhas aqui de Trás-os-Montes, que foram transmitidas de geração em geração e que se vão perdendo no tempo, recolhidas através de conversas com pessoas mais velhas. A ideia foi também valorizar o que temos aqui em Trás-os-Montes porque há muita coisa que não é valorizada”, referiu.

Mónica Ferreira nasceu em Espanha, mas cresceu em Miranda do Douro, a terra dos pais, por isso o livro recupera memórias das populações deste concelho.

“O livro tem histórias sobre vidas passadas de antigamente, os tempos no campo, actividades agrícolas, sobre o contrabando e sobre o lobo e a raposa, que nos dão a conhecer um bocadinho das realidades de antigamente”, frisou.

A antropóloga de formação espera poder continuar a recolher testemunhos da população da região e não afasta a hipótese de escrever mais livros com o mesmo método.

“Gosto de fazer recolhas e sobretudo de conversar com as pessoas mais velhas, são elas que nos vão transmitindo uma parte da cultura que sei perdendo, gosto muito de conversar com as pessoas, fazer recolhas poder divulgar e da conhecer um parte da nossa cultura às pessoas mais jovens e a pessoas de fora que também se interessam”, explica.» [Rádio Brigantia]

[NOTA: a autora ofereceu exemplares em solidariedade com o recente infortúnio aluvião da traga_mundos. muito muito obrigado!]

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...

sexta-feira, 13 de julho de 2018

O B R I G A D O !



O B R I G A D O !

dia 10 julho 2018, 18h00: apelo de ajuda braçal para transladar livros da cave da traga_mundos para um apartamento vizinho - muito muito obrigado, Andreia Santos & João Teixeira

muito muito obrigado: Ana Isabel Coutinho, António Fortuna, António Morgado, Ariana Sousa, Carlos Monteiro, Helena Gil Coutinho, Luís Filipe Teixeira, Maria Petiz, Patrícia Martins, Reinaldo Fonseca, Sónia Botelho, Susana Magalhães, Virgínia Alice Santos

[nota: este apelo resulta das sugestões que foram consensualizadas na "reunião de aluvião" do dia 4 de julho pelos amigos da traga!]

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Grupo de amigos da traga_mundos


«Grupo de amigos tenta salvar a Traga-Mundos

A LIVRARIA FICOU RECENTEMENTE COM PARTE DO ESPÓLIO DESTRUÍDO, AO SER ALVO DE UMA INTEMPÉRIE QUE SE FEZ SENTIR NA REGIÃO. INCONFORMADOS COM O RISCO DE PODER FECHAR, AMIGOS REUNIRAM-SE PARA AJUDAR

A livraria Traga-Mundos, em Vila Real, foi recentemente atingida por uma intempérie que se fez sentir na região, a qual provocou a inundação do seu armazém, destruindo parte do seu espólio. Depois de uma avaliação dos estragos, o livreiro e proprietário da livraria, António Alberto Alves, comunicou, de imediato, aos clientes e amigos o que tinha acontecido, anunciando que a Traga-Mundos corria o risco de fechar portas, ao fim de seis anos dedicados à cultura transmontana e duriense.

“Não vou falar em números, mas posso adiantar que são os suficientes para colocar em risco a atividade da livraria, uma vez que nunca temos um volume de negócios face a tirar um lucro ou um salário”, refere à VTM.

Perante este “desabafo”, as ajudas para que a livraria não feche não “têm parado de chegar”, quer por parte de amigos, quer provenientes de algumas entidades, tendo já realizado uma reunião, intitulada “Aluvião: os maiores prejuízos são os do coração”, na semana passada, na própria livraria.

Para surpresa do livreiro, são já várias as pessoas que se têm manifestado e oferecido ajuda, pelo que na reunião, a livraria tornou-se “pequena para acolher tanta gente”.

“Foi uma boa surpresa. Houve, de facto, um conjunto de pessoas da cidade e, até mesmo do Brasil, de Cabo Verde e da Galiza, que se ofereceu para ajudar. Das pessoas que estiveram presentes na reunião, conseguimos debater algumas soluções para fazer face a esta situação”, conta.

Contudo, António Alves deixa bem claro que essas ajudas “não passam por dinheiro”, mas antes por “reforçar o trabalho da Traga-Mundos”, estabelecendo mais parcerias com algumas das entidades da região, na promoção de eventos, uma vez que “a cultura há muito está esquecida”.

