quarta-feira, 1 de julho de 2020

do regresso à Galiza!



hoje (re)abrem a fronteira entre o Norte de Portugal e a Galiza – a fronteira afinal sempre existia!

no dia 4 de julho, depois de alguns meses de impedimento (*), regressarei à amada Galiza, a Allariz:

- participação na reunião do júri do Prémio Antón Risco de Literatura Fantástica, na Fundación Vicente Risco; [a livraria traga_mundos é uma das entidades que patrocina o prémio]

- 13h30, apresentaçom de 'Ricardo Carvalho Calero. Coraçom de terra', uma Banda Desenhada arredor da figura de Ricardo Carvalho Calero creado por Xiko Paradelo, Irene Veiga e Iván Suárez, na Fundación Vicente Risco:
- Apresentaçom da obra.
- Recital de poemas de Carvalho Calero (Voz: Xiko Paradelo. Piano: J. L. Carnicero)
- Vermute;


- 19h00: VII Ponme un Poema! Poesía en barra, com Carlos Meixide, nas ruas, frente aos locais da ronda: A Despensa do Alarico, Fio de Liño, Vinoteca A Micalla, Bule Bule;
&
- 22h00: concerto de Sheila Patricia, Xardín da Fundación Vicente Risco;

- no regresso, passarei pela taberna cultural A Arca da Noé, em Vilar de Santos, para saudar...

[a quem quiser se aproximar, para se “matar saudades” – como se diz em Portugal –, ficarei feliz...]

(*) desde 2 de Dezembro de 2019, há cerca de seis meses, na vinda da participação da livraria traga_mundos na Culturgal em Pontevedra, com passagem por Santiago de Compostela e Allariz, que não regressei à Galiza...

1 de Julho de 2020
antónio alberto alves
traga_mundos

segunda-feira, 29 de junho de 2020

TL - tertúlia de leituras #30

[cartaz pelas artes de Gil Machado]

TL – Tertúlia de Leituras #30
dia 02 de Julho de 2020, quinta-feira, pelas 21h00
da livraria Traga-Mundos no Parque Córgo, Vila Real, Portugal


tertúlia de leituras traga_mundos
evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês
devido ao contexto que ainda aconselha a precauções, este mês optamos por um encontro ao ar livre, no Parque Córgo. um ajuntamento fica marcado para as 20h30 na livraria traga_mundos, para caminharmos até ao local a escolher ; quem estiver mais próximo do Parque Córgo, que nos encontre na zona abaixo da esplanada do café-concerto do Teatro Municipal de Vila Real. aconselhamos a cada um trazer um manta para se sentar na relva...

[«Com uma insensibilidade a que infelizmente estamos habituados e a uma ignorância que é filha dessa mesma, consorciada do atrevimento, começou-se há bastante tempo a ir derrubando velhos plátanos só com o pretexto de que com isso se facilitava o trânsito acelerado.
Esta prática devastadora merece uma explicação; para quem não conheça o seu móbil comum, diremos que se derrubam árvores por quatro razões principais, a saber: 1.ª, porque quem ordena não sabe que a árvore é uma criação perfeita que mantém sobre todas as suas admiráveis qualidades até morrer, e portanto não só toda a vida fornece sombra aos justos como também, noutro sentido (figurado), faz sombra aos espíritos tacanhos que nunca conheceram qualquer forma de perfeição que seja e por isso se exasperam com inveja das árvores, só lhes querendo mal; 2.ª, porque deitar abaixo uma árvore é fácil, rápido e flagrantemente reconhecível, o que dá ao derrubador a sensação de, com simplicidade, haver conseguido uma vez na vida «fazer alguma coisa que se veja»; 3.ª, porque arrancar árvores introduz nos lugares de onde saem, imediatamente, um aspecto que, por não ser devido a elementos que levaram muito tempo a formar, por isso mesmo merece logo o título de novidade ou modernismo, sem preocupação ou reconhecimento se o que se acabou de fazer ficou melhor ou pior, mas que mitiga, entretanto, o prurido dos que confundem o corte de uma árvore com a ablação de um quisto enfadonho; 4.ª e última, englobando ao mesmo tempo o mais mesquinho e o mais grave dos motivos: cortam árvores porque se pode então vender a sua madeira – prémio vil mas muito superior ao pouco valor que lhe atribui a mentalidade de quem as derruba; e cortam as árvores porque nunca lhes disse ou explicou o valor educativo que essa admirável criatura encerra!»
Raul Lino, “Arquitetura, Paisagem e a Vida”, in Boletim. Lisboa: Sociedade de Geografia de Lisboa, n.º 1-3, (Jan-Mar 1957)]
 
em Vila Real: 57 árvores abatidas!

pretende-se um encontro informal de partilha do que andamos a ler: um jornal, um romance, um livro de poesia, uma revista, um trabalho de ciências, um blogue, uma tese de mestrado, uma edição de autor, um álbum de fotografia, uma obra antiga, etc.

