domingo, 21 de agosto de 2016

Visit | Visite Vila Real


Visite Vila Real…
por Maria Vitorino (Terras de Torga)
dia 27 de Agosto de 2016, sábado, pelas 10h00
ponto de encontro: Pelourinho, em Vila Real


Por Vila Real...

"Entre quem é", assim se diz para cá dos montes!

Está convidado a entrar nesta viagem pelas histórias da História de Vila Real.

Caminhando ao ritmo de uma conversa informal, descubra uma cidade oculta ao primeiro olhar.

Junte-se a nós!

[todos os dias, o ponto de encontro é no Pelourinho, pelas 10h00, hoje com um convite especial pela livraria Traga-Mundos…]

Terras de Torga é um projecto de turismo que visa a promoção de uma região, de um povo e de uma cultura. Ligando passado e futuro no presente, propomos uma viagem pelo património material e imaterial de Trás-os-Montes.

«Uma guia pelas estórias de Vila Real
Pelas estórias de Vila Real, porque a cidade não é só feita de História. Ou pelas estórias da História, melhor dizendo. A ideia surgiu de Maria Vitorino que, estando desempregada, decidiu aprender o máximo possível sobre as entrelinhas da história de Vila Real. Durante um ano e meio, leu tudo o que havia para ler, conversou com muitas pessoas e, essencialmente, ouviu muito. Ela que até é do Porto mas que tem por terras transmontanas uma paixão e uma sabedoria que vai aprofundando com muitas horas de estudo. Agora oferece um serviço aos turistas: quem quiser saber o que por norma os livros não contam, pode embarcar num passeio pelos principais locais de Vila Real e sorrir a cada descoberta. Desde a Vila Velha, passando pela Sé e outros locais de interesse, há sempre lugar para mais um pormenor, qualquer coisa que os guias não mostram, e, por norma, os olhos e os ouvidos não encontram. Maria é uma contadora de estórias, licenciada em Filosofia, e quer mostrar que a história de Vila Real tem muitas estórias para contar aos turistas e não só. Maria Vitorino tem outros projetos em mente, mas, para já, a viagem é gratuita, basta embarcar nas palavras e deixar-se guiar pelas estórias da cidade. O serviço está disponível em português e inglês.» por Eduarda Freitas


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00
259 103 113 | 935 157 323 | traga.mundos1@gmail.com

Próximos eventos:
- de 1 de Julho a 31 de Agosto de 2016: exposição “Do Saudosismo ao Atlantismo – de Teixeira de Pascoaes a Vicente Risco” de Fundación Vicente Risco, uma iniciativa de Cultura Que Une [também no âmbito de “Vila Real – Capital da Cultura do Eixo Atlântico 2016”], na Traga-Mundos, em Vila Real;
- de 1 Setembro a 31 de Outubro de 2016: exposição “Terra” – fotografia e poesia”, uma iniciativa de Cultura Que Une [também no âmbito de “Vila Real – Capital da Cultura do Eixo Atlântico 2016”], na Traga-Mundos, em Vila Real;
- de 2 a 18 de Setembro de 2016: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2016, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- dia 9 de Setembro de 2016, (sexta-feira), pelas 21h00: inauguração da exposição “Terra” – fotografia e poesia”, uma iniciativa de Cultura Que Une [também no âmbito de “Vila Real – Capital da Cultura do Eixo Atlântico 2016”], na Traga-Mundos, em Vila Real;
- dia 10 de Setembro (sábado), das 20h00 às 20h45: “Contos Bárbaros no Plano Nacional de Leitura” pela Tertúlia de João de Araújo Correia, no auditório da Biblioteca Almeida Garrett, na Feira do Livro do Porto 2016, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- dia 16 de Setembro (sexta-feira), das 20h00 às 20h45: apresentação do n.º 1 da revista “Três Reinos” – poesia em português, galego e castelhano, por Genaro da Silva (Galiza) e José Pinto (Portugal) , no auditório da Biblioteca Almeida Garrett, na Feira do Livro do Porto 2016, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- dia 1 de Outubro de 2016: palestra “Guiné-Bissau, terra sabi!” por António Alberto Alves, na Fundación Vicente Risco, Allariz, Galiza;
- dias 3, 4, 5, 6 e 7 de Outubro de 2016: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no Mountains 2016, no IPB – Instituto Politécnico de Bragança, em Bragança;
- dias 13, 14 e 15 de Outubro de 2016: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no XI Congresso Ibérico de Estudos Rurais, na UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em Vila Real;
- de 2 a 4 de Dezembro de 2016: participação com uma banca de livros na Culturgal – Feira das Industrias Culturais da Galiza, em parceria com Cultura Que Une, no Pazo da Cultura de Pontevedra, Galiza;
- e ao longo de 2016 haverá mais, sempre muito mais... 


