terça-feira, 3 de setembro de 2019

Máscaras Tantas, Personae Quantas


“Máscaras Tantas, Personae Quantas” de Margarida Madeira

«Estas fotografias são uma peregrinação pelo interior de Portugal e pelo interior da fotógrafa. São imagens que entram pela realidade dentro, estão no centro da trama, e envolvem a testemunha activa com uma energia de fotógrafa vibrante, pelo que vê e dá a ver.

Não me recordo de outro livro com esta profusão de caretos ter sido por cá editado. É curioso como as caras se misturam com as máscaras de cartão, e como o sentido de humor e a disponibilidade infantil que há em cada um dos personagens, como existe em todos nós, se manifesta de forma tão genuína, livre e apaixonada. Verdadeira. Apetece-me saltar para dentro do livro e dançar comestes mafarricos caretos.»  Luiz Carvalho Fotojornalista, realizador e autor do FotoBox da RTP3

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível o seguinte título: “Festas de Inverno no Nordeste de Portugal – património, mercantilização e aporias da ‘cultura popular’” de Paula Godinho, “Por Detrás da Máscara – ensaio de antropologia de performance sobre os Caretos de Podence” de Paulo Raposo; “Natal dos Caretos” texto António Tiza, desenhos José Da Fonte; “O Diabo e as Cinzas” de António Tiza e “Inverno Mágico – Ritos e mistérios Transmontanos” Volume I e Volume II]


sábado, 31 de agosto de 2019

TL - tertúlia de leituras #20


[cartaz pelas artes de Gil Machado]

        TL – Tertúlia de Leituras #20
dia 05 de Setembro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00
na livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal

tertúlia de leituras traga_mundos
evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês

[S. Martinho de Anta, 24 de Setembro de 1940 – Vindima. Um cesto de uvas, ao todo! O míldio, a chuva e a geada reduziram oito pipas a meio almude. Meu Pai fala nisto, e fica branco. Mas estejam os elementos e os micróbios certos do seguinte: é que o velho se vai atirar à tesoura, à poda, à erguida, à cava, à redra, ao enxofre e ao sulfato como se as vinhas tivessem dado vinho para as bodas de Caná. Quando se é lavrador como o meu Pai é, o corpo acaba por cavar, quer a razão queira, quer não. Miguel Torga, “Diário I”]


pretende-se um encontro informal de partilha do que andamos a ler: um jornal, um romance, um livro de poesia, uma revista, um trabalho de ciências, um blogue, uma tese de mestrado, uma edição de autor, um álbum de fotografia, uma obra antiga, etc.

não há livros recomendados, só partilhados, e não têm de vir preparados (não é uma apresentação)

aparece – e traz um@ amig@ também...

antónio alberto alves
traga_mundos
na primeira quinta-feira de cada mês



-------------

Ler é bom demais! Trocar ideias uns com os outros sobre o que estamos a ler, então…

Desde 7 de Março, a GATAfunho alinha com a Traga-Mundos numa Tertúlia de Leituras deliciosa!

Todas as primeiras quintas-feiras de cada mês, às 21h, encontramo-nos na livraria GATAfunho, em Oeiras para partilhar o que andamos a ler: um romance, um artigo interessante de jornal ou revista, um livro de poesia ou de boas receitas, um artigo científico, aquele texto de que gostamos num blogue, uma carta que encontramos, velhas histórias em álbuns de fotografias, quem sabe um página de um diário esquecido…

Um encontro sem nenhum tema definido, sem nada preparado, só o prazer da partilha, da conversa à volta da leitura de cada um. Em simultâneo, todos os meses, na GATAfunho em Oeiras e na Traga-Mundos em Vila Real.

E assim se constroem pontes, se encurtam distâncias, se tecem os tecidos da cultura, da palavra e do encontro!

Vem, convida os amigos, ajuda a divulgar!

“Read, read, read. Read everything -- trash, classics, good and bad, and see how they do it. Just like a carpenter who works as an apprentice and studies the master. Read! You'll absorb it.
Then write. If it's good, you'll find out. If it's not, throw it out of the window.”
― William Faulkner