não há livros recomendados, só partilhados, e não têm de vir preparados (não é uma apresentação)

participa – e convida um@ amig@ também...

antónio alberto alves
traga_mundos
na primeira quinta-feira de cada mês


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

retomamos os eventos [com cautelas diversas...]:
- Janeiro, Fevereiro, Março (...) Maio, Junho de 2020: exposição “As Escadas dos Mortos” cianótipos originais de Renaud De Putter, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 1 de Junho de 2020, segunda-feira, pelas 15h00: acto performativo “Horas de Desespero”, evocando os “últimos momentos de Camilo Castelo Branco”, 1890 – 2020, por José António Castelo Branco (trineto), na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 4 de Junho de 2020, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #29 online, da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dia 9 de Junho de 2020, pelas 21h00: "TM x 2 - A Terra Maronesa no espaço Traga-Mundos" – Apresentação Online do Manual de Identidade Alimentar da Terra Maronesa, transmissão em directo da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- 13 de Junho de 2020: tricota_mundos festeja o Dia de Tricotar em Público, no Parque Côrgo, Vila Real, Portugal;
- 14 de Junho de 2020: participação na Assembleia Geral da ReLI – Rede de Livrarias Independentes, Óbidos, Portugal;
- dias 19 e 20 de Junho de 2020: participação com uma banca de livros no XV Encontros da Primavera, Picote, Miranda do Douro, Portugal;
- dia 28 de Junho de 2020, domingo: caminhada e observação de aves na Serra da Aboboreira, organização com Officina Noctua, na Serra da Aboboreira, Amarante, Portugal;
- Julho e Agosto de 2020: exposição de fotografia de Eduardo Alves, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 3 de Julho de 2020: inauguração da exposição de fotografia de Eduardo Alves, na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 4 de Julho de 2020: participação no júri do Prémio Antón Risco de Literatura Fantástica, na Fundación Vicente Risco, Allariz, Galiza;
- dia 18 de Julho de 2020: inauguração de “O Percurso Criativo como Forma”, II exposição individual do escultor Paulo Duarte, na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- de 28 de Agosto a 13 de Setembro de 2020: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2019, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- e ao longo de 2020 haverá mais, sempre muito mais...

sábado, 27 de junho de 2020

A Batalha – Jornal de Expressão Anarquista



“A Batalha – Jornal de Expressão Anarquista” n.º 288 – 289, Mar / Jun 2020

Acaba de sair A Batalha #288-289!
Este número duplo tem 48 páginas e, por isso, custa excepcionalmente 1.50€. Não se assustem, voltamos ao valor habitual depois do Verão.

Os assinantes vão começar a receber o jornal no início da próxima semana. Entretanto, A Batalha está já a circular por alguns dos pontos de venda do costume.

A BATALHA #288-289 – mar-jun 2020
Capa de Michael Fikaris
Luís Garcia e Silva (1933-2020) [Um sustentáculo d’A Batalha]
[João Freire & António Cândido Franco]
Viver na normalidade
[com ilustrações de Joana Pires, Gonçalo Duarte, João Carola, André Pereira, Michael Fikaris e Dois Vês]
Luís Amaro (1923-2018)
[António Cândido Franco + retrato de Luis Manuel Gaspar]
Da Pandemia e do Estado
[M. Ricardo de Sousa]
Sobreviver num tempo morto
[Nuno Martins]
Manifesto anormal
[Max / trad. Pedro Morais]
Diário Revolucionário de uma Anarquista
[Kathy Acker / trad. António Albata]
A Paralaxe
[Paul Goodman / trad. André Tavares Marçal]
Mixing & Jana [episódio 70]
Seara
[Gonçalo Duarte]
Para o Inferno ou para a Utopia: a revolta de Minneapolis
[Christopher Scott Thompson]
Entra na zona: um relato da Zona Autónoma de Capitol Hill, em Seattle
Que fazer com este Estado?
[M. Ricardo de Sousa]
No Labirinto da Prisão de Gabriel Pombo da Silva
[P. M.]
Na Puglia, a utopia chama-se Urupia
[Mário Rui Pinto]
Perceber a escolha de Isabel Camarinha como novo rosto da CGTP
[K. Molusco]
Anarco-indigenismo: O Anarquismo do Futuro?
[Mário Rui Pinto]
Los Angeles, Califórnia, EUA (1992)
[William T. Vollmann / trad. Manuel João Neto]
Retratos à la minuta. Juan Genovés, Silencio, Silencio: Despues, ahora, ahora, antes
[Emanuel Cameira]
Do heróico absurdo à morte condensada: breves notas em torno de Yevgeny Yufit e Alan Clarke
[Manuel Figueiredo]
À lupa
[recensões a A Reconquista de Olivenza, Encantados e Arruinados ante os Restos do Banquete, O Fagote de Shatner e Outros Contos, Parícutin, The Princess of the Never-Ending Castle]
Tudo o que leres aqui é falso.
[Walt Thisney]
Centro Anarquista Português de Artes Modestas
[Marcos Farrajota]


Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...

sexta-feira, 26 de junho de 2020

“Alvão reflexão” – exposição de fotografia de Eduardo Silva Alves


“Alvão reflexão” – exposição de fotografia
de Eduardo Silva Alves
inauguração: dia 03 de Julho de 2020, sexta-feira, pelas 21h00, na rua, com a presença do autor
exposição: Julho e Agosto de 2020
na livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal


«A quem estiver disposto a gastar algum do seu tempo, fica a minha declaração do que aqui me trouxe, com toda a honra e prazer, uma vez mais a este espaço único- Tragamundos.

Precisamos de nos afastar delas, para reconhecer o valor de certas coisas. Serra do Alvão. Nenhuma fotografia em quarenta anos, que revelasse que me tinha aceitado, que a tivesse entendido. Omnipresente para a Bila, que se alonga dela, espreguiçando-se, casario a empurrar-se até ao alto, deixa a fotogenia e a fama para a serra vizinha.
Primeira reflexão, primeira conclusão, sem cor! Preto e branco, como o seu íntimo, o seu ser, duro!
Segunda reflexão, segunda conclusão, carregado! Como a sua vetustez!
Dia carregado, a ameaçar chuva, de onde em onde algumas abertas de luz. De bem com a serra, aventurei-me nela, procurei a sua síntese, a minha síntese, que vos apresento agora.
Em memória dos que ali caíram, realço também alguns dos seus monumentos singulares.
O picoto da relva emana memórias de ancestrais cultos das gentes incógnitas que aqui viveram e que desta ressurgência magmática, planetário adossado à sua ilharga, contemplaram os céus.
Já virado ao douro, ficou a cruz, memória daquele que ali terminou o seu caminho neste mundo.
E, o guardião, nas muas, numa das passagens, assiste impávido à passagem do tempo, mudo!
Lapido, na minha estela mais pragmática, a foto, e, no papel, algumas linhas a sua comemoração.

Eduardo Alves, dezembro de 2019

E em março, antes da COVID 19, procurei mais testemunhos passados, pelo que acrescentei mais duas imagens de outros tantos testemunhos, a preto e branco- o castanheiro de Gontães e a nossa sra de Ponte.

Hoje, em período COVID 19, até parece que o tempo me veio dar razão por ter regressado ao preto e branco. Ficam cinco imagens de outros tantos testemunhos do âmago da serra do Alvão, lugar de ida e volta do minho, do barroso, do entre douro e minho, e não poucas vezes lugar donde e onde muitos partiram.

Eduardo Alves, junho de 2020»


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

retomamos os eventos [com cautelas diversas...]:
- Janeiro, Fevereiro, Março (...) Maio, Junho de 2020: exposição “As Escadas dos Mortos” cianótipos originais de Renaud De Putter, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 1 de Junho de 2020, segunda-feira, pelas 15h00: acto performativo “Horas de Desespero”, evocando os “últimos momentos de Camilo Castelo Branco”, 1890 – 2020, por José António Castelo Branco (trineto), na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 4 de Junho de 2020, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #29 online, da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dia 9 de Junho de 2020, pelas 21h00: "TM x 2 - A Terra Maronesa no espaço Traga-Mundos" – Apresentação Online do Manual de Identidade Alimentar da Terra Maronesa, transmissão em directo da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- 13 de Junho de 2020: tricota_mundos festeja o Dia de Tricotar em Público, no Parque Côrgo, Vila Real, Portugal;
- 14 de Junho de 2020: participação na Assembleia Geral da ReLI – Rede de Livrarias Independentes, Óbidos, Portugal;
- dias 19 e 20 de Junho de 2020: participação com uma banca de livros no XV Encontros da Primavera, Picote, Miranda do Douro, Portugal;
- dia 28 de Junho de 2020, domingo: caminhada e observação de aves na Serra da Aboboreira, organização com Officina Noctua, na Serra da Aboboreira, Amarante, Portugal;
- Julho e Agosto de 2020: exposição de fotografia de Eduardo Alves, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 3 de Julho de 2020: inauguração da exposição de fotografia de Eduardo Alves, na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 4 de Julho de 2020: participação no júri do Prémio Antón Risco de Literatura Fantástica, na Fundación Vicente Risco, Allariz, Galiza;
- dia 18 de Julho de 2020: inauguração de “O Percurso Criativo como Forma”, II exposição individual do escultor Paulo Duarte, na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- de 28 de Agosto a 13 de Setembro de 2020: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2019, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- e ao longo de 2020 haverá mais, sempre muito mais...

quinta-feira, 25 de junho de 2020

Caminhada, aves & Abade de Jazente



«Chega notícia da organização de uma caminhada para observação de aves, já este domingo, na serra da Aboboreira. Por causa da covid-19, o número de participantes será limitado a quinze. A caminhada vai durar cinco horas durante as quais os quinze andarilhos vão percorrer oito quilómetros. Recomenda-se que usem calçado confortável e levem água e binóculos.

