quinta-feira, 30 de junho de 2016

A Revolução Liberal em Trás-os-Montes (1820-1834)


“A Revolução Liberal em Trás-os-Montes (1820-1834) – O Povo e as Elites” de António Monteiro Cardoso

Mais de meio século volvido sobre o final das lutas liberais ainda se encontra em aberto questão de saber qual a atitude que a população portuguesa assumiu naquele conflito.
A ideia firmada ao longo do século XIX de um apoio popular generalizado à contra-revolução e a D. Miguel, sobretudo por parte da população rural, tem contribuído para um deficiente conhecimento da base social de liberais e absolutistas.
Tomando como objecto de estudo a província de Trás-os-Montes, teatro de sucessivas rebeliões absolutistas, procura-se nesta obra conhecer melhor essas movimentações, bem como os que se lhe opuseram. Incidindo numa área predominantemente rural, o presente estudo insere-se na problemática da politização das camadas populares na primeira metade do século XIX. 
António Monteiro Cardoso é doutor em História Moderna e Contemporânea pelo ISCTE e membro do Centro de Estudos de História Contemporânea Portuguesa.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[disponível também do autor o seguinte título: “Boas Fadas Que Te Fadem”]

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Quatrada - Galandum Galundaina


cd “Quatrada” Galandum Galundaina

Quatrada é o novo disco de Galandum Galundaina que marca o início das comemorações dos 20 anos do grupo.

Este álbum é claramente um trabalho  que prossegue na divulgação e valorização da identidade cultural das Terras de Miranda. As letras e as melodias  do cancioneiro tradicional continuam a alicerçar uma narrativa musical que explora possibilidades de representação entre os valores da memória e os valores da contemporaneidade. As harmonias vocais e instrumentais, tendem para linhas de composição mais elaboradas. A presença da gaita de foles mirandesa torna-se mais evidente no acompanhamento, harmonizando com os restantes instrumentos. A padronização deste instrumento veio a contribuir para isso, tornando-o um instrumento com maior extenção melódica e cromático. A  flauta pastoril, o rabel, o saltério, a sanfona, continuam a dar corpo ao som Galandum Galundaina. Este álbum apresenta pela primeira vez melodias originais para gaita – de- foles mirandesa. As composições e derivações a partir de canções tradicionais, remetem-nos para temas e poemas originais como complemento e enriquecimento dessas mesmas canções. Para enaltecer este trabalho enriquecido pela dinâmica e densidade, há uma abordagem propositada mais elaborada ao nível das percussões.


Este trabalho discográfico  conta com as participações dos Clã, onde Manuela Azevedo dá voz, em língua mirandesa, ao tema “Tanta pomba” e de Zeca Medeiros, que interpreta o tema “Siga a Malta” com letra de Amadeu Ferreira. “Siga a Malta” será apresentado com videoclip em simultâneo com o lançamento deste CD. Das faixas extras fazem parte os temas “Bebe binho” dos Peste e Sida, reinterpretado para as comemorações dos 25 anos do grupo e “Zé Pereira”, tema original de Rui Rodrigues com arranjos e interpretação de Galandum.  À data foram já lançados dois singles com videoclip, “Nós tenemos muitos nabos” e “Para namorar Morena”.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[disponível também do grupo o seguinte título: “Senhor Galandum”]



terça-feira, 28 de junho de 2016

nasceu em Trás-os-Montes


“Aves de Incêndio” de Raquel Serejo Martins, desenhos de Ana Cristina Dias 

"Depois de beijo inaugural
o ângulo agudo fica obtuso,
todas as palavras acentuadas e esdrúxulas.
Depois, o mundo do avesso,
sentes-te um menino travesso,
percebes que há coisas sem preço,
e escolhes sempre a doçura."