À VTM, o livreiro contou que, depois do seu comunicado, já conseguiu instalar vários desumidificadores, que lhe emprestaram, no armazém e que são já várias as pessoas que se disponibilizaram a carregar alguns dos livros para a casa de um vizinho.

“O principal é irmos fazendo toda a limpeza e tentar tirar os livros da cave e, para isso, já algumas pessoas disseram que ajudavam”, refere, acrescentando que alguns desses livros estão “completamente danificados”, que é impossível reabilitar.

Quanto ao apoio das instituições para a cultura e para as lojas que vão subsistindo neste setor, António  Alves esclarece que a falta de ajuda não “é  uma constatação apenas para a livraria Traga-Mundos, mas antes com todo o comércio tradicional, pelo qual se revela um desinteresse completo e não tem sido feito rigorosamente nada”.

Importa referir que a livraria foi distinguida, pelo sexto ano consecutivo, como uma das livrarias preferidas dos portugueses, ocupando a 9ª posição, em 2018, por um concurso de votação online promovido pela APEL – Associação Portuguesa de Editores e Livreiros.»

João Pedro Baptista
“A Voz de Trás os Montes” n.º 3531, 12 de Julho 2018

quarta-feira, 11 de julho de 2018

As Artes Entre As Letras" n.º 222



"As Artes Entre As Letras" | n.º 222 | 11 Julho de 2018 | quinzenalmente às quartas | 2,00 euros

 Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível os seguintes números: 198 / 199, 200 – 8 anos, 201 / 202, 203, 204, 205, 206, 207, 208, 209, 210, 211, 212, 213, 214, 215, 216, 217, 218, 219, 220, 221]

sábado, 7 de julho de 2018

na Feira do Libro de Allariz, Ourense, Galiza


A livraria Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real, foi convidada para participar com uma banca de livros na Feira do Libro de Allariz – novo e vello, no dia 8 de Julho de 2018, em Allariz, Ourense, Galiza.


quarta-feira, 4 de julho de 2018

uma imagem vale por mil palavras


diz-se: “uma imagem vale por mil palavras”...
O B R I G A D O ! ❤️
reunião de aluvião | 4 jul | 21h
[foto de Associação Alteribi | Família Simões de Abreu]

segunda-feira, 2 de julho de 2018

domingo, 1 de julho de 2018

TL - tertúlia de leituras #6

[cartaz pelas artes de Gil Machado]

        TL – Tertúlia de Leituras #6
dia 05 de Julho de 2018, quinta-feira, pelas 21h00
na livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal

tertúlia de leituras traga_mundos
evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês

De que vale ter voz
se só quando não falo é que me entendem?
De que vale acordar
se o que vivo é menos do que o que sonho?
(Versos do menino que fazia versos)
Mia Couto, “O Fio das Missangas”


pretende-se um encontro informal de partilha do que andamos a ler: um jornal, um romance, um livro de poesia, uma revista, um trabalho de ciências, um blogue, uma tese de mestrado, uma edição de autor, um álbum de fotografia, uma obra antiga, etc.

não há livros recomendados, só partilhados, e não têm de vir preparados (não é uma apresentação)

aparece – e trás um@ amig@ também...

antónio alberto alves
traga_mundos
na primeira quinta-feira de cada mês


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

Próximos eventos:
- dia 6 de Julho de 2018, sexta-feira, pelas 21h00: apresentação do livro “Poemas Simples para Corações Inteiros” de Virgínia do Carmo, com a presença da autora e editora, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 8 de Julho de 2018, domingo, das 10h00 às 20h00: participação com uma banca de livros na Feira do Livro, Allariz, Galiza;
- dia 19 de Julho de 2018, quinta-feira: apresentação de comunicação sobre a Guiné-Bissau, no African Heritage and Sustainable Development (Seminar), no âmbito do 2nd International Summer University “Geoparks, Sustainable Regional Developmnt and Healthy Lifestyles, de  9th – 21st July 2018, University of Trás-os-Montes e Alto Douro, Vila Real, Portugal;
- dias 18, 19 e 20 de Outubro de 2018: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no seminário “Santuários”, Museo Etnográfico de Castilla Y León, em Zamora, Espanha;
- e ao longo de 2018 haverá mais, sempre muito mais...

