domingo, 31 de julho de 2016

Cantadeira de Barro de Arén - Manuela Cortizo Medal


“Cantadeira de Barro de Arén – Manuela Cortizo Medal” de Xosé Lois Foxo

Con 82 anos de idade, Manuela Cortizo Medal acumula unha intensa experiencia como cantareira. Agora, da man de Inquedanzas Sonoras, ve a luz Cantareira de Barro de Arén, un libro-CD-DVD que recolle un estudo sobre a súa figura da man de Xosé Lois Foxo. Cantos de ronda, xotas, muiñeiras, mazurcas, cantos de oficios e romances danse cita nun disco que amosa preto de oitenta pezas interpretadas por Cortizo unicamente coa súa voz e a pandeireta. Sobre a mesma cantareira xa publicara Calros Solla unha compilación de máis de mil coplas co título de “Cantares de Manuela de Barro”.


«A Terra de Montes é unha das reservas naturais do folclore galego e Manuela Cortizo Medal -coñecida como Manuela de Arén- é un dos máximos expoñentes da tradición que esmorece. Para preservar para a posteridades toda esa riqueza galega por vía oral, o músico ourensán Xosé Lois Foxo acodeu a Manuela Cortizo e fixo unha meticulosa labor de recollida que verá a luz nuns meses nunha obra que incluirá tres formatos: libro, cedé e deuvedé.

Segundo explicou o promotor da iniciativa e director da Real Banda de Gaitas de Ourense, a obra reúne un cento de cantigas ou composicións musicadas e preto dun milleiro de coplas, tanto en galego como en castelán. As coplas son composicións de catro versos, moitas veces de creación propia. Manuela de Arén garda na súa memoria prodixiosa case un milleiro que abarcan moitos dos xéneros da música popular. Hai romances, cantares de seitura, cantares de arrieiro, de cregos, de Nadal, de Reis ou de Antroido. Entre eles figura algún singular, coma o Cantar do alfareiro que Manuela interpretou o sábado pasado no acto de recollida da Medalla do Gaiteiro que este ano lle concedeu a organización da festa soutelana.

Algunhas das coplas están moi vencelladas á comarca. Unha delas está dedicada, precisamente, ó mítico Gaiteiro de Soutelo, Avelino Cachafeiro.

A obra será editada pola Deputación de Ourense baixo o título A cantareira de Barro de Arén, Manuela Cortizo Medal. Aínda non hai data para a presentación, pero Xosé Lois Foxo espera poder levala a cabo antes de que remate o ano. O disco, duns oitenta minutos, recolle en torno a un centro de pezas nas que Manuela canta e toca a pandeireta. Sen máis adornos.

Foxo ten bautizado a Manuela de Arén como «a cantareira maior de Galicia». Non é pola idade -aínda que Manuela leva dando guerra desde 1930- senón polas súas cualidades como cantareira. «Te un estilo moi identificable e conserva todo o sabor do pasado», explica o músico. «É das poucas persoas que mantén a gracia de antes. Co tempo deuse un cambio na expresión do canto, pero ela conserva o sabor do pasado, ó contrario que outras cantareiras que xa están moi mediatizadas», comenta Foxo.

Segundo Xosé Lois Foxo, Manuela tén unha forma melismática de cantar difícil de reflexar nos pentagramas. «Moitas veces, para transcribir a súa música vémonos obrigados a prescindir do pentagrama porque temos problemas para reflexar nel os melismas ou fluctuacións do canto. Tén o típico ornamento dos cantares de seitura, as inflexións sobre a mesma vocal», explica.» Rocío García, “La Voz de Galicia”

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível do autor: “Os Segredos da Gaita” de Xosé Lois Foxo 6ª Edición correxida e aumentada, "Músicas do Caurel - Cantares da Serra" Volume II, "Músicas do Caurel - Cantares da Serra" Volume III, "Cantares da Terra das Frieiras - A Gudiña" Volume I, "Cancioneiro Oencia e Contorna" 3 cd + 1 dvd, "Os Últimos Brindeiros de Forgas" cd + dvd, "Cantareira de Barro de Arén - Manuela Cortizo Medal" contén CD e DVD; Cantares da Cega do Covelo – Lucía da Conceição Fernándes” por Xosé Lois Foxo, estudio etnográfico: Xosé Rodríguez Cruz, correción lingüistica: Mário Correia, livro + cd]

sábado, 30 de julho de 2016

Epistolário do Abade Tavares para o Mestre Leite de Vasconcelos


“O Epistolário do Abade Tavares para o Mestre Leite de Vasconcelos (1895-1932) – Contributo para a História da Etno-Arqueologia Portuguesa” de Carlos d’Abreu