Raquel Serejo Martins nasceu em Trás-os-Montes em 1974.
Licenciada em Economia, com pós-graduações em Direito Penal Económico e em Direito Administrativo.
Em Vilarandelo aprendeu a andar de bicicleta e teve aulas de piano.
Em Valpaços começou a fumar.
Em Coimbra aprendeu a nadar e trabalhou na RUC - Rádio Universitária de Coimbra.
Em Braga começou a praticar yôga e adoptou 2 gatos.
Em Guimarães conheceu os companheiros maiores das suas viagens.
Em Lisboa começou com as aulas de sevilhanas e de italiano.
Funcionária da Administração Tributária e Aduaneira, actualmente a desempenhar funções na área criminal fiscal.
Colabora com o blog Clube de Leitores.
Integra o Colectivo NAU.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Do saudosismo ao atlantismo - de Teixeira de Pascoaes a Vicente Risco


Exposição “Do Saudosismo ao Atlantismo – de Teixeira de Pascoaes a Vicente Risco” de Fundación Vicente Risco
de 1 de Julho a 31 de Agosto de 2016
inauguração: dia 8 de Julho de 2016, (sexta-feira), pelas 21h00
uma iniciativa de Cultura Que Une [também no âmbito de “Vila Real – Capital da Cultura do Eixo Atlântico 2016”]
na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro, em Vila Real


A exposição que baixo o título “TEIXEIRA DE PASCOAES –VICENTE RISCO: DO SAUDOSISMO AO ATLANTISMO”, trata da relação inteletual e pessoal entre Vicente Risco e homens da cultura portuguesa ao longo da década do 1920. Partindo do epistolário e das dedicatórias em livros, recolhe a aproximação que desde a Galiza se fez aos movimentos culturais portugueses, nomeadamente Renascença Portuguesa e a A Águia.
  

António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00
259 103 113 | 935 157 323 | traga.mundos1@gmail.com

Próximos eventos:
- 9 de Julho de 2016, pelas 16h00: “O Conto do Montes – histórias e contos infantis e outras magias” por Árvore Azul, na Traga-Mundos, em Vila Real;
- 16 de Julho de 2016, sábado: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, no Mercadinho da Capella, no âmbito do Projeto Capella, em Arroios, Vila Real – inclui também a exposição de escultura por Moisés Tomás;
- dias 16 e 17 de Julho de 2016: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no PAN - Encontro e Festival Transfronteiriço de Poesia, Património e Arte de Vanguarda, em Morille, Salamanca;
- dias 31 de Julho e 1 de Agosto de 2016: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no PAN - Encontro e Festival Transfronteiriço de Poesia, Património e Arte de Vanguarda, em Carviçais, Torre de Moncorvo;
- dia 1 de Outubro de 2016: palestra “Guiné-Bissau, terra sabi!” por António Alberto Alves, na Fundación Vicente Risco, Allariz, Galiza;
- dias 3, 4, 5, 6 e 7 de Outubro de 2016: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no Mountains 2016, no IPB – Instituto Politécnico de Bragança, em Bragança;
- dias 13, 14 e 15 de Outubro de 2016: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no XI Congresso Ibérico de Estudos Rurais, na UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em Vila Real;
- e ao longo de 2016 haverá mais, sempre muito mais...

domingo, 26 de junho de 2016

3.ª Mostra de Saberes e Cultura de Vila Real


A Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real, foi convidada para participar com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, na 3.ª edição da Mostra de Saberes e Cultura de Vila Real, no dia 3 de Julho de 2016, domingo, das 8h00 às 12h00, organizada pela Ad Justes – Associação para o Desenvolvimento de Justes, no Largo dos Bombeiros e no Cimo do Povo, em Justes.

«A Mostra de Saberes e Culturas de Vila Real é um evento regional que visa promover a participação ativa de todos os agentes locais empenhados no desenvolvimento económico e cultural, numa celebração de cidadania. Pretende-se que esta iniciativa seja um eixo do desenvolvimento local no contexto da região de Vila Real.
Estarão presentes associações de desenvolvimento local, produtores agrícolas locais, empresas apostadas no desenvolvimento local, artesãos e associações culturais. Os participantes expõem os seus produtos, em stands, partilhando experiências e saberes ou exibindo a sua arte e cultura.

Realiza-se em Justes, no dia 3 de Julho de 2016 (domingo) das 8h às 12h e será em simultâneo com a feira quinzenal que se realiza em Justes nos dias 3 e 17 de cada mês.»

visitem-nos – e tragam um@ amig@ também...


sábado, 25 de junho de 2016

traga_mundos no VRUM do Rock Nordeste


A Traga-Mundos irá participar com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no VRUM – Urban Market de Vila Real no Rock Nordeste, no dia 2 de Julho de 2016, sábado, das 16h00 às 23h00, no Parque Corgo, junto do Teatro Municipal de Vila Real.

«O VRUM é um Mercado Urbano que dá ao público a oportunidade de conhecer novos trabalhos de artesanato, design de moda, joalharia, ilustração, e ainda encontrar peças únicas junto dos colecionadores e usados.