Há dois pontos de encontro, às sete da matina. Um na Officina Noctua, em Amarante, outro na livraria Traga-Mundos, em Vila Real. Há ainda uma possibilidade alvitrada pela organização: "Quem estiver mais próximo de Jazente, pode optar por ir ter directamente a esta localidade".

Não duvido de que, em tendo conhecimento da iniciativa, Pedro Barros, o presidente do Centro de Estudos Amarantinos, lá estará para enriquecer a caminhada com episódios da vida e obra do poeta e abade Paulino Cabral de Vasconcellos que, de Jazente, ganhou apelido e senhorio de terras, numa vida dedicada a todos os deleites do corpo e do espírito, aos sonetos, à caça, à boa mesa e que muito se aventurou pela serra, lá onde se apontavam aparições da senhora da Lapa. Faz agora um ano, o Centro de Estudos Amarantinos evocou o tricentenário do abade e não me espantaria que Pedro Barros, grande frequentador de alfarrabistas, tivesse uma das mais antigas edições das poesias de Paulino Cabral de Vasconcellos. Mentes devassas atribuíram ao abade e a Bocage a autoria de uns mesmos versos alusivos a momentos de menor elevação de formosa dama. Esses, nem com binóculos verão nos trilhos da serra as aves que ali ultimam a época reprodutiva. Nem se espera deles que se aventurem aos bosques da Aboboreira, muito menos municiados com sonetos do abade. Ou com os versos mais corridos fixando verdades singelas, os versos que caracterizam bagatelas e desaforos, desvarios e gabatórios, parvoíces e farelório.

São versos que permitem avistar palavras mais raras que aves de arribação. Farelório, sim, na pauta do abade:

"Letrado que atrasa a causa /com mui enredos astutos,/ que lê feitos circundutos,/ e se passeia com pausa,/ falando só no escritório, farelório".

Vem de farelo, sim. Mas peneirado dá fanfarrice. Algo que não escapa ao olho vivo de um abade ou a um experimentado observador de aves.»

Fernando Alves, “Sinais”, TSF, 20 Junho 2020.




domingo, 21 de junho de 2020

Caminhada e Observação de Aves na Serra da Aboboreira



Caminhada e Observação de Aves na Serra da Aboboreira | 28 Junho

O trajecto de cerca de 8km percorre a serra da Aboboreira a meia encosta.
Para além de atravessar belíssimas paisagens características da região (que variam entre zonas agrícolas, bosques zonas mais acidentadas), o participante poderá também observar as aves da região na fase final da época reprodutiva.
Os participantes deverão usar vestuário adequado ao clima, devendo também usar calçado confortável para caminhar.
A caminhada terá cerca de 5h00 de duração, pelo que será conveniente que cada participante traga água e alguns alimentos para repor energias ao longo do percurso.
Um dos objectivos da caminhada é, como já foi referido, a observação de aves, e o participante deve trazer binóculos ou equipamento fotográfico. Caso não possua esse tipo de equipamento, poderá usar os binóculos que nós forneceremos.
O preço é de 20€ por pessoa e inclui o seguro de acidentes pessoais.
No final, organizamos um piquenique onde poderão apreciar diversos produtos típicos da região. A opção pelo piquenique tem o custo adicional de 10€ por pessoa.
Tendo em conta a situação gerada pela pandemia de Covid-19, o número de participantes está limitado a quinze pessoas.
A Officina Noctua é certificada pelo Turismo de Portugal para a prática de actividades de turismo de natureza.

Para organizarmos o transporte de todos os participantes, haverá um ponto de encontro em Amarante (Officina Noctua às 7h30) e outro em Vila Real (Traga-Mundos às 7h00). Quem estiver mais próximo de Jazente pode optar por ir ter directamente a esta localidade.

As inscrições devem ser feitas até dia 26 através da Officina Noctua (tel. 938664774, email: officina.noctua@gmail.com) ou da Traga-Mundos - livros e vinhos, coisas e loisas do Douro (tel. 935157323, email: traga.mundos1@gmail.com).