Parceria GATAfunho, Traga-Mundos e Contabandistas de Histórias


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

Próximos eventos:
- Agosto e Setembro: exposição “Somnium” de Beatriz Fidalgo, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 24 de Agosto de 2019, sábado, pelas 16h30: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, no Mercadinho da Capella, no âmbito do Projeto Capella, em Arroios, Vila Real;
- dia 5 de Setembro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #20, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- de 6 a 22 de Setembro de 2019: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2019, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- dia 3 de Outubro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #21, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dia 4 de Outubro de 2019: entrega do Prémio Antón Risco de Literatura Fantástica, Allariz, Galiza;
- dias 11, 12 e 13 de Outubro de 2019: participação com uma banca de livros de poesia no VI Poemagosto – Festival Internacional de Poesía en Allariz, Galiza;
- dia 14 de Outubro de 2019, pelas 21h00: “Vem e Vê – cinema” #1, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas segundas (2.ª) segundas-feiras de cada mês]
- 5 de Novembro de 2019: 8.º aniversário da Livraria Traga-Mundos, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 7 de Novembro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #22, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dia 11 de Novembro de 2019, pelas 21h00: “Vem e Vê – cinema” #2, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas segundas (2.ª) segundas-feiras de cada mês]
- dias 29, 30 de Novembro e 1 de Dezembro de 2019: participação com uma banca de livros na Culturgal – Feira das Industrias Culturais da Galiza, no Pazo da Cultura de Pontevedra, Galiza;
- dia 5 de Dezembro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #23, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dia 9 de Dezembro de 2019, pelas 21h00: “Vem e Vê – cinema” #3, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas segundas (2.ª) segundas-feiras de cada mês]
- e até ao final de 2019 haverá mais, sempre muito mais...

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

a vida antes da Traga-Mundos


Retrato António Alberto Alves

A vida antes da Traga Mundos

António Alves, nascido em Loureço Marques (atual Maputo) [Moçambique], é conhecido como o proprietário da livraria Traga Mundos e como alguém que gosta de partilhar as suas paixões. De entre elas destaca-se o voluntariado durante cinco anos na Guiné-Bissau. Tudo começou quando o livreiro decidiu ir fazer o seu doutoramento para a Alemanha. Uma vez lá, após não ter obtido uma bolsa, abriu uma pequena loja em que, entre outras coisas, promovia o voluntariado por ser uma área de que, até na atualidade, gosta e da qual tem uma definição própria. “O voluntariado, para mim, não é trabalhar de forma gratuita, é um projeto que permite ajudar as pessoas a perceberem se encontraram a área certa na sua carreira profissional”, explicou.

Informou-se relativamente a essa “área mágica”, como lhe chama, e aí descobriu uma das suas vertentes: a cooperação, um mecanismo voluntário através do qual os voluntários são incluídos num quadro estruturado para utilizar os seus conhecimentos com o objetivo de a criar e aplicar projetos que correspondam às necessidades das organizações parceiras.

António Alves candidatou-se e, uns tempos depois, foi para Guiné Bissau onde, segundo ele, viveu uma experiência que lhe mostrou a vida sob outro ângulo.

Tendo-se fixado no norte, sem eletricidade, implementou um, projeto de gestão e administração escolar, nas escolas públicas de iniciativa comunitária, que visava a criação de um regulamento interno.

Mais tarde, no âmbito da promoção da língua portuguesa, criou um programa na rádio comunitária “Uler a baand” (A hora chega) em conjunto com um amigo [guineense] professor de português. “Havia uma rádio comunitária de que eu gostava muito. Eu costumava ir lá para carregar o telemóvel, porque um dos únicos sítios em que havia eletricidade, e, no âmbito da promoção da língua portuguesa, surgiu a ideia de criar um programa de rádio”, contou, acrescentando que “lá a rádio comunitária tinha uma função enorme porque, como não há eletricidade, as rádios são a coisa mais ouvida. São criadas ‘bancadas’ onde as quotas servem para pagar o rádio e a pilha”.

O projeto piloto avançou com uma programação preparada para meia hora em horário nobre, pois os dois locutores só podiam lançar o programa à noite, uma vez que, devido aos equipamentos reduzidos, teria de ser feito em direto. “Ao outro dia, após uma reunião, fui ao encontro do Marcolino [Elias Vasconcelos] e, quanto passeava pela avenida principal, ia-me cruzando com pessoas que me iam dizendo que me tinham ouvido e que o programa tinha sido fantástico”, explicou António Alves, mencionando que o feedback foi tão bom que o projeto seguiu, acabando por formar pessoas para continuar a lançar o programa no ar sem a sua presença.

Uma particularidade deste programa é o nome: “Andorinha” que surgiu a partir de uma história que o voluntário contara na sua bancada. “Na minha bancada, havia um alpendre e lá havia andorinhas. Então, com saudade, comentei que elas vinham de Portugal. Facto que surpreendeu os guineenses, uma vez que a sua aspiração é emigrar”, disse. Mais tarde, aquando da escolha do nome do programa, para o qual havia propostas medonhas como “Lusíadas” ou “Lusofonia”, esta história voltou à superfície, o que deixou António Alves muito satisfeito.

O nome, tal como o sucesso do programa, espalhou-se, sendo adotado por várias bancadas que queriam participar no programa através do telefone. Uma participação tal que já não havia espaço no programa para todos.