terça-feira, 16 de agosto de 2016

Espectáculo de poesia com a comunidade


A livraria Traga-Mundos foi convidada para participar com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, no Mercadinho da Capella #5, que irá decorrer no dia 20 de Agosto de 2016, sábado, a partir das 18h30, no âmbito do Projeto Capella, em Arroios, Vila Real.

«Arte e cultura na aldeia

18h00 // Espetáculo de poesia com a comunidade por Eva Pereira e Nuno Monteiro. Livro "Comércio Tradicional" de Vítor Nogueira.

18h30 // Mercadinho da Capella
Produtos locais e regionais, provas de degustação e venda, vinhos do Douro, DOC e Porto.»




segunda-feira, 15 de agosto de 2016

em Nossa Senhora de Lurdes, Justes

A livraria Traga-Mundos foi convidada para participar com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, no mercado que irá decorrer no dia 20 de Agosto de 2016, sábado, no Santuário de Nossa Senhora de Lurdes em Justes – a convite da Ad Justes – Associação para o Desenvolvimento de Justes. Uma iniciativa no âmbito das tradicionais «festas em honra de Nossa Sra. de Lurdes, na Freguesia de Justes, decorrerão entre os dias 18 e 22 de Agosto.»


domingo, 7 de agosto de 2016

15.ª Feira do Mel e Artesanato, Pedras Salgadas


A Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real, irá participar com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, na 15.ª Feira do Mel e Artesanato, que acontecerá nos dias 13 (sábado, das 14h00 às 24h00), 14 (domingo, das 14h00 às 24h00) e 15 (segunda-feira, das 14h00 às 20h00), no Parque Termal em Pedras Salgadas, Vila Pouca de Aguiar.

De 13 a 15 de agosto, a XV edição da Feira do Mel e do Artesanato realizar-se-á na área envolvente à Nascente Pedras Salgadas, em pleno parque termal.

Com este evento, a Câmara Municipal e a Aguiarfloresta, com o apoio de Turismo de Portugal, promovem o mel e os seus produtores e os artesãos da região que trabalham os seus artefactos. Para o presidente da Câmara, Alberto Machado a feira «vai de encontro às aspirações económicas e sociais da comunidade local».

O mel é um produto de qualidade e exemplo de boa interação entre a natureza e o ser humano. O concelho de Vila Pouca de Aguiar também aqui foi bafejado pela natureza, em que essencialmente se produz mel de urze e multifloral (urze, rosmaninho, castanheiro, e outras). Aqui, cerca de cem apicultores trabalham em quase duzentos apiários. Entre a montanha e o vale, há quase cinco mil colónias. No artesanato, o concelho tem cerca de sessenta artesãos a trabalhar em barro, granito, madeira, ferro e linho.

Na tarde de sábado, a partir das 14h, proceder-se-á à abertura oficial do certame, seguida de animação musical até à realização do concurso Doce Mel, que vai atrair variada doçaria confecionada com mel e outras iguarias regionais. À noite, a associação ACREPES irá promover o 22º festival de folclore.

Na manhã de domingo, vários conhecedores do setor irão abordar a apicultura na atualidade e, à tarde, há mais concursos temáticos, nomeadamente qualidade e rótulos de mel. A animação musical na feira vai estender-se à Loja Interativa de Turismo que comemora o seu primeiro ano de atividade. À noite, a associação Aguavelames irá promover um encontro de cantares.