sábado, 30 de junho de 2018

Poemas simples na traga_mundos


No próximo dia 6 de Julho vou estar com o meu amigo António Alberto Alves para apresentar na sua Traga_Mundos o meu livro “Poemas simples para corações inteiros”. Quis o acaso das tempestades que o abraço de alegria que sempre nos marca os encontros desta vez vá ser de alguma tristeza, porque o seu coração, tão inteiro como os mais inteiros que já conheci na vida, sofreu mais um golpe profundo, e a sua livraria, projecto lindo a florir para o deserto que é este mundo, tantas vezes, corre o risco de secar e perder as pétalas. Mas o que eu levarei comigo também, para esse abraço, nesse dia, é a força de acreditar na sua própria força. Apesar do cansaço, não há desespero quando a vontade sabe o caminho para o sonho. Saiba agora a gente de perto e de longe merecer continuar a beber desse sonho.
António: “Talvez haja ainda um corredor iluminado/ entre o mundo e o silêncio” (In Poemas simples para corações inteiros, p. 45)
Podem conhecer melhor a Traga_Mundos aqui no FB ou aqui: http://traga-mundos.blogspot.com/
[a foto é do meu filho Bernardo, e faz parte do livro]

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Monsenhor Ângelo Minhava - o músico e o pedagogo


“Monsenhor Ângelo Minhava – o Músico e o Pedagogo” de Altino Moreira Cardoso

A base deste livro é o discurso proferido por Altino M. Cardoso numa homenagem ao P. Minhava promovida pela Câmara de Mondim de Basto.

O P. Minhava foi professor em todas as escolas de Vila Real, mas sempre manteve um carinho especial pelo Orfeon do Seminário, que fundou e dirigiu, com comprovadíssimo sucesso.

O autor de MONSENHOR ÂNGELO C. MINHAVA-O MÚSICO E O PEDAGOGO foi discípulo de Monsenhor Ângelo C. Minhava no seminário de Vila Real e lembra o Mestre desde os primeiros passos na música e traça as linhas principais da actividade cultural por ele exercida, através da Música, nesse mundo de muros.

O livro transcreve muitas pautas e enumera algumas peças do abrangente – e surpreendente - repertório orfeónico, que engloba arranjos de cantigas populares e ainda peças clássicas, como a SERENATA de Schubert, o AMEN de Berlioz ou o ALLELUIA de Haendel… e, mesmo, de óperas, como o CORO DOS MARINHEIROS, da MADEME BUTTERFLY de Puccini.

Sendo a MARCHA DE VILA REAL uma música muito amada e conhecida, o autor, também compositor, elabora um esquema fónico, rítmico e estrutural, com que pode ser descrita a base desta aceitação universal.

Em conclusão, algumas fotografias do seminário completam a expressão da saudade contida nesta homenagem ao Mestre e Amigo recentemente falecido.


Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível do autor os seguintes títulos: “O Homem do Douro nos contos de João de Araújo Correia”; “Canções para todas as Escolas” – exemplares esgotados na editora, “Grande Cancioneiro do Alto Douro” Volume I – Cantigas da Vinha (600 músicas e letras) com um estudo prévio, Volume II – Tunas Rurais, Natal – Reis – Embalar, Rimances, Cantares Religiosos, Cantares do Trabalho, Cantares ao Desafio, Volume III – Os Cantares em Contexto – histórico, literário, musical, europeu”; “Cancioneiro Ancestral Barrosão” com Padre António L. Fontes; “Rimanceiro do Alto Douro – 110 rimances com um estudo introdutório”, “A Magna Carta da História do Vinho do Porto – a escritura de Cister (1142)”, “Do Vinho de Missa de Cister ao Vinho do Porto – a ‘magna karta’ de 1132”, “Os Bobos Durienses de D. Sancho I e o início do Teatro Português”, “Poesia Tradicional Duriense – com D. Sancho I, o Primeiro Trovador”, “Leonardus, o Profeta – Canções e Histórias da Pátria Antiga”; “Manuel do Mundo” de Altino Moreira Cardoso, drama duriense, baseado em dois contos de João de Araújo Correia]


quarta-feira, 27 de junho de 2018

As Artes Entre As Letras n.º 220


"As Artes Entre As Letras" | n.º 220 | 27 Junho de 2018 | quinzenalmente às quartas | 2,00 euros

9.º ANIVERSÁRIO

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível os seguintes números: 198 / 199, 200 – 8 anos, 201 / 202, 203, 204, 205, 206, 207, 208, 209, 210, 211, 212, 213, 214, 215, 216, 217, 218, 219]

terça-feira, 26 de junho de 2018

that's all folks!