Esta experiência ficou marcada em António Alves que defende ter ido “para um paraíso sem igual”. “A maneira de ser das pessoas e a cultura de partilha, fazem com que os voluntários ganhem mais do que aquilo que dão”, adiantou, confessando que, “se quiser ser feliz” já sabe para onde vai.

Cláudia Richard, “Notícias de Vila Real” n.º 676, 21 de Agosto de 2019


quinta-feira, 22 de agosto de 2019

na Feira do Livro do Porto 2019 + Urutau


traga_mundos na Feira do Livro do Porto 2019
stand n.º 22 [à entrada, no topo]
de 06 a 22 de Setembro de 2019
segunda a quinta: 12h00 às 21h30
sexta: 12h00 às 23h00
sábado: 11h00 às 23h00
domingo: 11h00 às 21h30
nos Jardins do Palácio de Cristal, no Porto


A livraria Traga-Mundos de Vila Real estará novamente PRESENTE na Feira do Livro do Porto 2019 – stand n.º 22, levando o mundo literário e cultural de Trás-os-Montes e Alto Douro, de 6 a 22 de Setembro de 2019, nos Jardins do Palácio de Cristal, no Porto – desde 2014 que participamos…

Recordamos que a Traga-Mundos é uma livraria especializada na temática de Trás-os-Montes e Alto Douro. Obras em prosa ou poesia; romances, novelas e contos; livros técnicos e revistas temáticas; álbuns infanto-juvenis e de banda-desenhada; de edições de bolso a álbuns de fotografia; de guias turísticos a cd’s e dvd’s; de edições de autor a edições de associações e outras instituições; em português e an mirandés; num esforço para se reunir e apresentar num mesmo local a riqueza cultural e literária da região de Trás-os-Montes e Alto Douro...

A livraria tem sido distinguida como uma das livrarias preferidas pelos portugueses por um concurso de votação online promovido pela APEL – Associação Portuguesa de Editores e Livreiros. Em 2014 a traga_mundos obteve o 6.º lugar, em 2015 o 4.º lugar, em 2016 o 5.º lugar, em 2017 o 6.º lugar e em 2018 o 9.º lugar, mantendo-se como a livraria mais votada a Norte, de Trás-os-Montes e Alto Douro à Galiza – somando votos também no Brasil, na Guiné-Bissau, em Cabo Verde.

A livraria Traga-Mundos encontra-se localizada em Vila Real, capital da região de Trás-os-Montes e Alto Douro desde 5 de Novembro de 2011 e ao longo destes anos temos levado bancadas de livros a diversas localidades da região, incluindo as regiões transfronteiriças – até hoje, contabilizamos mais de 133 bancas de livros (Vila Real, Chaves, Murça, Sanfins do Douro, Atenor, Campos de Jales, Porto, Miranda do Douro, Justes, Pedras Salgadas, Corunha, Varge, Cambridge, Allariz, Sabrosa, Amarante, Morille, Carviçais, Valongo de Milhais, Pontevedra, Mêda, Arroios, Bragança, Vilar de Santos, São Martinho de Anta, Vilar de Maçada, Peso da Régua, Monforte de Lemos, Braga, Palaçoulo, Vila Pouca de Aguiar, Alijó, La Pola Siero, Mindelo, Ífanes, Paradela). Levamos bancas de livros aonde podemos, e para onde somos convidados: seminários, feiras, congressos, jornadas, escolas, teatros, bibliotecas, etc - por vezes, até as mesas levamos...

Com e pela Galiza, temos organizado e participado em algumas iniciativas. É no âmbito da Cultura Que Une – um conjunto de associações, fundações, empresas, particulares, criada com o objectivo de «articular accións e intervencións socio-culturais de base, creando unha rede que fomente a colaboración Galiza-Norte de Portugal – que temos aprofundado melhor esta articulação e colaboração, nomeadamente com a realização dos Actos da Cultura Galega-Portuguesa – em 2015, entre Amarante e a Corunha, em 2016, entre Vila Real e Pontevedra e, em 2017, entre Peso da Régua (Douro Vinhateiro) e Monforte de Lemos (Ribeira Sacra). Foi neste âmbito que participamos no stand da Cultura Que Une na Culturgal em 2014, 2015 e 2016.

Em 2017 e 2018 participamos com um stand na Culturgal em nome da Livraria Traga-Mundos, levando um conjunto de obras que expressem a relação entre Portugal e a Galiza, da literatura às ciências sociais, da música a diversas artes – dando continuidade à promoção da literatura portuguesa na Galiza e reforçando pontes culturais entre o Norte de Portugal e a Galiza.