Tem como objectivo promover o que de bom e melhor se faz na região, por isso só podia estar associado ao melhor festival da região, o Rock Nordeste!» 


[recordamos que a Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real participa no VRUM desde a primeira edição... há um ano, no novo Rock Nordeste. obrigado!]

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Bases de copos em madeira com padrões de azulejo


Bases de Copos em Madeira com Padrões de Azulejo.



Comercializadas em caixas com quatro bases cada.


Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real...
 | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...


quinta-feira, 23 de junho de 2016

O lobo e as estrelas

 

“O Lodo e as Estrelas / L Lhodo i Las Streilhas” de Telmo Ferraz, traduçion pa l mirandês Fracisco Niebro

O Lodo e as Estrelas, inicialmente publicado em 1960, é agora reeditado, em co-edição com a Câmara Municipal de Miranda do Douro, numa versão bilingue, O Lodo e as Estrelas | L Lhodo i las Streilhas, sendo a tradução para mirandês da autoria de Fracisco Niebro, pseudónimo de Amadeu Ferreira.
Nas palavras de Amadeu Ferreira, redigidas em 2010, a obra “é um testemunho extraordinário que fala da língua mirandesa, da maneira como os barragistas faziam troça dos palhantros e da manifestação que os mirandeses, roubados no que era seu, fizeram em Vila Chã a gritar Num queremos acá la Barraige.”


Na contracapa do livro pode ler-se o seguinte texto, em português e mirandês, da autoria do Sr. Presidente do Município de Miranda do Douro, Dr. Artur Nunes:

“Falar de barragens é pensar em recursos energéticos mas o fundamental é…. o Homem. O homem pensou, projectou, trabalhou, fez obra e desenvolveu uma região, seu nome Miranda do Douro.
Ler este livro deixa em mim dois registos: a dedicação do Padre Telmo Ferraz, ao descrever os “desfados” da vida e os registos reais dos que aqui viveram e trabalharam.
Saliento o contributo do saudoso Amadeu Ferreira na tradução desta obra para língua mirandesa. Ele acreditou neste projecto. Uma palavra de gratidão a todos os que contribuíram para que estas estórias reais não sejam esquecidas.
Obrigado Padre Telmo Ferraz
Obrigado Amadeu Ferreira!

Falar de barraiges ye pensar an recursos einergéticos mas l eissencial ye….l Home. L home pensou, porjetou, trabalhou, fizo obra i zambuolbiu ua region, de sou nome Miranda de l Douro.
Ler este lhibro deixa an mi dous registros: la dedicaçon de Padre Telmo Ferraz, al çcrebir ls “çfados” de la bida i ls registros berdadeiros de ls que eiqui bibírun i trabalhórun.
Çtaco l cuntributo, cun soudade, de Amadeu Ferreira que fizo la traduçon deste lhibro para lhéngua mirandesa. El tubo fé ne l porjeto. Ua palabra de bien haia a todos ls que fazírun cun que estas cuontas berdadeiras nun seian squecidas.
Bien haia Padre Telmo Ferraz!
Bien haia Amadeu Ferreira!” 

José Telmo Ferraz é padre e nascido (25.11.1925) em Bruçó, concelho de Mogadouro. Foi pároco na freguesia de Genísio (1951-1953) e depois nas de Vila Chã e Picote (1953-1956), ao tempo em que começava a ser construída uma barragem, passando depois para Miranda do Douro (1956) quando também aí começaram a construir a barragem. Depois seguiu para Angola (1959), quando começa a ser construída a barragem de Cambambe, voltando a Portugal depois de terminada a obra (Natal de 1962). Passado pouco tempo volta a Angola (1963), já na obra da Casa do Gaiato, criando a Casa de Malange, onde se mantém até 1975. Em 1980 é eleito principal responsável da Casa do Gaiato, voltando a Portugal e continuando a dar o seu trabalho à mesma obra. Pela construção da barragem, Picote e as terras em volta converteram-se na meca de todos os deserdados e desprotegidos na procura de trabalho, sem família, sem abrigo, sem dinheiro, sem roupa, cansados das distâncias e os longos caminhos percorridos. A todos o padre Telmo recebeu e ajudou, incentivando-os a conseguir o seu abrigo e ajudando-os a encontrar trabalho. Em Miranda do Douro continuou o mesmo trabalho. Desse período vem o seu livro de poemas O Lodo e as Estrelas (1960, edição de autor), onde mostra as marcas que lhe deixou na alma tudo o que se passava ao seu redor. O livro foi retirado do mercado pela censura do regime de Salazar. Foi publicada uma 2.ª edição em 1975 e uma 3.ª em 1985, pela Casa do Gaiato. Nunca deixou de escrever poemas, no jornal O Gaiato, sempre com a mesma sensibilidade e beleza.