THAT’S ALL FOLKS!

car@s amig@s

«como de lugar nenhum onde estivemos
alguma vez regressámos»
José Tolentino Mendonça, “Longe Não Sabia”

regressado da belíssima Festa dos Libros em Pontevedra, Galiza, deparei com a cave da livraria inundada – resultado do que me contam ter sido uma violenta trovoada...

ficaram afectados uma vintena de caixas com livros e de outros diversos materiais. não podendo ainda apurar o valor total dos prejuízos – esperando a visita de peritagem da seguradora –, desde já poderei adivinhar que é um rude golpe, irrecuperável...

não tenho forças para continuar a lutar...
sabendo que a seguradora irá tudo fazer para não pagar – como já aconteceu – ou para pagar o menos possível;
sentindo que atravesso um período menos feliz, de pouca sorte – também em termos pessoais;
reconhecendo que não posso enfrentar catástrofes ditas naturais – ou os insondáveis humores de São Pedro;
revelo que não tenho mais forças para continuar nesta luta...

somo mais de 6 anos em luta nesta cidade, que até nas tempestades é ingrata! foi como a gota que fez transbordar o copo cheio...

a traga_mundos terá de encerrar a médio prazo – o tempo de conseguir alienar o seu espólio para, pelo menos, pagar os prejuízos...

antónio alberto alves

sexta-feira, 8 de junho de 2018

"Farinha" - o livro que foi proibido em Espanha!


“Farinha” de Nacho Carretero

o livro que foi PROIBIDO EM ESPANHA...

Um trabalho jornalístico minucioso que revela a história negra do contrabando e do narcotráfico na Galiza…
Nos anos 90, 80% da cocaína que chegava à Europa desembarcava nas costas galegas. Para além da sua posição geográfica privilegiada, a Galiza dispunha de todos os ingredientes necessários para se converter numa "nova Sicília": atraso económico, uma centenária tradição de contrabando (principalmente com Portugal) e um clima de admiração e tolerância em relação a uma cultura criminosa herdada da época dos "inofensivos" e "benfeitores" chefes do tabaco. Os clãs, poderosos e fechados, cresceram num clima de impunidade consolidada graças à apatia e cumplicidade da classe política e forças de segurança.


Através de testemunhos diretos dos intervenientes, Farinha inclui ainda uma análise dos clãs que continuam as suas operações hoje em dia. Porque ao contrário da crença mediática e popular - tal como demonstra este livro -, o narcotráfico continua vivo na Galiza.

Nacho Carretero (Corunha, 1981) é um jornalista galego que trabalhou para a XL Semanal, o El Mundo e o El Español. Escreveu sobre o genocídio no Ruanda, o ébola em África, a Síria ou o seu amado Deportivo de La Coruña. Atualmente, é repórter no El País. Contar a história do narcotráfico galego era um sonho jornalístico que tinha há vários anos.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível a seguinte obra: “La Coca” de J. Rentes de Carvalho]

quinta-feira, 7 de junho de 2018

libraría convidada de Portugal


Estamos organizando unha festaza en Pontevedra para a fin de semana do 22 ao 24 de xuño: a #FestaDosLibros18, na praza da Ferraría de Pontevedra.

Amplo horario: de 11 a 14.30 h e de 18 a 23.00 h

Vai ser toda unha celebración arredor do libro e a lectura e -desde xa- estades todos e todas convidados/as!

Feira literaria con 15 librarías da cidade + 1 libraría convidada de Portugal (que ofrecerán un 10% de desconto nas túas compras), presentacións e firma de libros, contacontos, recitais, concertos, obradoiros...

Anota na túa axenda!

 A Festa dos Libros é unha iniciativa do Concello de Pontevedra


quarta-feira, 6 de junho de 2018

na Festa dos Libros em Pontevedra, Galiza


A livraria Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real, foi convidada para participar com uma banca de livros, na Festa dos Libros, nos dias 22, 23, e 24 de Junho de 2018, em Pontevedra, Galiza.

«Co verán chegará á cidade de Pontevedra a #FestadosLibros18. Xa temos datas. Será os próximos días 22, 23 e 24 de xuño de 2018 na praza da Ferraría.