A 24 de Novembro de 2018 estivemos presentes em Braga na reunião de operacionalização da Rede GaliLusofonia, que pretende reforçar as relações culturais dos povos cuja cultura se relaciona com o espaço da Língua Portuguesa, e mais recentemente, a 7 de Julho de 2019, na Junta de Freguesia de Nogueira, estivemos presentes na constituição da associação do lado português, como membros fundadores – de que em breve haverá mais desenvolvimentos...


Para a Feira do Livro do Porto este ano iremos continuar a incluir duas componentes, em resultado de iniciativas que temos vindo a desenvolver ao longo de quase 8 anos de existência:

1. iremos disponibilizar diversas obras em língua mirandesa; em prosa ou poesia; romances, novelas e contos; livros técnicos e actas de congressos; álbuns infanto-juvenis; algumas bi-lingues (na mirandés e em português); de edições de autor a edições de associações e outras instituições – neste momento, seremos a livraria que mais títulos em língua mirandesa temos disponíveis.

2. iremos disponibilizar algumas obras e autores da Galiza, numa tentativa de se reiniciar a divulgação e promoção da cultura irmã no Norte de Portugal – procurando retribuir o acolhimento fraterno que a traga_mundos tem sentido ao longo de mais de cinco anos de iniciativas de intercâmbio, nomeadamente no âmbito da Cultura Que Une.

Para este ano, ainda iremos partilhar a vizinhança e iniciativas com a editora Urutau – que edita autores da Galiza, Portugal e Brasil e esteve presente na Feira do Livro do Porto o ano passado no espaço das pequenas editoras.

[Nota: continuamos sem qualquer apoio das entidades responsáveis pela cultura, turismo, comércio, empresas, imprensa, empreendorismo e afins, na cidade de Vila Real e na região de Trás-os-Montes e Alto Douro.]


Visite(-nos),
e traga um amig@ também...



António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

Próximos eventos:
- Agosto e Setembro: exposição “Somnium” de Beatriz Fidalgo, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 24 de Agosto de 2019, sábado, pelas 16h30: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, no Mercadinho da Capella, no âmbito do Projeto Capella, em Arroios, Vila Real;
- dia 5 de Setembro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #20, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- de 6 a 22 de Setembro de 2019: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2019, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- dia 3 de Outubro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #21, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dias 11, 12 e 13 de Outubro de 2019: participação com uma banca de livros de poesia no VI Poemagosto – Festival Internacional de Poesía en Allariz, Galiza;
- dia 14 de Outubro de 2019, pelas 21h00: “Vem e Vê – cinema” #1, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas segundas (2.ª) segundas-feiras de cada mês]
- 5 de Novembro de 2019: 8.º aniversário da Livraria Traga-Mundos, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 7 de Novembro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #22, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dia 11 de Novembro de 2019, pelas 21h00: “Vem e Vê – cinema” #2, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas segundas (2.ª) segundas-feiras de cada mês]
- dias 29, 30 de Novembro e 1 de Dezembro de 2019: participação com uma banca de livros na Culturgal – Feira das Industrias Culturais da Galiza, no Pazo da Cultura de Pontevedra, Galiza;
- dia 5 de Dezembro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #23, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dia 9 de Dezembro de 2019, pelas 21h00: “Vem e Vê – cinema” #3, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas segundas (2.ª) segundas-feiras de cada mês]
- e até ao final de 2019 haverá mais, sempre muito mais...

sábado, 10 de agosto de 2019

Cogumelos - produção, transformação e comercialização


“Cogumelos – Produção, Transformação e Comercialização” de Ana Cristina Martins Ramos, Maria Helena Neves Machado, Maria Margarida Ribeiro Lobo Zapata, Maria José Bastidas Quintanilla

Este livro surgiu da necessidade de fornecer, de uma forma integrada, elementos sobre a valorização dos recursos micológicos desde a produção à comercialização.

Os cogumelos tornaram-se num alimento muito apreciado e valorizado em aplicações gastronómicas, devido ao seu valor nutricional e também à divulgação da sua aplicação na dieta mediterrânica.

Esta obra pretende dinamizar a cadeia de produção e de transformação de cogumelos, bem como, contribuir para o incremento do seu consumo.