Fracisco Niebro é um dos pseudónimos de Amadeu Ferreira (1950-2015). Foi presidente da ALCM (Associaçon de la Lhéngua i Cultura Mirandesa) e da Academia de Letras de Trás-os-Montes, vice-presidente da CMVM (Comissão do Mercado de Valores Mobiliários) e professor convidado da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa. Autor e tradutor de uma vasta obra em português e em mirandês, também sob os pseudónimos Marcus Miranda e Fonso Roixo, traduziu Mensagem, de Fernando Pessoa, obras de Horácio, Virgílio e Catulo, Os Quatro Evangelhos e duas aventuras de Astérix. Na Âncora Editora publicou as traduções para a língua mirandesa de Os Lusíadas, de Luís Vaz de Camões, e uma edição comemorativa dos 25 anos da adaptação daquela obra para banda desenhada por José Ruy, com quem também colaborou no álbum Mirandês – História de uma Língua e de um Povo, e correspondente versão em mirandês. É autor de La Bouba de la Tenerie/Tempo de Fogo, primeiro romance publicado simultaneamente em mirandês e português, e das obras Norteando, com fotografias de Luís Borges, Ars Vivendi Ars Moriendi (poesia), Lhéngua Mirandesa – Manifesto an Modo de Hino/Língua Mirandesa – Manifesto em Forma de Hino, Ditos Dezideiros – Provérbios Mirandeses e Belheç/Velhice. As obras L’Eiternidade de las Yerbas/A Eternidade das Ervas [Poemas (e)scolhidos], com aguarelas de Manuol Bandarra, e O Fio das Lembranças – Biografia de Amadeu Ferreira, de Teresa Martins Marques, foram apresentados postumamente.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real...
[também disponível os seguintes títulos an mirandés - alguns bilingues: “Ls Lusíadas” de Luís Vaz de Camões, “L Mais Alto Cantar de Salomon” bersion de Fracisco Niebro, “Mirandés – Stória dua lhéngua i dun pobo” e “Ls Lusíadas” banda zenhada José Ruy, “Calantriç de Nineç” de Rapç de la Rue, “La Mona L Maio” José Francisco João Fernandes, “Tra-los-Montes” de Nuno Neves, “L Pastor Que Se Metiu de Marineiro” de Faustino Antão; “Bózios, Retombos i Siléncios / Gritos, Ecos e Silêncios” de Adelaide Monteiro;  “L Segredo de Peinha Campana” texto Fracisco Niebro dezeinhos Sara Cangueiro, “La Bouba de La Tenerie” e “Ars Vivendim Ars Mortendi” de Fracisco Niebro; “La Mona l Maio – Cuontas de la Raia i de l Praino | A Mona de Maio – Contos da Raia e do Planalto” de José Francisco João Fernandes, traduçon / tradução Alcides Meirinhos, eilhustraçones / ilustrações Ana Afonso;  “A Terra de Duas Línguas – II – Antologia de Autores Transmontanos” coordenação: Ernesto Rodrigues e Amadeu Ferreira]

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Guerra Junqueiro: a musa dual


“Guerra Junqueiro: A Musa Dual” (antologia) introdução, selecção de textos e organização de A.M. Pires Cabral

«Com introdução, selecção de textos e organização de A.M. Pires Cabral, Guerra Junqueiro: A musa dual procura revelar o poeta Guerra Junqueiro na plenitude das suas escolhas literárias e ideológicas. Incluindo textos em verso e em prosa, esta antologia divide-se em duas partes: Horas de luta e Vibrações líricas. Na primeira, mostra-se o poeta engagé, reunindo-se nela textos combativos e indignados sobre a monarquia, a igreja e a dissolução moral. Na segunda parte, de teor predominantemente lírico, bucólico e místico, estão presentes as evocações da infância, a exaltação da natureza e dos humildes, as formulações cósmicas e panteístas, a reconciliação religiosa.»