Podem ver mais algumas informações sobre este percurso aqui: https://avesdeamarante.officinanoctua.pt/serra-da-aboborei…/




António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

retomamos os eventos [com cautelas diversas...]:
- Janeiro, Fevereiro, Março (...) Maio, Junho de 2020: exposição “As Escadas dos Mortos” cianótipos originais de Renaud De Putter, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 1 de Junho de 2020, segunda-feira, pelas 15h00: acto performativo “Horas de Desespero”, evocando os “últimos momentos de Camilo Castelo Branco”, 1890 – 2020, por José António Castelo Branco (trineto), na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 4 de Junho de 2020, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #29 online, da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dia 9 de Junho de 2020, pelas 21h00: "TM x 2 - A Terra Maronesa no espaço Traga-Mundos" – Apresentação Online do Manual de Identidade Alimentar da Terra Maronesa, transmissão em directo da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- 13 de Junho de 2020: tricota_mundos festeja o Dia de Tricotar em Público, no Parque Côrgo, Vila Real, Portugal;
- 14 de Junho de 2020: participação na Assembleia Geral da ReLI – Rede de Livrarias Independentes, Óbidos, Portugal;
- dias 19 e 20 de Junho de 2020: participação com uma banca de livros no XV Encontros da Primavera, Picote, Miranda do Douro, Portugal;
- Julho e Agosto de 2020: exposição de fotografia de Eduardo Alves, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 3 de Julho de 2020: inauguração da exposição de fotografia de Eduardo Alves, na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 4 de Julho de 2020: participação no júri do Prémio Antón Risco de Literatura Fantástica, na Fundación Vicente Risco, Allariz, Galiza;
- dia 18 de Julho de 2020: inauguração de “O Percurso Criativo como Forma”, II exposição individual do escultor Paulo Duarte, na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- de 28 de Agosto a 13 de Setembro de 2020: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2019, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- e ao longo de 2020 haverá mais, sempre muito mais...

terça-feira, 16 de junho de 2020

O segredo de Compostela


“O Segredo de Compostela” de Alberto S. Santos

O dia 28 de janeiro de 1879 tinha tudo para ficar marcado na história da cristandade. Depois de dias suados de escavações na catedral de Compostela, foi encontrado o túmulo onde se acreditava que repousavam os ossos do santo apóstolo.

Mas… e se no destino final a que nos conduzem os místicos caminhos de Santiago se esconder um dos segredos mais bem guardados do Ocidente?

Prisciliano, líder carismático do século IV e pioneiro defensor da igualdade das mulheres e dos valores do Cristianismo primitivo, é a figura preponderante neste enigma secular. Comprometido com a força da sua espiritualidade, viveu no coração os sobressaltos de um amor proibido, envolto em ciúmes e intrigas.

Ainda que aclamado bispo pelo povo, Prisciliano tornou-se no primeiro mártir da sua Igreja, a quem a História ainda não prestou o devido reconhecimento.

Depois de extraordinárias revelações, descubra neste fascinante romance respostas às inquietações que atravessam os tempos:
Afinal, quem está sepultado no túmulo?
Qual o sentido atual das peregrinações a Santiago de Compostela?


«(...) Alberto S. Santos desenha um cenário de grandiosidade e nostalgia onde as personagens participam na reconstrução da história de Santiago e dos seus subterrâneos, tal como em dois mil anos de dúvidas. Entre romanos pagãos e cristãos, fica plantada uma relação perturbada sobre a qual o livro de Alberto S. Santos estabelece os seus alicerces, iluminando-os de beleza e de uma apaixonante aura de mistério. Para ler até ao fim. E reler.» Francisco José Viegas

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível o título: “Prisciliano, um Cristão Livre – O seu eco na cultura galaico-portuguesa” de Victorino Pérez Prieto]

segunda-feira, 15 de junho de 2020

Convocatória: amigos da traga_mundos



«Convocamos todos os amigos da traga-mundos para uma reunião online no próximo dia 18 de Junho às 21 horas, com o seguinte objectivo:

Debater ideias e sugestões de apoio à traga-mundos e seu funcionamento num espaço histórico(*) onde há mais de 8 anos se dedica à divulgação do livro e da cultura.

Algumas ideias em cima da mesa:

Banco de horas dos amigos da traga-mundos, para substituir o António Alberto Alves na livraria, libertando-o para se deslocar a feiras literárias, bancas de livros, idas aos correios, etc;


Banco de horas dos amigos da traga-mundos, para realizar apoio técnico em áreas como som e imagem para eventos, design gráfico para divulgação de eventos e ou redes sociais, etc;


Vale de compras traga-mundos, pré-pago durante o mês de Junho ou Julho, para utilizar até ao final de 2020;
Oferta de livros redundantes da biblioteca pessoal para posterior venda na livraria;


Oferta de obras pelos autores para venda na livraria;


Sermos sócios da traga-mundos? Uma ideia ousada mas que pode ser debatida.


(*) perpetuando também a memória da Livraria Setentrião.

Aqui fica o link, para se juntarem à conversa:


Sofia & amig@s

domingo, 14 de junho de 2020

Livraria preferida de Portugal 2020


Qual é a tua livraria preferida??

A minha, uma vez em Trás os Montes, não podia ser outra - Traga-Mundos em Vila Real. Tem livros maravilhosos, manuais de plantas silvestres, fotografias pelo Douro, livros sobre plantas aromáticas, encontros de tricot & outras conversas, umadecoraçao espectacular, uma sensação acolhedora de ninho, está bem localizada, dá oportunidade a jovens criadores de expôrem os seus trabalhos, e ainda - o maravilhoso e divertido atendimento do António!