Teremos: presentacións, venda de libros, sinaturas de autores/as, música, contacontos, obradoiros, recitais... todo isto e moito máis, na única festa co libro e a lectura como absolutos protagonistas. Anota na túa axenda!

A Festa dos Libros é unha iniciativa do Concello de Pontevedra»


domingo, 3 de junho de 2018

Tricotar em Público - mesmo com chuva!


Mais um dia Mundial de Tricotar em Público em Vila Real! Juntem-se a nós na Oficina das Artes do Teatro Municipal de Vila Real (alteração do local pela previsão meteorológica de chuva...) e tragam restos de linhas/botões/fitas, etc, para o nosso projeto comum, um Espantalho novo para a Traga-Mundos!



sábado, 2 de junho de 2018

Livraria Preferida 2018: a livraria mais votada a Norte...


car@s amig@s

a traga_mundos agradece a tod@s que votaram, nomeadamente para nos colocarem em 9.º lugar como a livraria preferida dos portugueses em 2018 – concurso de votação online promovida pela APEL – Associação Portuguesa de Editores e Livreiros.

recordamos que em 2014 a traga_mundos obteve o 6.º lugar, em 2015 o 4.º lugar, em 2016 o 5.º lugar e em 2017 o 6.º lugar...

a traga_mundos mantém-se como a livraria mais votada a Norte, de Trás-os-Montes e Alto Douro à Galiza – somando votos também no Brasil, na Guiné-Bissau, em Cabo Verde.

a todas as livrarias independentes, e respectiv@s livreir@s, a nossas felicitações – nomeadamente à livraria A das Artes e a Joaquim Gonçalves, recordando que Livros, é nas Livrarias!

a tod@s e a cada um@, um bem-haja..

antónio alberto alves

sexta-feira, 1 de junho de 2018

TL - tertúlia de leituras #5

[cartaz pelas artes de Gil Machado]

TL – Tertúlia de Leituras #5
dia 07 de Junho de 2018, quinta-feira, pelas 21h00
na livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal

tertúlia de leituras traga_mundos
evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês

«Uma leitura original de um poema cria, a rigor, um segundo poema, e às vezes até melhor do que o poema “original”. Certa feita, observei que o autor é o proprietário do texto, mas não é o proprietário do sentido do texto, mais sábio e inteligente do que seu autor.»
António Carlos Secchin, poeta, ensaísta e crítico brasileiro


pretende-se um encontro informal de partilha do que andamos a ler: um jornal, um romance, um livro de poesia, uma revista, um trabalho de ciências, um blogue, uma tese de mestrado, uma edição de autor, um álbum de fotografia, uma obra antiga, etc.

não há livros recomendados, só partilhados, e não têm de vir preparados (não é uma apresentação)

aparece – e trás um@ amig@ também...

antónio alberto alves
traga_mundos
na primeira quinta-feira de cada mês


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

Próximos eventos:
- dia 7 de Junho de 2018, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #5, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dia 9 de Junho de 2018, sábado, a partir das 10h00: Dia Mundial do Tricotar em Público, Parque Côrgo, Vila Real, Portugal;
- dia 9 de Junho de 2018, sábado, pelas 21h00: apresentação do livro “Corpo a Corpo” de Carlos da Aira (Galiza), com a presença do autor e da editora Virgínia do Carmo, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dias 22, 23, e 24 de Junho de 2018: participação com uma banca de livros na Feira do Livro, Pontevedra, Galiza;
- dia 5 de Julho de 2018, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #6, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dias 6, 7 e 8 de Julho de 2018: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, no PAN – Encontro e Festival Transfronteiriço de Poesia, Património e Arte de Vanguarda em Meio Rural, em Vilarelhos, Alfândega da Fé, Portugal;
- dias 7 e 8 de Julho de 2018: participação com uma banca de livros na Feira do Livro, Allariz, Galiza;
- dias 20, 21 e 22 de Julho de 2018: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no PAN – Encuentro y Festival Transfronterizo de Poesia, Patrimonio y Arte de Vanguardia en el Medio Rural, em Morille, Salamanca, Espanha;
- dias 18, 19 e 20 de Outubro de 2018: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no seminário “Santuários”, Museo Etnográfico de Castilla Y León, em Zamora, Espanha;
- e ao longo de 2018 haverá mais, sempre muito mais...