Na segunda-feira, 15 de agosto, a tarde iniciará com as peças de xadrez do 2º open da Associação de Rebordochão que, de seguida, darão lugar às peças de artesanato de um concurso onde imperam a originalidade e a qualidade. Atividades desportivas e culturais preenchem uma feira que se realiza no coração da rainha das termas. 

PROGRAMA

Sábado, 13 de Agosto
14:00h
- Abertura Oficial da XIV Edição da Feira do Mel e do Artesanato
- Animação Musical
18:00h
- “Doce Mel”: Concurso de Doçaria Confecionada com Mel
21:00h
- XXII Festival de Folclore da ACREPES

Domingo, 14 de Agosto
9:30h
- Seminário – “Apicultura na Atualidade”
(Local: Parque Termal de Pedras Salgadas;
Org.: FNAP, Aguiar Floresta, Município de VPA)
14:00h
- Abertura da feira ao público
15:00h
- Concurso de Qualidade do Mel
15:30h
- Concurso dos melhores Rótulos de Mel
17:00h
- Animação Musical
18:00h
- Comemoração do 1º Aniversário da Loja Interativa de Turismo
21:00h
- Encontro de Cantares do Aguavelames

Segunda-feira, 15 de Agosto
14:00h
- Abertura da feira ao público
14:30h
- 2º Open de xadrez da ACDR
15:00h
- Concurso de Peças de Artesanato
16:00h
- Demonstração de Artes Marciais
   Kempo da Associação de Artes Marciais de Pedras Salgadas
17:00h
- Animação Musical
20:00h
- Encerramento da Feira

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Lhonas - anedotas mirandesas


“Lhonas – Anedotas Mirandesas” de Carlos Ferreira
traduçon | tradução Thibaut Ferreira, augarielhas | aguarelas Manuol Bandarra

«Mesmo durante ls tiempos más çficeles, de las lhabutas duras de l campo, ou na tiempos idos de guerra, quando habie que cerrar ls dientes, pegar an armas, deixando todo para acudir i çfender la nuossa Tierra: mesmo nesses tiempos, nunca ls mirandeses se deixórun apoucar, i siempre amanhórun maneira de tocar la gaita i bailar al sou sonido, cuntar lhonas, botar uas risadas d’arredar miedos, alhebantando la cabeça. Giente que se ri, muitas bezes rindo-se deilha mesma, solo puode ser giente buona i baliente, que arrasa muntanhas, por isso ls mirandeses fazírun de la Tierra de Miranda un Praino. Bien haias Carlos por estas Lhonas; bien haias Manuol por tan galanas augarielhas; bien haias Thibaut por seres moço que faç pula nuossa cultura. Un bien haia a to las mirandesas i mirandeses por guardáren riqueza tan guapa.

*

Mesmo durante os tempos mais difíceis, das labutas duras do campo, ou em tempos idos de guerra, quando havia que cerrar os dentes, pegar em armas, deixando tudo para acudir e defender a nossa Terra: mesmo nesses tempos, nunca os mirandeses se deixaram apoucar, e sempre arranjaram maneira de tocar a gaita e dançar ao seu som, contar lhonas, botar umas risadas destemidas d’afasta medos, levantando a cabeça. Gente que ri, muitas vezes que ri dela mesma, só pode ser gente boa e valente, que arrasa montanhas, por isso os mirandeses conseguiram fazer da Terra de Miranda um Planalto. Obrigado Carlos por estas Lhonas, obrigado Manuel por tão belas aguarelas; obrigado Thibaut por seres um jovem que faz pela nossa cultura. Obrigado a todas as mirandesas e mirandeses por guardarem riqueza tão bonita.» Artur Nunes, Presidente da Câmara Municipal de Miranda do Douro