Os temas abordados passam pela:
- Produção de cogumelos sapróbios, com destaque para a cultura de Pleurotus e Shiitake, descrição das diferentes fases de produção e referência de casos práticos de produção;
- Apresentação de espécies de cogumelos silvestres comestíveis com possibilidade de intensificação da produção em zonas florestais e seu aproveitamento, tendo em consideração normas de colheita e gestão dos espaços produtivos;
- Utilização de metodologias de processamento e de conservação, com aplicação de métodos de estabilização, por forma a obter novos produtos com tempo de vida útil alargado;
- Considerações acerca dos mercados e da comercialização de cogumelos silvestres e de cultura.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível o seguinte título: “Cogumelos” de Francisco Xavier Martins, Cogumelos nas Terras de Miranda – aproveitamento sustentável” Marisa Castro texto, Alexandra Skinner ilustração]


sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Feira do Mel e do Artesanato 2019


- dias 16, 17 e 18 de Agosto de 2019: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, na Feira do Mel e do Artesanato, em Pedras Salgadas, Vila Pouca de Aguiar 🐝🐝🐝🐝🐝🐝🐝🐝🐝

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

O Seringador T 2020


“O Seringador T” reportório crítico-jocoso e prognóstico diário para 2020
(e 155.º ano da sua publicação)
1865-2020
fundado por João Manuel Fernandes de Magalhães

3 [futebol]
E após o jogo acabar
Ganhe o clube que ganhar
Gera sempre confusão
E chama-se a isso cultura
Talvez por haver fartura
De murro e de palavrão.

«Almanaque de grande tradição, muito ligado à agricultura e à astrologia na sua vertente relativa às condições climáticas relevantes para as actividades humanas. Muito completo na elencagem das feiras e mercados do país, bem como nas datas associadas a eventos de utilidade  pública. Em jeito de editorial, apresenta o "Juizo do Ano" e termina com o espaço habitual de entrevista bem humorada. De realçar a importância dada à dita "Cultura", com um espaço de poesia logo na capa.
À venda nas boas livrarias»[Coisas Avulso]

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...


sexta-feira, 2 de agosto de 2019

foi há 8 anos...


FOI HÁ 8 ANOS...

Foi há oito anos, no dia 2 de Agosto de 2011, que reabri actividade em Portugal, registando nas Finanças de Vila Real a Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro – Património Mundial, tendo como actividade principal a de livraria.

Chegara a 21 de Maio, no seguimento de trabalho voluntário de quase cinco anos na promoção da Língua Portuguesa em Canchungo e na Região de Cacheu, na Guiné-Bissau, e de imediato me vi confrontado com a total ineficácia do Centro de Emprego local. Optei então por fazer avançar um projecto – e sonho – que tinha reservado apenas para o que se designa como “o tempo de reforma”: abrir um espaço multi-cultural de livraria e/ou alfarrabista. Em dois meses, (re)visitei a oferta de livrarias, também em diversas cidades, estudei catálogos de editoras, procurei lojas em Vila Real, iniciei contactos, etc. Sobretudo, dei um nome à iniciativa, criei o logotipo e redigi o seguinte conceito orientador – que se foi apurando:

«queremos construir uma referência quando se pensa na região de Trás-os-Montes, nomeadamente do Alto Douro Vinhateiro, seus autores e cultura, vinhos e tradições, produtos e artesanato...».

A 5 de Novembro de 2011 abri a porta da Traga-Mundos na rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28, na zona histórica da cidade e entre comércio tradicional, no espaço onde durante muitos anos esteve a notável Livraria Setentrião.

Estamos a montar um espaço com diversos nichos de interesse...

Uma livraria especializada na temática do Douro, incluindo álbuns de edição cuidada e guias (turísticos, vinhos, vinhos do porto, quintas, castas, etc)...
Onde estão presentes os autores locais e regionais com projecção nacional e universal –  A.M. Pires Cabral, António Cabral, João de Araújo Correia, Miguel Torga, Otílio Figueiredo, etc...
Obras em prosa ou poesia; romances, novelas e contos; livros técnicos e revistas temáticas; álbuns infanto-juvenis e de banda-desenhada; de edições de bolso a álbuns de fotografia; de guias turísticos a cd’s e dvd’s; de edições de autor a edições de associações e outras instituições; em português e an mirandés; num esforço para se reunir e apresentar num mesmo local a riqueza cultural e literária da região de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Uma loja de vinhos do Douro, desde o vinho generoso – também denominado do Porto – ao vinho moscatel, com exemplares de aguardentes velhas. Iremos disponibilizar edições de 10, 20, 30 e mais de 40 anos, bem como LBV e Vintage...
Proporcionamos igualmente brancos e tintos, reservas e outras delicadezas, de produtores particulares da região – que não se encontram nos hipermercados...

Uma loja de mercearia fina: de compotas a ervas aromáticas, de chás a licores, de mel a frutos secos, de sabonetes naturais a azeite extra virgem, privilegiando produtos da agricultura local, familiar e tradicional...

Uma loja de artesanato, desde a olaria negra de Bisalhães a cutelaria, das máscaras a instrumentos de manufactura tradicional, da latoaria a outros artefactos...

Um local onde poderá igualmente encontrar informação turística, sobre eventos, romarias, restauração, alojamento, percursos, museus, igrejas e capelas, parques naturais, etc...