Eu já votei e tu?

[Joana Vitoria Martins Doula]




A livraria Traga-Mundos está a votos a nível nacional em Portugal.


- em 2014 a livraria Traga-Mundos ficou classificada em 6.º lugar, em 2015 em 4.º lugar, em 2016 em 5.º lugar, em 2017 em 6.º lugar, em 2018 em 9.º lugar – sempre a melhor classificada no Norte de Portugal – e na Galiza



Para votar:

- entre no questionário;
- escolha o distrito de Vila Real;
- escolha a opção “Traga-Mundos em Vila Real”;

- continue o simples e rápido questionário.


OBRIGADO!

[partilhe também com os seus amigos]




sexta-feira, 12 de junho de 2020

XV Encontros da Primavera, Planalto Mirandês


António Alberto Alves, parido em Lourenço Marques, Moçambique, África, onde cresceu e viveu até aos 9 anos de idade | no lugar de Cabêda, vive com a família e inicia-se em Trás-os-Montes e Alto Douro, Portugal | estudos secundários em Vila Real e práctica de desportos: natação, voleibol, ténis | licenciatura em Sociologia, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, trabalhando também no Instituto Mediterrâneo e Instituto de Sociologia e Etnologia das Religiões | mestrado em Extensão e Desenvolvimento Rural pela UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro | oito anos em Messejana, Baixo Alentejo, coordenando diversos projectos de desenvolvimento local | cinco anos em Kiel, Schleswig-Holstein, Norddeutschland, com a Oliveira – Produkte aus Portugal e Sobreiro – Verein zur Förderung portugiesischsprachiger Kultur e. V. | cinco anos em Canchungo, Guiné-Bissau, com projectos de apoio à Educação e a Bankada Andorinha – promoção da Língua Portuguesa e da Cultura em Língua Portuguesa | desde 2011, com a Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro, em regresso ao Reino Maravilhoso...
- dias 19 e 20 de Junho de 2020: participação com leituras "Literatura & Paisagem" no XV Encontros da Primavera, Picote, Miranda do Douro, Portugal

segunda-feira, 8 de junho de 2020

Caminhar Oblíquo - Duarte Belo, Museu da Paisagem


“Caminhar Oblíquo” de Duarte Belo

Caminhar Oblíquo é o relato e a reflexão sobre um itinerário pedestre de 530 quilómetros realizado entre o Penedo Durão, perto de Freixo de Espada à Cinta e o Cabo da Roca. O objetivo foi atravessar a longa diagonal montanhosa do centro de Portugal que divide o Portugal Atlântico, a norte, daquele outro meio país, a sul, sob influência climática da bacia do Mediterrâneo. Percorrer essa linha imaginária que, de forma indelével, distingue duas realidades que se entretecem num território relativamente pequeno mas de extraordinária diversidade paisagística. Percorremos a geografia de uma nação.

“Sobre um mapa traçamos uma demorada oblíqua entre o Penedo Durão, perto de Freixo de Espada à Cinta, e o Cabo da Roca. Esta linha de montanhas guarda uma singularidade: é uma fronteira invisível entre dois mundos que se unem num país: o norte atlântico e o sul mediterrâneo. São as montanhas e os vales das chuvas frequentes em diálogo com a extensas planícies luminosas, de verões prolongados e secos. São duas formas de clima substancialmente diferentes, que vão dar origem a modos distintos de povoamento humano, de desenvolver cultura, de desenhar caminhos e arquiteturas. Caminhamos sobre a geografia de uma nação. Esta é a descrição e a interpretação de uma caminhada solitária de 530 quilómetros.”

Duarte Belo (Lisboa, 1968). Formação em arquitetura (1991). Desde 1986 que trabalha no levantamento fotográfico sistemático da paisagem, formas de povoamento e arquiteturas em Portugal. Este trabalho continuado sobre o território deu origem a um arquivo fotográfico de mais de 1.700.000 fotografias. Expõe desde 1987 e publicou vários livros sobre o tempo e a forma do território português. Lecionou áreas relacionadas com a fotografia e a arquitetura. Participa regularmente em conferências e mesas redondas em temas relacionados com paisagem, arquitetura, Portugal e fotografia, nomeadamente metodologias de registo e arquivo de imagem. É editor do blog Cidade Infinita.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível do autor os títulos: “A Linha do Tua”, “Os Rostos de Jesus – uma revelação” com José Tolentino Mendonça, ”Sabor – Mamoré, Viagem de Comboio Sobre o Mar”, “Magna Terra – Miguel Torga e outros lugares”]


terça-feira, 2 de junho de 2020

A Terra Maronesa no espaço Traga-Mundos



"TM x 2 - A Terra Maronesa no espaço Traga-Mundos" – Apresentação Online do Manual de Identidade Alimentar da Terra Maronesa
dia 09 de Junho de 2020, terça-feira, pelas 21h00
transmissão em directo da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal


No próximo dia 9 de Junho, às 21:00, com transmissão feita a partir da livraria Traga-Mundos, acompanhe o direto "TM x 2 - A Terra Maronesa no espaço Traga-Mundos" – Apresentação Online do Manual de Identidade Alimentar da Terra Maronesa nas respectivas páginas do Facebook .