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível do autor o título: “Sendin – Tierra de Miranda – Geografia e Toponímia”]


traga_mundos: da liberdade


«Partilho com um enormíssimo gosto. Conheci a Traga-Mundos de António Alberto Alves e é fascinante. Tive o grato prazer de falar com o seu fundador e vi/senti, naquele espaço, a viva materialização de um sonho. Asseguro-vos que ali há Douro e Trás-os-Montes. A sua cultura, as suas gentes, os seus jeitos, as suas particularidades mais finas. Hoje, à distância, consigo ver ainda com mais nitidez e objectividade a magia da Traga-Mundos e a importância daquele Projecto.
Sinto profundamente que os "gestores da coisa/causa pública" não tenham como princípio fundamental e prioritário promover iniciativas formadoras, criadoras e orientadoras de públicos que se interessem por si próprios, pela sua história, pela sua própria essência... enfim, "pela massa de que são feitos". Só este tipo de auto conhecimento profundo, passível de encontrar em "cada coisa nossa", tanto num livro de A. Pires Cabral, como num fio de azeite transmontano ou num gole de vinho generoso, pode orientar um futuro. A liberdade de poder ser o que se deseja e de tomar decisões conscientes só pode vir do auto conhecimento que a cultura nos proporciona. É obrigação dos poderes públicos projectar sociedades mais livres, mais conscientes e mais activas. (Seriam também mais poderosas! E eu não sei se isto conviria aos "tais poderes").» Dulce Vilas Boas, facebook

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Foi há 5 anos...

FOI HÁ 5 ANOS...

Foi há cinco anos, no dia 2 de Agosto de 2011, que reabri actividade em Portugal, registando nas Finanças de Vila Real a Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro – Património Mundial, tendo como actividade principal a de livraria.

Chegara a 21 de Maio, no seguimento de um trabalho voluntário de quase cinco anos em Canchungo e na Região de Cacheu, na Guiné-Bissau, e de imediato me vi confrontado com a total ineficácia do Centro de Emprego local. Optei então por fazer avançar um projecto – e sonho – que tinha reservado apenas para o que se designa como “o tempo de reforma”: abrir um espaço multi-cultural de livraria e/ou alfarrabista. Em dois meses, (re)visitei a oferta de livrarias, também em diversas cidades, estudei catálogos de editoras, procurei lojas em Vila Real, iniciei contactos, etc. Sobretudo, dei um nome à iniciativa, criei o logotipo e redigi o seguinte conceito orientador – que se foi apurando:

«queremos construir uma referência quando se pensa na região de Trás-os-Montes, nomeadamente do Alto Douro Vinhateiro, seus autores e cultura, vinhos e tradições, produtos e artesanato...».

A 5 de Novembro de 2011 abri a porta da Traga-Mundos na rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28, na zona histórica da cidade e entre comércio tradicional, no espaço onde durante muitos anos esteve a notável Livraria Setentrião.

Estamos a montar um espaço com diversos nichos de interesse...

Uma livraria especializada na temática do Douro, incluindo álbuns de edição cuidada e guias (turísticos, vinhos, vinhos do porto, quintas, castas, etc)...
Onde estão presentes os autores locais e regionais com projecção nacional e universal –  A.M. Pires Cabral, António Cabral, João de Araújo Correia, Miguel Torga, Otílio Figueiredo, etc...
Obras em prosa ou poesia; romances, novelas e contos; livros técnicos e revistas temáticas; álbuns infanto-juvenis e de banda-desenhada; de edições de bolso a álbuns de fotografia; de guias turísticos a cd’s e dvd’s; de edições de autor a edições de associações e outras instituições; em português e an mirandés; num esforço para se reunir e apresentar num mesmo local a riqueza cultural e literária da região de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Uma loja de vinhos do Douro, desde o vinho generoso – também denominado do Porto – ao vinho moscatel, com exemplares de aguardentes velhas. Iremos disponibilizar edições de 10, 20, 30 e mais de 40 anos, bem como LBV e Vintage...
Proporcionamos igualmente brancos e tintos, reservas e outras delicadezas, de produtores particulares da região – que não se encontram nos hipermercados...

Uma loja de mercearia fina: de compotas a ervas aromáticas, de chás a licores, de mel a frutos secos, de sabonetes naturais a azeite extra virgem, privilegiando produtos da agricultura local, familiar e tradicional...

Uma loja de artesanato, desde a olaria negra de Bisalhães a cutelaria, das máscaras a instrumentos de manufactura tradicional, da latoaria a outros artefactos...