Um espaço de galeria de exposições (pintura, fotografia, escultura, cerâmica, artesanato, etc). Um espaço de diversos eventos (apresentações de livros, tertúlias temáticas, workshops, ateliers, oficinas, etc). Cuja porta é local de encontro e partida para um passeio pedestre ou de uma visita pela região. Um espaço onde simplesmente se está bem – por exemplo, confortavelmente no sofá vermelho!»


A todos vocês, amigos e familiares, clientes e produtores, escritores e artesãos, livreiros e editores, o nosso muito muito obrigado pelo apoio e interesse ao longo de todo este tempo – que é o que nos faz continuar, teimar, persistir...

António Alberto Alves
2 de Agosto de 2019

Nota: continuamos sem qualquer apoio das entidades responsáveis pela cultura, turismo, comércio, empresas, imprensa, empreendorismo e afins, na cidade de Vila Real e na região de Trás-os-Montes e Alto Douro.

terça-feira, 30 de julho de 2019

Contos A(gosto) traga_contos #12



Traga-Contos #12 – Contos A(gosto)
sessão com Gusta Santos, Rosário Ribeiro e Vítor Fernandes
dia 2 de Agosto de 2019, sexta-feira, pelas 21h00
na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal


A'gosto na Traga Mundos,
três contadores lá vão estar.
No dia 2, às 21horas,
venha sem demoras,
Histórias escutar!

Gusta Santos, viveu toda a sua vida na margem do Tâmega, em Penafiel e ali sentiu desde logo a emergência das histórias que brotam do coração daquela gente, tão ligada à terra…ao rio.. aos seus usos e costumes tão próprios. Um dia ouviu alguém contar histórias e decidiu que era isso que queria para a sua vida. Frequentou o curso de contadores de histórias da Escola de Narração Oral de Clara Haddad e desde tem dedicado a sua vida a esta arte. Narra contos de autores, tradicionais e de autoria da própria. Estes causam hesitação, emoção, surpresa, curiosidade e aguçam a perspicácia dos ouvintes.

Rosário Ribeiro, natural de Águas Santas, Maia. Desde pequena, tem no coração a paixão pelas histórias. A partir do momento em que começou a participar em eventos familiares na escola dos seus filhos, despertou em si a vontade de partilhar emoções, contando histórias. Essa partilha foi criando raízes e crescendo, levando-a a participar no curso de Contadores de Histórias “Entre Contos & Encantos”, na Escola de Narração Oral Itinerante, de Clara Haddad, em 2013. Desde aí, tem sido um dia de cada vez, tentando semear aqui e ali a magia da narração, com muito amor e emoção, deixando um bocadinho de si no coração de quem a escuta.

Vítor Fernandes natural do Reino Maravilhoso de Trás-os-Montes. A sua infância foi embalada pelos contos que a sua avó contava e pelas estórias que a sua mãe inventava para o adormecer. Nunca pensou ser contador de histórias até um dia em que ouviu um era uma vez... e viajou ao encontro de um passado tão presente e do qual fez futuro. Procurou formação e aprendeu com grandes mestres da arte de contar histórias. O seu reportório está repleto de contos de amor, de humor, da vivacidade, da astúcia e da emoção da tradição oral.

[nota: solicitaremos um contributo voluntário para os narradores]




António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

Próximos eventos:
- Junho e Julho: exposição “Somnium” de Beatriz Fidalgo, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 1 de Agosto de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #19, homenagem a António Ferreira, o Pelinhos, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dias 16, 17 e 18 de Agosto de 2019: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, na Feira do Mel e do Artesanato, em Pedras Salgadas, Vila Pouca de Aguiar;
- dia 5 de Setembro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #20, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- de 6 a 22 de Setembro de 2019: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2019, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- dia 3 de Outubro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #21, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dias 11, 12 e 13 de Outubro de 2019: participação com uma banca de livros de poesia no VI Poemagosto – Festival Internacional de Poesía en Allariz, Galiza;
- dia 14 de Outubro de 2019, pelas 21h00: “Vem e Vê – cinema” #1, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas segundas (2.ª) segundas-feiras de cada mês]
- e ao longo de 2019 haverá mais, sempre muito mais...