Trata-se da correspondência do Abade Tavares, com o Mestre Leite de Vasconcelos entre 1895 e 1932.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[disponível também do autor os seguintes títulos: “A Linha do Vale do Sabor – Um Caminho-de-Ferro Raiano do Pocinho a Zamora” (coordenação) e “Retratos da Gente e Poética do Instante” (coordenação), fotografias de Paulo Patoleia (legendadas por 50 Autores)]

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Os segredos de Constança


“Os Segredos de Constança” de José Braga-Amaral, ilustação Nósnalinha

Constança, princesa do Reino da Terra Nova, é uma menina ainda pequenina, mas diferente de todas as outras. Para além de ter os cabelos de ouro e os olhos da cor das amêndoas doces, é também preguiçosa, vaidosa e às vezes teimosa, mas muito doce.

Tanta é a sua imaginação que criou os seus próprios segredos: histórias de encantar com fadas e princesas, ratinhos e bailarinas, jardins de retratos, presépios e pássaros com sobrancelhas que são asas de voar.

Os Segredos de Constança são dez histórias de encantar com cheirinho de verdade e dez recados para dar.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível do autor os seguintes títulos: “Cinco histórias num instante”, ilustrações de Helena Lobo; “O Contador de Histórias dos Jardins Suspensos”, desenhos de Fernando Guichard; “Por Debaixo da Pele do Douro”, pinturas de Odete Marília; “quartos de lua e folhas de outono”, fotografias do autor; “lápis, pincel e almas...”, desenhos de Helena Lobo; “na pele do rio”, óleos de Odete Marília, “Quero Dizer-te, Amor”, pinturas de Júlia Fernandes; “palavras que o Douro tece – antologia de textos durienses contemporâneos” organização e coordenação; “à conversa com João de Araújo Correia” (teatro), “A Plebeia” (romance)]


quinta-feira, 28 de julho de 2016

coração Douro


magnético Douro coração

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Branca Morte


“Branca Morte” Eduarda Chiote
capa e «horstexte» de Jorge Pinheiro

Eduarda Chiote nasceu em Bragança, em 1930. De formação filosófica, trabalhou em áreas diversificadas: psicologia industrial, cinema, literatura. Gosta de ideias claras, belas e desafiantes e encara a escrita como um vício.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível da autora o seguinte título: “Não Me Morras”]


terça-feira, 26 de julho de 2016

Atlas das Aves Nidificantes em Portugal


“Atlas das Aves Nidificantes em Portugal”
com 590 páginas a cores, inclui cerca de 200 desenhos originais da autoria de alguns dos melhores artistas portugueses de ilustração científica.

O Atlas das aves que nidificam em Portugal faz a inventariação das 235 espécies nidificantes, das quais 221 autóctones, e, entre estas, 205 com nidificação regular. Retrata o período de 1999 a 2005.

Os atlas das aves que nidificam em Portugal fornecem informação sobre a distribuição num determinado momento das espécies nidificantes em Portugal continental e nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Nos casos em que é possível, caracterizam também a abundância das populações nacionais dessas espécies.

Para além da caracterização da distribuição das espécies, o atlas, enquanto projeto continuado no tempo, permite detetar eventuais mudanças na composição e riqueza específica das comunidades de aves a diferentes escalas espaciais (local, regional, continental), assegurando um meio eficaz para monitorizar alterações no meio. É também fonte de dados considerável para a realização de estudos de ecologia que permitem esclarecer tendências espaciais e criar modelos de predição.

Relativamente ao anterior atlas nacional (Rufino, 1989), existem três diferenças principais:

– a inclusão das regiões autónomas da Madeira e dos Açores;
– a caracterização espacial da abundância de grande número de espécies; e
– o uso de uma rede cartográfica com maior nível de detalhe (10x10 km).