Um local onde poderá igualmente encontrar informação turística, sobre eventos, romarias, restauração, alojamento, percursos, museus, igrejas e capelas, parques naturais, etc...

Um espaço de galeria de exposições (pintura, fotografia, escultura, cerâmica, artesanato, etc). Um espaço de diversos eventos (apresentações de livros, tertúlias temáticas, workshops, ateliers, oficinas, etc). Cuja porta é local de encontro e partida para um passeio pedestre ou de uma visita pela região. Um espaço onde simplesmente se está bem – por exemplo, confortavelmente no sofá vermelho!»

[para mais informações ver www.traga-mundos.blogspot.com e página Traga-Mundos no Facebook]

A todos vocês, amigos e familiares, clientes e produtores, escritores e artesãos, livreiros e editores, o nosso muito muito obrigado pelo apoio e interesse ao longo de todo este tempo – que é o que nos faz continuar, teimar, persistir...

António Alberto Alves
2 de Agosto de 2016

Nota: continuamos sem qualquer apoio das entidades responsáveis pela cultura, turismo, comércio, empresas, imprensa, empreendorismo e afins, na cidade de Vila Real e na região de Trás-os-Montes e Alto Douro.

sábado, 30 de julho de 2016

Epistolário do Abade Tavares para o Mestre Leite de Vasconcelos


“O Epistolário do Abade Tavares para o Mestre Leite de Vasconcelos (1895-1932) – Contributo para a História da Etno-Arqueologia Portuguesa” de Carlos d’Abreu

Trata-se da correspondência do Abade Tavares, com o Mestre Leite de Vasconcelos entre 1895 e 1932.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[disponível também do autor os seguintes títulos: “A Linha do Vale do Sabor – Um Caminho-de-Ferro Raiano do Pocinho a Zamora” (coordenação) e “Retratos da Gente e Poética do Instante” (coordenação), fotografias de Paulo Patoleia (legendadas por 50 Autores)]

sábado, 23 de julho de 2016

no PAN - o outro / el otro, Carviçais

A livraria Traga-Mundos foi convidada para participar com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, no PAN - Encontro e Festival Transfronteiriço de Poesia, Património e Arte de Vanguarda, nos dias 29, 30 e 31 de Julho de 2016, em Carviçais, Torre de Moncorvo, Portugal.


PAN Carviçais (Concelho de Torre de Moncorvo)
29, 30 e 31 de julho de 2015
PAN  Morille (Salamanca), 15, 16 e 17 de julho de 2015


Oficinas
Oficina de ilustração: Joana de Rosa
Teresa Martins: "Oficina de costura e tecelagem"

EXPOSIÇÕES

Antigo celeiro da EPAC (Gentilmente cedido por D.ª Felisbela)
Alberto Prieto: "Refugiados, migrantes, pessoas"
Alvaro Chior, Ana Rovati, Borja Llobregat, Cipri Lasheras, Ivan del Rey de la Torre,   Manuel Cerrato, Massao Mascaro, Pedro Vieira, Vera Martín Zelich: Fotografía e intervención: "Nós, estranjeiros"

Antigo colégio

Fakhrosadat Fatemi, Iván, Paula Sánchez, Reyhaneh Alikhani,

Antigo Comércio do Sr. Zézinho (Gentilmente cedido por Jerónimo Teixeira)
Ángel Pérez Almanza: "Um olhar pelos acampamentos sarauís"
Escola Sarauí de Artes (ESA: Walad Awah e Salek Brahim): "Impressões do deserto"
Emhamed e Mohamed: "Servindo chá"

Escola primária
Galeria Vieira Portuense (Porto): Adiasmachado, António Bártolo, Arnaldo Macedo, Carlos Almeida, Carlos Antunes, Carlos Godinho, Dina de Souza, Domingos da Silva, Ester Sousa e Sá, Fátima Ferreira, Henrique Tavares, J. Eliseu (filho), Jorge Bandeira, Jorge Braga, Jorge Vieira, Luís Pedro Viana, Luísa Prior, Luiz Morgadinho, Octávio de Sousa e Silva, Silvana Violante Galería de Arte Benito Esteban (Salamanca): Alfredo Omaña, Andrea Eidenhammer, Cristina Fontsaré, Chema Alonso, Gabriel D. Romero, Jesús Palmero, José Mª Benéitez, Mª Jesús Manzanares