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Homenagem a António Ferreira, o Pelinhos



Homenagem a António Ferreira, o Pelinhos
TL – tertúlia de leituras #19
dia 1 de Agosto de 2019, quinta-feira, pelas 21h00
na Livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal

«Convidamos todos os Amigos e Antigos clientes que se queiram associar à este EVENTO, e que por qualquer motivo não possam estar presentes, podem enviar a sua mensagem escrita ou em qualquer suporte e a façam chegar através dos seguintes endereços electrónicos elisaferreira@aemm.pt e/ou traga.mundos1@gmail.com» Elisa Ferreira & Família


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

Próximos eventos:
- Junho e Julho: exposição “Somnium” de Beatriz Fidalgo, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 2 de Agosto de 2019, sexta-feira, pelas 21h00: Contos A(gosto), traga_contos #12, sessão com Gusta Santos, Rosário Ribeiro e Vítor Fernandes, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dias 16, 17 e 18 de Agosto de 2019: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, na Feira do Mel e do Artesanato, em Pedras Salgadas, Vila Pouca de Aguiar;
- dia 5 de Setembro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #20, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- de 6 a 22 de Setembro de 2019: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2019, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- dia 3 de Outubro de 2019, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #21, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dias 11, 12 e 13 de Outubro de 2019: participação com uma banca de livros de poesia no VI Poemagosto – Festival Internacional de Poesía en Allariz, Galiza;
- dia 14 de Outubro de 2019, pelas 21h00: “Vem e Vê – cinema” #1, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas segundas (2.ª) segundas-feiras de cada mês]
- e ao longo de 2019 haverá mais, sempre muito mais... 



domingo, 28 de julho de 2019

António Ferreira, o Pelinhos



António Ferreira, o meu caro Amigo, fez mais pela cultura que muitos ministros da educação e da cultura. o seu quiosque da Avenida, foi a primeira "instituição cultural de Vila Real" a trocar livros usados!!!
O meu querido Camarada António, foi sempre uma das pessoas que mais me inspirou na luta que travamos por um Trás-os-Montes mais próspero e mais solidário. Homem de grande cultura, todos os dias me surpreendia com a sua análise crítica sobre os acontecimentos que se iam desenvolvendo ao longo da implementação da democracia. [Virgílio Cardoso Alves]

Um sítio onde dava prazer ir precisamente para nós actualizarmos.Sempre com novidades da Bila e não só. [Jaime Coimbra]

Um pormenor,exímio jogador de bilhar,quantos da minha geração passaram horas a vê-lo jogar ,bem como a outros craques que por aquela altura havia.na Universidade do Excelsior. [José Francisco Xavier]

O Sr António é para mim uma pessoa estimada, que conheço desde a juventude, dos tempos em que o gosto pela leitura passava, também! pelos pequenos livros de histórias de cawboys, lidos à sucapa durante as aulas monótonas e sábias do Dr Júlio Sinde. Um abraço para ele e para a família, na pessoa das suas filhas; Graça e Elisa Ferreira. [Artur Pimentel]

Bem merecida e necessária. [Agostinho Rodrigues]

Não trocava só livros também trocava ideias. Num tempo em que era proibido ter ideias. [Mário Martins]

Era, e será ainda, um exímio jogador de bilhar. Jogava a dinheiro no excelsior, com o FIRMINO Claudino, grande ciclista da nossa praça.. [Bali Neguescu]

António era e é um grande Vilarealense de grande carácter . Bom amigo do seu amigo. [Artur Fraga]

Um Homem de Valores, cujo valor se sustenta na importância de Tudo quanto sempre fez pela Cultura de tantos! [Emilio Gouveia Miranda]

Parabéns ao Sr. António, pessoa que marcou a minha infância e adolescência. No seu quiosque comprei praticamente toda a banda desenhada que li e, mais tarde, “A Bola”, o “Sete”, e outras publicações. Guardo a memória de um homem afável e de forte caráter. Grande abraço. [João Luís Sequeira Rodrigues]

Merece todo o nosso carinho e atenção. Parabéns, Sr. António! [Marília Lopes]

permitam-me subscreva e me associe à HOMENGEM. Foi das primeiras pessoas que conheci em Vila Real, no longínquo Outubro de 1975, e todos os dias lá ia levantar o JORNAL DE NOTÍCIAS para confirmar que "notícias" tinham saído de Vila Real/TMAD. O jornal vinha acompanhado do sorriso, normalmente seguido de conversa de acaso, não raro incursões pela "opinião política", quase sempre à volta dos "retornados". Sim, arquivo algumas pequenas e interessantes histórias daqueles tempos...um dia talvez. Por agora muito obrigado sr António por aquele sorriso, por aqueles momentos que me proporcionou nos distantes anos 1975 e seguintes. Abraço [Orlando Inocentes]