Foram registadas como nidificantes mais 11 espécies autóctones do que no atlas anterior (Rufino, 1989), 5 das quais com nidificação regular. Entre as espécies não autóctones, apenas o bico-de-lacre Estrilda astrild havia sido registado no anterior atlas nacional, pelo que são agora apresentadas mais 13 espécies.

O projeto envolveu a participação de cerca de 500 colaboradores voluntários(as), mais de uma dezena de colaboradores(as) profissionais e várias equipas de trabalho na organização. Resulta da parceria fundamental com três outras entidades, nomeadamente a SPEA- Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (associação não governamental que trabalha para a conservação das aves e dos seus habitats em Portugal e que reúne inúmeros associados interessados neste grupo faunístico) o Parque Natural da Madeira (PNM) e a Direção Regional do Ambiente dos Açores (DRA), entidades com competência em matéria de conservação das aves selvagens nas regiões autónomas.

Capítulos:
- Introdução: 17-19;
- Metodologia: 19-36;
- Breves notas geográficas: 37-39;
- Biogeografia e uso do território: 41-50;
- Resultados Gerais: 51-55;
- Biogeografia e conservação das Aves nidificantes em Portugal Continental: 57-66;
- Alterações na distribuição da avifauna portuguesa: bosquejo de algumas das grandes tendências
do século XIX ao XXI: 67-83;
- Resultados por espécies: 85-509;
- Espécies autóctones com nidificação irregular;
- Espécies não autóctones com nidificação regular;
- Espécies não autóctones com nidificação irregular;
- Bibliografia: 555-565; e
- Anexos I, II, III e IV

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...

[também disponível o seguinte título: “Guia de Aves” - O guia de campo mais completo das aves de Portugal e da Europa, texto e mapas Lars Svensson, ilustrações e legendas Killian Mullarney e Dan Zetterström]


segunda-feira, 25 de julho de 2016

papa-formigas

papa-formigas


«Da árvore braquiquito, saiu este papa-formigas.»

 das artes de João Pinto Vieira da Costa
Flora de Brincadeiras



Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... ... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...

domingo, 24 de julho de 2016

Anos difícieis


“Anos Difíceis” de António Barreto

«Finalmente, um traço dominante deste período é o do uso intensivo e persistente da propaganda e de todas as formas de construção e orientação da informação. Estes últimos anos marcam a consolidação do modo profissional de informar a população. Governo, partidos políticos, grupos parlamentares, grandes grupos económicos, associações empresariais e sindicatos recorrem, cada vez mais e agora de modo consistente, a organizações especializadas de comunicação. Este esforço é, obviamente, liderado pelo governo, com recursos ilimitados para dirigir a informação e organizar a comunicação, de acordo com os seus interesses e conveniências. São centenas, talvez milhares de profissionais, incluindo muitos jornalistas, a exercer as suas actividades de comunicação em conformidade com as expectativas dos seus mandantes. A actividade política desenrola-se agora de acordo com o que se chama, na gíria, a “agenda” política. Esta é uma mera construção de conveniência, uma maneira de condicionar a informação e a opinião.» [Da Apresentação]


Este livro é uma colectânea de «Retratos da Semana» publicados entre 2003 e 2009, no jornal Público.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível do autor os seguintes títulos: "Novos Retratos do Meu País", "Uma Década", "Tempo de Mudança", "Tempo de Incerteza", "Sem Emenda"; "Fotografias", "Douro - Rio, Gente e Vinho"]

sábado, 23 de julho de 2016

O Homem da Gaita de José Afonso


“O Homem da Gaita” texto de José Afonso, ilustrações de Rui Pedro Lourenço

Vai de folia! Vai de folia! Numa terra cinzenta e sem alegria, onde cada um vive mergulhado nas suas preocupações, um homem tem o condão de pôr toda a gente a dançar. "O homem da gaita", canção que faz parte do álbum "Com as minhas tamanquinhas" editado em 1976, é a versão criada por Zeca Afonso para contar esta história tradicional portuguesa.

José Afonso pegou nesta história e recriou-a, à sua maneira, em forma de poema/letra de canção. Aqui, música e palavras funcionam como um todo, acrescentando conteúdo, imagens e sensações. A sua simplicidade faz-nos viajar e sonhar com outras histórias, de aldeias perdidas no tempo, onde homens e bichos convivem paredes meias e os mistérios se revelam nas coisas mais simples.