Artista convidado: Alexandre Coxo

Estação Ferroviária de Carviçais: património mineiro

Palheiro da São Lopo (eira da laje): «Do outro tempo» com imagens do Centro de Memória de Torre de Moncorvo e textos do Antonio Sá Gué, Manuel Ambrósio Sánchez, Carlos Carvalheira e João Mendes Rosa. Montajem de Rute Campanha.

Junta de Freguesia
Renato Roque: «Arquivo de Babel»

Animação de rua


Poetas
 Aroa Algaba, Aurora Redondo, Carlos Carvalheira, Carlos da Aira, Francisco Lopes, Genaro da Silva, Isabel Cristina Pires, Isabel Mateus, João Mendes Rosa, Juan José Nieto, Maria Idalina Brito, Maria Vera Roque, Pablo Enguita

Escaparate de entidades, associações e colectividades: apresentação de iniciativas e projectos.
Terreiro do Antigo Colégio
Asociación Cultural El Zurguén, Associação Tr3s Reinos, Editorial Capitulum, Lema d´Origem Editora, Livraria Traga-Mundos, Plataforma RIONOR (Rede Ibérica Ocidental para uma nova Ordenação Raiana), RIBACVDANA – Associação de Fronteira para o Desenvolvimento Comunitário

Fotógrafo do PAN: Renato Roque

Sexta-feira, 29
1
11,00. Conferência de Imprensa. Paços do Concelho de Torre de Moncorvo
17,00. Escola primária. Inauguração do PAN II
17,30. Visita às exposições
19,00. Escola primária. Reunião preparatória das oficinas
21,00. Eira da Lage. Recital poético de Carlos da Aira com a colaboração de Mila da Aira (voz, guitarra, pandeireta).
22,30.Praça da Freguesia. Concerto.  

Sábado, 30
9,00-11,00. Sala da Antiga Escola Primária: Sessão poética: Celia Corral Cañas e João Mendes Rosa*: "O referencial em literatura". Debate.
11,15  Isabel Batata‑Doce: "Cozinha e biografia"
12,00-13,00. Apresentação de livros, iniciativas, projetos
Apresentação da Oficina de Ilustração: Joana de Rosa
A Morte de Germano Trancoso de José Mário Leite:
Hominídeo Humanizado de António Sá Gué
O Messias de Carlos Carvalheira
Signatus, o lobo do fojo de Guende, de Isabel Mateus
A Música do Rio de Patrícia Aires
Versos Fatídicos, de Alfredo Ferreiro
11,00-13,00. Alpendre da Antiga Escola Primária. Oficina de Costura: Teresa Martins
14,30-16,30 e 17,00-19,00: Oficina de Ilustração: Joana de Rosa

16,30-18,00. Alpendre da Antiga Escola Primária. Sessão editorial, projetos associativos e outros: «Presente e futuro». Coordena: António Sá Gué
Francisco Alves: Plataforma RIONOR (Rede Ibérica Ocidental para uma Nova Ordenação Raiana)
Alfredo Ferreiro: «Palavra Comum»
Carlos d’Abreu: Epistolário do Abade Tavares, de Carviçais, com o mestre José Leite de Vasconcelos
Genaro da Silva: "Fraga dos Tr3s Reinos"
Renato Roque: "Arquivo de Babel"
Francisco Alves: "Os Cegos e a Literatura"

16,00-18,00. Alpendre da Antiga Escola Primária. Continuação da oficina de Costura e Tecelagem: Teresa Martins
18, 15. Fonte do Gil. Recital de poesia
21,00. Eira da lage. DOBRAR - NÚCLEO ARTÍSTICO: "Agora também sou Água"
23,00. Praça da Freguesia. Concerto: Despiste Show María del Carmen
24,30. Teatro itinerante: DEMO (Dispositivo Experimental Multidisciplinar e Orgânico) e NOFP (Nova Orquestra Futurista do Porto): "Orpheu 3"