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[disponível também do autor os seguintes títulos: “Contos Para a Infância”]


terça-feira, 21 de junho de 2016

Actos da Cultura Galego-Portuguesa 2016, Pontevedra


Cultura que Une pon esta fin de semana o colofón ás actividades deste 2016 con dúas xornadas de actividades na cidade de Pontevedra.
Postos de libros, clubs de lectura, teatro, presentacións de libros, encontro de poetas, música, gastronomía... Todo para pór de releve a Cultura que (nos) Une dunha e doutra beira dunha Raia máis imaxinaria que real.
Na Casa da Luz – Praza da Verdura.

Venres 24
17:00 Postos de libros e produtos da Terra (Casa da Luz)
18:00 Presentación Clubs de Lectura (Casa da Luz)
21:30 Teatro: “Ibéria, a louca história de uma península” (Praza da Verdura)

Sábado 25
14:00 Xantar. Cociña Trasmontana (Restaurante O Eirado. Praza da Leña)
18:00 Presentación do libro “Contos do Sacauntos. Romasanta, o criminal.” (Ed. (Casa da Luz)
19:00 Encontro e recital poético de poetas de Portugal e Galicia + Micro aberto (*) (Casa da Luz) 
21:00 Concerto: Galandum Galundaina (Praza da Verdura) 

(*) Micro aberto para poetas que desexen recitar poemas propios en lingua galega/portuguesa. O tempo para xs poetas no Micro Aberto decidirase antes do comezo do encontro, dependendo do número de poetas interesadxs en participar.

+ info e participantes:

http://www.fundacionvicenterisco.com/


Libreiros
http://airadasletras.gal/
http://traga-mundos.blogspot.com.es/

“Ibéria, a louca história de uma península”
https://www.facebook.com/peripeciacom
https://www.youtube.com/watch?v=AXVgle4jH_Q

“Contos do Sacauntos. Romasanta, o criminal.”
http://urcoeditora.com/titulos/contos-do-sacauntos-romasantao-criminal

Galandum Galundaina
https://www.facebook.com/GalandumGalundaina

segunda-feira, 20 de junho de 2016

domingo, 19 de junho de 2016

Vinhos do Douro em Pontevedra


Actos da Cultura Galego-Portuguesa 2016, dia 25 de Junho, na Casa da Luz, Praça da Verdura, em Pontevedra – uma iniciativa de Cultura Que Une...

sábado, 18 de junho de 2016

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Banca de livros em Pontevedra


A livraria Traga-Mundos de Vila Real, Portugal, estará com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, dias 24 e 25 Junho em Pontevedra, na Casa da Luz, Praça da Verdura, no âmbito dos Actos da Cultura Galego-Portuguesa 2016, uma iniciativa de Cultura Que Une... 

terça-feira, 14 de junho de 2016

Aos noivos


“Os Noivos” selecção e fixação do texto Ernesto Rodrigues

Os Noivos” reúne poemas de temática amorosa da autoria de Almeida Garrett, Antero de Quental, Camilo Castelo Branco, Camilo Pessanha, Cesário Verde, Fernando Pessoa, Guerra Junqueiro, Luís de Camões e Bocage, entre outros.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[disponível também do autor os seguintes títulos: “A Casa de Bragança” e “Passos Perdidos” (romance), “Do Movimento Operário e Outras Viagens” (poesia), “Mágico Folhetim – Literatura e Jornalismo em Portugal” (estudo), “António José Saraiva e Luísa Dacosta: correspondência” (edição), “A Terra de Duas Línguas – II – Antologia de Autores Transmontanos” coordenação: Ernesto Rodrigues e Amadeu Ferreira]

domingo, 12 de junho de 2016

Mátria em Pontevedra - cultura que une


Sábado 18 de Junho às 20:30 na Casa da Luz- Pontevedra

«Mátria é um projecto de intervenção artística focado em Trás-os-Montes e Alto Douro que tem como objectivo a criação de uma ópera baseada na obra de Miguel Torga, em especial Contos e Novos Contos da Montanha. A população é convidada a participar no processo criativo através de várias iniciativas que cruzam a música com a literatura.»

uma iniciativa de Cultura Que Une, Actos da Cultura Galego-Portuguesa 2016 | Vila Real – Pontevedra

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Livraria Preferida de Portugal 2016