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível do autor o título: cd “Os Vampiros” de Dr. José Afonso]


sexta-feira, 22 de julho de 2016

no PAN - o outro / el otro, Carviçais

A livraria Traga-Mundos foi convidada para participar com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, no PAN - Encontro e Festival Transfronteiriço de Poesia, Património e Arte de Vanguarda, nos dias 29, 30 e 31 de Julho de 2016, em Carviçais, Torre de Moncorvo, Portugal.


PAN Carviçais (Concelho de Torre de Moncorvo)
29, 30 e 31 de julho de 2015
PAN  Morille (Salamanca), 15, 16 e 17 de julho de 2015


Oficinas
Oficina de ilustração: Joana de Rosa
Teresa Martins: "Oficina de costura e tecelagem"

EXPOSIÇÕES

Antigo celeiro da EPAC (Gentilmente cedido por D.ª Felisbela)
Alberto Prieto: "Refugiados, migrantes, pessoas"
Alvaro Chior, Ana Rovati, Borja Llobregat, Cipri Lasheras, Ivan del Rey de la Torre,   Manuel Cerrato, Massao Mascaro, Pedro Vieira, Vera Martín Zelich: Fotografía e intervención: "Nós, estranjeiros"

Antigo colégio

Fakhrosadat Fatemi, Iván, Paula Sánchez, Reyhaneh Alikhani,

Antigo Comércio do Sr. Zézinho (Gentilmente cedido por Jerónimo Teixeira)
Ángel Pérez Almanza: "Um olhar pelos acampamentos sarauís"
Escola Sarauí de Artes (ESA: Walad Awah e Salek Brahim): "Impressões do deserto"
Emhamed e Mohamed: "Servindo chá"

Escola primária
Galeria Vieira Portuense (Porto): Adiasmachado, António Bártolo, Arnaldo Macedo, Carlos Almeida, Carlos Antunes, Carlos Godinho, Dina de Souza, Domingos da Silva, Ester Sousa e Sá, Fátima Ferreira, Henrique Tavares, J. Eliseu (filho), Jorge Bandeira, Jorge Braga, Jorge Vieira, Luís Pedro Viana, Luísa Prior, Luiz Morgadinho, Octávio de Sousa e Silva, Silvana Violante Galería de Arte Benito Esteban (Salamanca): Alfredo Omaña, Andrea Eidenhammer, Cristina Fontsaré, Chema Alonso, Gabriel D. Romero, Jesús Palmero, José Mª Benéitez, Mª Jesús Manzanares

Artista convidado: Alexandre Coxo

Estação Ferroviária de Carviçais: património mineiro

Palheiro da São Lopo (eira da laje): «Do outro tempo» com imagens do Centro de Memória de Torre de Moncorvo e textos do Antonio Sá Gué, Manuel Ambrósio Sánchez, Carlos Carvalheira e João Mendes Rosa. Montajem de Rute Campanha.

Junta de Freguesia
Renato Roque: «Arquivo de Babel»

Animação de rua


Poetas
 Aroa Algaba, Aurora Redondo, Carlos Carvalheira, Carlos da Aira, Francisco Lopes, Genaro da Silva, Isabel Cristina Pires, Isabel Mateus, João Mendes Rosa, Juan José Nieto, Maria Idalina Brito, Maria Vera Roque, Pablo Enguita

Escaparate de entidades, associações e colectividades: apresentação de iniciativas e projectos.
Terreiro do Antigo Colégio
Asociación Cultural El Zurguén, Associação Tr3s Reinos, Editorial Capitulum, Lema d´Origem Editora, Livraria Traga-Mundos, Plataforma RIONOR (Rede Ibérica Ocidental para uma nova Ordenação Raiana), RIBACVDANA – Associação de Fronteira para o Desenvolvimento Comunitário

Fotógrafo do PAN: Renato Roque

Sexta-feira, 29
1
11,00. Conferência de Imprensa. Paços do Concelho de Torre de Moncorvo
17,00. Escola primária. Inauguração do PAN II
17,30. Visita às exposições
19,00. Escola primária. Reunião preparatória das oficinas
21,00. Eira da Lage. Recital poético de Carlos da Aira com a colaboração de Mila da Aira (voz, guitarra, pandeireta).
22,30.Praça da Freguesia. Concerto.  