A nutricionista Ana Helena Pinto e André Fontes, os autores do Manual, farão a apresentação deste trabalho, que resulta de um levantamento de campo entre os quatro concelhos de abrangência do projeto (Vila Pouca de Aguiar, Vila Real, Mondim de Basto e Ribeira de Pena), de visitas às explorações e produções, de observações e vivências, realizados entre setembro e outubro de 2019.

Tem como fonte as gentes da Terra Maronesa que, na abertura das suas casas e atividades e na partilha das suas memórias, conhecimentos, rotinas e modos de ser, foram alimentando a estrutura e os conteúdos apresentados no Manual de Identidade Alimentar.




António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00

retomamos os eventos [com cautelas diversas...]:
- Janeiro, Fevereiro, Março (...) Maio, Junho de 2020: exposição “As Escadas dos Mortos” cianótipos originais de Renaud De Putter, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 1 de Junho de 2020, segunda-feira, pelas 15h00: acto performativo “Horas de Desespero”, evocando os “últimos momentos de Camilo Castelo Branco”, 1890 – 2020, por José António Castelo Branco (trineto), na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 4 de Junho de 2020, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #29 online, da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dia 9 de Junho de 2020, pelas 21h00: "TM x 2 - A Terra Maronesa no espaço Traga-Mundos" – Apresentação Online do Manual de Identidade Alimentar da Terra Maronesa, transmissão em directo da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- 13 de Junho de 2020: tricota_mundos festeja o Dia de Tricotar em Público, no Parque Côrgo, Vila Real, Portugal;
- 14 de Junho de 2020: participação na Assembleia Geral da ReLI – Rede de Livrarias Independentes, Óbidos, Portugal;
- dias 19 e 20 de Junho de 2020: participação com uma banca de livros no XV Encontros da Primavera, Picote, Miranda do Douro, Portugal;
- dia 4 de Julho de 2020: participação no júri do Prémio Antón Risco de Literatura Fantástica, na Fundación Vicente Risco, Allariz, Galiza;
- dia 18 de Julho de 2020: inauguração de “O Percurso Criativo como Forma”, II exposição individual do escultor Paulo Duarte, na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- de 28 de Agosto a 13 de Setembro de 2020: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2019, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- e ao longo de 2020 haverá mais, sempre muito mais...

domingo, 31 de maio de 2020

da retoma... traga_mundos



1 de junho de 2020: retomamos o nosso horário habitual no espaço da traga_mundos:

2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª-feira e Sábado: das 10h00 às 20h00 – sem interrupção...
4.ª-feira: das 14h00 às 23h00 – sem interrupção...

nota: continuamos a aconselhar a devida prudência! caso a situação da pandemia se altere, iremos rever este funcionamento... [o que observei nesta cidade ao longo do mês de maio, foi o de um progressivo desleixo: as pessoas cada vez usam menos a máscara e aumentam os ajuntamentos sem precauções! oxalá não aconteça uma nova situação de emergência...]

FELIZ Dia Mundial da Criança [máscara pelas artes de Isabel Feliciano – muito muito obrigado!]



terça-feira, 26 de maio de 2020

retomamos os eventos...



retomamos os eventos [com cautelas diversas...]:
- Janeiro, Fevereiro, Março (...) Maio, Junho de 2020: exposição “As Escadas dos Mortos” cianótipos originais de Renaud De Putter, na Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 1 de Junho de 2020, segunda-feira, pelas 15h00: acto performativo “Horas de Desespero”, evocando os “últimos momentos de Camilo Castelo Branco”, 1890 – 2020, por José António Castelo Branco (trineto), na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- dia 4 de Junho de 2020, quinta-feira, pelas 21h00: TL – tertúlia de leituras #29 online, da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal; [evento periódico, a repetir-se em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês]
- dia 9 de Junho de 2020, pelas 21h00: "TM x 2 - A Terra Maronesa no espaço Traga-Mundos" – Apresentação Online do Manual de Identidade Alimentar da Terra Maronesa, transmissão em directo da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- 13 de Junho de 2020: tricota_mundos festeja o Dia de Tricotar em Público, no Parque Côrgo, Vila Real, Portugal;
- 14 de Junho de 2020: participação na Assembleia Geral da ReLI – Rede de Livrarias Independentes, Óbidos, Portugal;
- dias 19 e 20 de Junho de 2020: participação com uma banca de livros no XV Encontros da Primavera, Picote, Miranda do Douro, Portugal;
- dia 4 de Julho de 2020: participação no júri do Prémio Antón Risco de Literatura Fantástica, na Fundación Vicente Risco, Allariz, Galiza;
- dia 18 de Julho de 2020: inauguração de “O Percurso Criativo como Forma”, II exposição individual do escultor Paulo Duarte, na rua da livraria Traga-Mundos, Vila Real, Portugal;
- de 28 de Agosto a 13 de Setembro de 2020: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2019, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- e ao longo de 2020 haverá mais, sempre muito mais...