 

car@s amig@s

a traga_mundos agradece a tod@s que votaram, nomeadamente para nos colocarem em 5.º lugar como a livraria preferida dos portugueses em 2016 – concurso de votação online promovida pela APEL – Associação Portuguesa de Editores e Livreiros.

recordamos que em 2014 a traga_mundos obteve o 6.º lugar e em 2015 o 4.º lugar...
este ano, o concurso revelou-se ainda mais competitivo, com um aumento de 50% da votação. a traga_mundos mantém-se no “pelotão da frente”, sendo a livraria mais votada a Norte – somando votos também na Galiza e no Brasil.

a todas as livrarias independentes, e respectiv@s livreir@s, a nossas felicitações – nomeadamente à livraria A das Artes e a Joaquim Gonçalves, recordando que Livros, é nas Livrarias!

a tod@s e a cada um@, um bem-haja...

antónio alberto alves


quinta-feira, 9 de junho de 2016

Clube Traga-Júnior


Orçamento Participativo 2016
Junta de Freguesia de Vila Real
projecto n.º 7 - VOTE

CLUBE TRAGA-JÚNIOR
[em parceria com a livraria Traga-Mundos]

Promoção da Cultura Transmontana junto de crianças e jovens.

Público - alvo: Crianças e jovens.

Objetivos:
- Divulgar e promover a Cultura Transmontana nas suas diversas vertentes;
- Fomentar o contacto/convívio com as diversas comunidades transmontanas;
- Promover o convívio intergeracional;
- Intercâmbio cultural com crianças e jovens da Galiza em parceria com a livraria Airas das Letras de Allariz, Galiza.



quarta-feira, 8 de junho de 2016

Mercadinho da Capella #3, Arroios

A livraria Traga-Mundos foi convidada para participar com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, no Mercadinho da Capella #3, que irá decorrer no dia 18 de Junho de 2016, sábado, a partir das 18h30, no âmbito do Projeto Capella, em Arroios, Vila Real – inclui também a actuação do colectivo Calhau e Cronópios e Famas, às 18h00, “Só tenho uma vida e nela quero ter tempo para me construir e para me destruir”.

terça-feira, 7 de junho de 2016

Montesinho - a serra e os homens


“Montesinho – a Serra e os Homens” fotografias Fernando Ferreira textos Luís Pires

«”Montesinho, a Serra e os Homens” é um verdadeiro caso de amor telúrico dos seus autores pelo imenso calhau de granito que é a Serra de Montesinho, e que guarda ao colo a aldeia com o mesmo nome que viu nascer os dois autores do livro. De Portelo a Montesinho, à Serra Serrada, aos Lameiros do Santo e à Lama Grande, das nascentes do Sabor a Soutelo e daqui à Aldeia de França, são milhares de hectares de belezas rudes e selvagens mas também suaves e silenciosas. De qualquer canto pode surgir um veado ou um corço, uma raposa ou mesmo um lobo, sem esquecer a águia real que também ainda habita por estas paragens. Fernando Ferreira, fotógrafo repórter, com vários livros publicados, nomeadamente sobre a Córsega, percorreu todas essas áreas variadíssimas vezes, do nascer do dia ao sol posto, ao longo dos últimos 16 anos, tendo captado quase todas as formas e luzes possíveis nas diferentes estações do ano. Os textos deste livro procuram igualmente captar um passado recente, quase desaparecido, porque a velocidade a que tudo hoje acontece o torna longínquo.»

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível o seguinte título: “Parque Natural de Montesinho” (guia)]


segunda-feira, 6 de junho de 2016

Prémio Antón Risco de Literatura Fantástica 2016


BASES II PREMIO ANTÓN RISCO DE LITERATURA FANTÁSTICA:

Urco Editora, a Fundación Vicente Risco, Auga Editora, Sacauntos Cooperativa Gráfica, Libraría Aira das Letras, Livraria Traga-mundos, Pastelería Fina Rei e A Fábrica de Vilanova, convocan conxuntamente o

«II Premio Antón Risco de Literatura Fantástica», a fin de homenaxear o escritor e teórico da literatura alaricano Antón Martínez-Risco Fernández. Continuador do gusto polo fantástico do seu pai, don Vicente Risco (a quen podemos considerar introdutor do xénero fantástico na literatura galega coa obra Do caso que lle aconteceu ao Dr. Alveiros en 1919), Antón Risco foi un profundo teorizador da literatura fantástica con obras como Serpentáguila (Notas de un lector de poesía), Quebec (Canadá), Ediciones Hipogrifo, 1986; Literatura fantástica de lengua española (Teoría y aplicaciones), Madrid, Taurus, 1987; Viaxes á América Latina á procura de literatura fantástica. Sada (A Coruña), Edicións do Castro, 1987. Tamén cabe salientar o seu labor de editor en Antoloxía da literatura fantástica en lingua galega, Vigo, Galaxia, 1991. Asemade, foi prolífico escritor de novelas e relatos fantásticos, moitos deles aínda inéditos.