Uma história de vida, uma vida de histórias
Felicito a livraria Traga-Mundos pela briosa homenagem ao Sr. António “Pelinhos”. Um Homem da Cultura. Resistiu enquanto pôde com o seu pequeno quiosque da Avenida, quiosque e engraxadoria. Ali se recebia e propagava cultura, enquanto se passava o lustre numas botas e discutia as novidades da política e da imprensa. «Senhor António, “Comércio”, “Notícias” ou “Janeiro"? Quando eu, de véspera, o avisava sobre a “bomba” que ia sair no “Comércio”, às primeiras hora do dia já meia avenida sabia. Vendia jornais como cerejas em maio. A falta que este homem fez à imprensa! Que viva muitos anos, e nós que o continuemos a recordar! [Alexandre Parafita]

TAMBÉM NÃO VOU PODER ESTAR PRESENTE, NESTA JUSTA HOMENAGEM AO AMIGO ANTÓNIO FERREIRA. MAS JÁ ESTIVE PESSOALMENTE, HOJE, COM ELE E FELICITEI-O PELO REFERIDO EVENTO. ABRAÇO PARA O AMIGO ANTÓNIO E FAMÍLIA . [Mário Rodrigues]

Muitas saudades!!! [Margarida Borges]

Parabéns Senhor António! [Gena Morais]

Era ali que brincava com os carrinhos que ele me emprestava para não gerar o caos na esplanada da brasileira [PedroMatos VenialSin]

Um abraço com muito carinho para um amigo que sempre estimei,bem como a todos os familiares.Beijos [Fatima Marinho]

Que saudades :( [Cris Garcia]

Merecida homenagem. Fui cliente do sr. António quando muito nova passava para o liceu. Hoje que sou sua colega ele representou para mim uma fonte de inspiração. A sua competência naquele pequeno espaço era impar. AQUELE ABRAÇO SR ANTÓNIO. [Maria Carmo Rodrigues Reis]

O Sr. António era como o meu Pai um fiel leitor do Comércio do Porto. [José Francisco Xavier]

Grande Sr. António. Eu, passa pelo seu quiosque, para ver as novidades. Fez falta à Avenida. [Armindo Manuel Morais Quinteira]

[nota: recolha de comentários do facebook ao evento...]

sábado, 27 de julho de 2019

o Pelinhos, por Emílio Miranda


Boa noite a todos.

Boa noite ao Sr. António, familiares e amigos.

Felicito, antes de mais, quem teve a lembrança desta homenagem, lamentando não poder estar fisicamente presente. No entanto não podia deixar de brindar o homenageado com o meu testemunho.

Ninguém como Antoine de Saint-Exupéry – outro António de reconhecido mérito – descreveu melhor a importância que, tantas vezes, sem que o saibamos mas inevitavelmente temos na vida de outros; daqueles com quem nos cruzamos na vida.

«Aqueles que passam por nós não vão sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós».
Quanto de nós é mérito nosso? Quanto é o resultado do que outros em nós semearam?

Certamente que todos gostaríamos de saber o quanto representamos de boas sementes e o quanto de boa terra… Quanto a mim gosto de pensar que, a haver boa terra, ela nunca será o bastante, se não houver também boas sementes, para que possamos de algum modo cumprir a nossa missão e o nosso desígnio, enquanto por cá andamos.

Não sei o que o Sr. António levou de mim, mas sei com toda a certeza o que de si deixou em mim; o quanto influenciou a minha vida.

Em mim semeou o gosto pelo saber, e mais importante, o gosto pela procura permanente de saber, compreender e apreciar o Mundo que nos rodeia.

Muitas vezes troquei, de bom-grado, o valor da senha escolar do almoço pelo alimento de uma revista de BD ou de um livro, comprados a «bom preço», ao preço que só no Sr. António era possível e tornava possível, para tantos, o acesso à leitura, ao conhecimento, ao prazer de algumas horas desfrutando de uma nova descoberta.

Na sua cesta de livros e revistas usados despertei para o gosto da leitura (que me levou anos depois a despertar também para o da escrita) descobri fantasias, vivi infinitos momentos de magia…

Mais tarde fomos ainda vizinhos de entrada de prédio, e como tal os encontros
eram frequentes.

Mais do que nos cruzarmos, portanto, fomos muitas vezes companhia diária, de vizinhos que se cruzam e cumprimentam, porque se reconhecem em mais do que em encontros fugazes.

Termino com outra citação, esta escrita por mim há algum tempo e também a propósito:
A admiração que sentimos pelas pessoas que nos influenciaram positivamente aumenta com o tempo, quando reconhecemos no nosso caráter as sementes do que nos legaram; ou melhor, os frutos nascidos das sementes que em nós semearam...

Bem-haja pelas que em mim semeou, por tudo o que, tantas vezes sem que o soubesse, semeou de bom na vida de tantos.

Parabéns neste dia tão especial quanto todos os outros que o trouxeram até aqui.

Um abraço de amizade e gratidão.
Emílio Miranda

[testemunho enviado por email]

[foto gentilmente cedida pela Família]