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Mapa – Jornal de Informação Crítica número 27 – Maio – Julho 2020



“Mapa – Jornal de Informação Crítica” número 27 – Maio – Julho 2020

Está nas ruas a 27ª edição do “Mapa – Jornal de Informação Crítica” (Maio-Julho). Como não podia deixar de ser, com uma parte considerável dedicada a este novo mundo da pandemia de Covid-19. Há um foco sobre as transformações sociais, politicas e económicas em curso, sobre o medo e sobre as iniciativas de apoio mútuo. Falamos das cantinas solidárias e das redes de proximidade, dos livreiros à alimentação, por entre as iniciativas e resistências que dão corpo à palavra solidariedade. Leiam-se relatos diversos de um retrato da vida nesta pandemia ou da vida dos estafetas e do teletrabalho, respondendo ainda o educador José Pacheco às abruptas transformações na educação. Não esquecemos o racismo virulento sobre a comunidade cigana e um inevitável olhar crítico sobre a vigilância: do questionável mundo novo das apps de rastreamento à virulência tecnológica do 5G ou recordando o passado das tecnologias de vigilância sobre os refugiados.

E não, nestes tempos não deixaremos de falar sobre os migrantes. Diana Dias fala-nos do Pikpa Camp, uma alternativa de solidariedade aos refugiados na ilha grega de Lesbos, e recordamos a história das migrações partilhadas entre os algarvios e os marroquinos. Tal como não esquecemos em Portugal a luta contra a mineração, pois a ameaça da crise económica e social não trava as populações na defesa dos seus territórios. Convidamos ainda a uma viagem de comboio, abordando o resgate da Ferrovia. A poesia, o apocalipse dos Mão Morta ou a serie sobre o Candomblé são outros dos conteúdos de mais um Jornal MAPA.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponíveis os seguintes números: 19 e 26]



segunda-feira, 11 de maio de 2020

75.º aniversário da Estrada Nacional 2


75º Aniversário da Estrada Nacional 2

1945.05.11 – O Diário do Governo publica o Decreto-Lei n.º 34.593, de 11 de Maio, que institui o primeiro Plano Rodoviário português. A Estrada Nacional 2 (EN2) é, assim, pela primeira vez identificada como ligando Chaves a Faro, tornando-se na maior estrada do País.

No próximo dia 11 de Maio, a EN2 celebrará um aniversário bastante especial. Serão já 75 anos a ligar Portugal de Norte a Sul, ao longo de 739,260km. Um número especial para uma estrada única.
A EN2, actualmente, atravessa 35 concelhos do País, distribuídos por 11 distritos, cumprimentando alguns dos mais importantes rios portugueses, subindo e descendo cinco serras, descobrindo cinco tesouros nacionais reconhecidos pela UNESCO, contando a História de Portugal ao longo do seu trajecto, apresentando a cultura, a gastronomia e as tradições locais/regionais e dando-nos a conhecer, em cada quilómetro do seu traçado, pessoas que nos sabem receber e que nos dão alento para continuarmos a nossa viagem.

Fazer a Estrada Nacional 2 é conhecer Portugal navegando pelo seu interior desde a cidade raiana de Chaves até ao azul do Atlântico, que avistamos ao chegarmos a Faro. É saborear a maior viagem de aventura ao longo de uma estrada portuguesa. É juntar os amigos ou a família e partir à descoberta de um país. É fazermo-nos à estrada com ânsia de a ela regressar novamente.

Ao longo dos últimos anos, a EN2 tem-se afirmado como um destino turístico de excelência, não só pela exponencial procura interna por parte de quem a percorre de carro, de moto, de bicicleta, de autocaravana, ou até mesmo a pé, mas também pelo reconhecimento internacional que tem vindo a obter um pouco por todo o Mundo.

A EN2 é um livro que nos conta a história de vida de quem nela se encontra e nos convida. Mais do que nunca, saibamos retribuir a quem personifica a identidade única desta estrada.

A EN2 é um filme de Portugal cujo protagonista é quem parte à sua descoberta. Mais do que nunca, contemos as histórias que a estrada encerra.

A EN2 é a aventura portuguesa que os estrangeiros querem experimentar. Mais do que nunca, abracemos este desafio e façamo-nos à estrada.

A EN2 é a maior estrada do Melhor Destino do Mundo.

Esta é a nossa Estrada!


guia disponível na livraria traga_mundos - km 64