Por tal motivo e co fin de continuar o seu labor de divulgar o xénero fantástico convoca este premio conforme as seguintes BASES:

Primeira: Poderá concorrer a este premio calquera persoa que presente escritos inéditos da súa autoría redactados en lingua galega ou portuguesa, cunha extensión mínima de 150.000 caracteres con espazos e máxima de 600.000.

Segunda: O prazo de entrega remata o día 30 de setembro de 2016 e os orixinais deberán entregarse na sede de Urco Editora, en Rúa do Avío, 11 baixo – 15705 Compostela, ben de xeito presencial, ben por correo postal ou mensaxería, sen que consten no exterior datos identificativos do/a autor/a.

Terceira: Os orixinais presentaranse en formato PDF, ODT ou DOC, gravados nun CD ou nunha memoria externa, maquetados en formato DIN-A4, en letra Times ou semellante de corpo 12 e a dobre espazo. Alternativamente, poden enviarse en papel, caso no que deberán entregarse 5 copias debidamente encadernadas.
Calquera orixinal entregado en letra Comic Sans será automaticamente descartado e o/a autor/a denunciado/a ante as autoridades competentes.
Os orixinais, veñan en CD ou en papel, irán acompañados dun sobre fechado que conterá a identidade do/a autor/a (nome completo, enderezo, teléfono e correo electrónico) e o título definitivo da súa obra, facendo constar no exterior só o título ou lema da mesma.

Cuarta: A obra gañadora será premiada con 3000 euros (suxeitos ás retencións fiscais pertinentes) e a publicación do libro. Urco editora será a encargada da edición e publicación da mesma en lingua galega ou portuguesa e Auga editora da tradución, edición e publicación en lingua española.

Quinta: O Xurado estará composto por cinco persoas escollidas entre personalidades recoñecidas do mundo da literatura e da edición.

Sexta: Se a calidade literaria das obras non fose estimábel, segundo o criterio do Xurado, o premio poderá declararse deserto.

Sétima: A contía do premio considérase en concepto de anticipo polos dereitos de autoría, polo que Urco Editora, Auga Editora e demais convocantes, resérvanse o dereito de publicación da primeira edición da obra gañadora en lingua galega ou portuguesa e castelá. O/A beneficiario/a do premio, recibirá gratuitamente 25 exemplares da obra publicada en cada lingua e na adquisición doutros exemplares contará cun desconto do 50%. Asemade, a persoa gañadora do premio será convidada a formar parte do xurado na seguinte edición. Se os dereitos de autoría xerados polas vendas superasen a contía do premio, procederase a liquidar periodicamente os mesmos con normalidade.

Oitava: As entidades convocantes resérvanse o dereito a publicar, xunto co fallo, os lemas das obras finalistas cuxa publicación recomendase o Xurado, mais sen abrir a plica, para respetar así a súa anonimidade. Os/As autores/as das obras mencionadas que así o desexen, poderán pórse en contacto coas entidades convocantes para trataren o tema da publicación.

Novena: Os orixinais que non resulten premiados serán devoltos aos seus autores e autoras no caso de o requiriren por escrito antes de rematar o mes seguinte á decisión do Xurado.
Décima: O fallo do Xurado terá lugar en Allariz, na Fundación Vicente Risco, durante o mes de decembro de 2016.

Undécima: A participación neste premio leva de seu a aceptación das presentes Bases, así como a decisión do Xurado, que será inapelábel.

domingo, 5 de junho de 2016

Ensemble Hotteterre em Pontevedra - cultura que une


Concerto de Música Culta: Ensemble Hotteterre
Igreja de São Bartolomeu
Pontevedra, Galiza


uma iniciativa de Cultura Que Une, Actos da Cultura Galego-Portuguesa 2016 | Vila Real – Pontevedra