Domingo, 31

10,00-12,00. Estação ferroviária de Carviçais. O Património partilhado: minas. Coordenação. Carlos d´Abreu.
Antonio Areas, Josep Mata

11,00-13,00. Alpendre da Antiga Escola Primária. Continuação da oficina de costura e tecelagem (Teresa Martins)
13,30. "Poesia e tecelagem". Papeis Invertidos. Apresentação da Antologia
18,00. Fonte do Gil. Concerto: Miguel Ángel Naharro
19,30. Eira da Lage. "Anquanto La Lhéngua Fur Cantada", de João Botelho.
21,00. Encerramento do PAN 2016. Ermida de Santa Bárbara. Concerto: Mehnai & Yeyo


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00
259 103 113 | 935 157 323 | traga.mundos1@gmail.com

Próximos eventos:
- de 1 de Julho a 31 de Agosto de 2016: exposição “Do Saudosismo ao Atlantismo – de Teixeira de Pascoaes a Vicente Risco” de Fundación Vicente Risco, uma iniciativa de Cultura Que Une [também no âmbito de “Vila Real – Capital da Cultura do Eixo Atlântico 2016”], na Traga-Mundos, em Vila Real;
- dias 13, 14 e 15 de Agosto de 2016: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, na Feira do Mel e do Artesanato, em Pedras Salgadas, Vila Pouca de Aguiar;
- de 2 a 18 de Setembro de 2016: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2016, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- dia 1 de Outubro de 2016: palestra “Guiné-Bissau, terra sabi!” por António Alberto Alves, na Fundación Vicente Risco, Allariz, Galiza;
- dias 3, 4, 5, 6 e 7 de Outubro de 2016: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no Mountains 2016, no IPB – Instituto Politécnico de Bragança, em Bragança;
- dias 13, 14 e 15 de Outubro de 2016: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no XI Congresso Ibérico de Estudos Rurais, na UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em Vila Real;
- e ao longo de 2016 haverá mais, sempre muito mais...

terça-feira, 19 de julho de 2016

... parabéns à Traga-Mundos

«A «APEL» (Associação Portuguesa de Escritores e Livreiros» decidiu, nos últimos anos divulgar o ranking das livrarias portuguesas mais preferidas pelo público, sendo uma forma de estimular as gerências a cativar os seus clientes. A «Traga-Mundos» (foto anexa), de António Silva, de Vila Real, tem-se esforçado em captar clientes em todo o Norte e até feito incursões na vizinha Galiza e no Brasil. A situação de mercado não está fácil e as grandes editoras tentam vender o bom e o «lixo» nos grandes espaços comerciais. Esta livraria de Vila Real em 2014 obteve o 6.º lugar e em 2015 o 4.º. Em 2016 a votação duplicou e todos querem estar, pelo menos no topo 10. Mesmo assim a Traga-Mundos obteve o 5.º lugar, à frente de outras com mais historial como a Leya – na Barata, a Bertrand – no Chiado, a FNAC - no Chiado e a Lello & Irmãos – no Porto. O 1.º lugar tem sido para «A das Artes» - em Sines. Sem livrarias como a Traga-Mundos, em Vila Real, pouco se conheceria dos autores transmontanos regionais e locais, porque há um grande boicote dos grandes editores e livreiros ao que se produz na província. Por isso, dou os meus parabéns à Traga-Mundos pelo prémio e pela sua luta em difundir a nossa cultura transmontana e alto-duriense e a todos os que preferem as nossas livrarias locais, pólos de irradiação da nossa cultura.
Consulta: «Traga-Mundos - livros e vinhos e coisas do Douro - Património Mundial, Rua Miguel Bombarda, 24 - 5000-625 VILA REAL 259103113/935157323, .traga.mundos1@gmail.com , www.traga-mundos.blogspot.com.» Jorge Lage

[http://tempocaminhado.blogspot.pt/2016/07/livraria-traga-mundos-de-vila-real-das.html]