Sábado, 30
9,00-11,00. Sala da Antiga Escola Primária: Sessão poética: Celia Corral Cañas e João Mendes Rosa*: "O referencial em literatura". Debate.
11,15  Isabel Batata‑Doce: "Cozinha e biografia"
12,00-13,00. Apresentação de livros, iniciativas, projetos
Apresentação da Oficina de Ilustração: Joana de Rosa
A Morte de Germano Trancoso de José Mário Leite:
Hominídeo Humanizado de António Sá Gué
O Messias de Carlos Carvalheira
Signatus, o lobo do fojo de Guende, de Isabel Mateus
A Música do Rio de Patrícia Aires
Versos Fatídicos, de Alfredo Ferreiro
11,00-13,00. Alpendre da Antiga Escola Primária. Oficina de Costura: Teresa Martins
14,30-16,30 e 17,00-19,00: Oficina de Ilustração: Joana de Rosa

16,30-18,00. Alpendre da Antiga Escola Primária. Sessão editorial, projetos associativos e outros: «Presente e futuro». Coordena: António Sá Gué
Francisco Alves: Plataforma RIONOR (Rede Ibérica Ocidental para uma Nova Ordenação Raiana)
Alfredo Ferreiro: «Palavra Comum»
Carlos d’Abreu: Epistolário do Abade Tavares, de Carviçais, com o mestre José Leite de Vasconcelos
Genaro da Silva: "Fraga dos Tr3s Reinos"
Renato Roque: "Arquivo de Babel"
Francisco Alves: "Os Cegos e a Literatura"

16,00-18,00. Alpendre da Antiga Escola Primária. Continuação da oficina de Costura e Tecelagem: Teresa Martins
18, 15. Fonte do Gil. Recital de poesia
21,00. Eira da lage. DOBRAR - NÚCLEO ARTÍSTICO: "Agora também sou Água"
23,00. Praça da Freguesia. Concerto: Despiste Show María del Carmen
24,30. Teatro itinerante: DEMO (Dispositivo Experimental Multidisciplinar e Orgânico) e NOFP (Nova Orquestra Futurista do Porto): "Orpheu 3"



Domingo, 31

10,00-12,00. Estação ferroviária de Carviçais. O Património partilhado: minas. Coordenação. Carlos d´Abreu.
Antonio Areas, Josep Mata

11,00-13,00. Alpendre da Antiga Escola Primária. Continuação da oficina de costura e tecelagem (Teresa Martins)
13,30. "Poesia e tecelagem". Papeis Invertidos. Apresentação da Antologia
18,00. Fonte do Gil. Concerto: Miguel Ángel Naharro
19,30. Eira da Lage. "Anquanto La Lhéngua Fur Cantada", de João Botelho.
21,00. Encerramento do PAN 2016. Ermida de Santa Bárbara. Concerto: Mehnai & Yeyo


António Alberto Alves
Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro
Rua Miguel Bombarda, 24 – 26 – 28 em Vila Real
2.ª, 3.ª, 5.ª, 6.ª, Sáb. das 10h00 às 20h00 e 4.ª feira das 14h00 às 23h00
259 103 113 | 935 157 323 | traga.mundos1@gmail.com

Próximos eventos:
- de 1 de Julho a 31 de Agosto de 2016: exposição “Do Saudosismo ao Atlantismo – de Teixeira de Pascoaes a Vicente Risco” de Fundación Vicente Risco, uma iniciativa de Cultura Que Une [também no âmbito de “Vila Real – Capital da Cultura do Eixo Atlântico 2016”], na Traga-Mundos, em Vila Real;
- dias 13, 14 e 15 de Agosto de 2016: participação com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, na Feira do Mel e do Artesanato, em Pedras Salgadas, Vila Pouca de Aguiar;
- de 2 a 18 de Setembro de 2016: participação com stand na Feira do Livro do Porto 2016, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto;
- dia 1 de Outubro de 2016: palestra “Guiné-Bissau, terra sabi!” por António Alberto Alves, na Fundación Vicente Risco, Allariz, Galiza;
- dias 3, 4, 5, 6 e 7 de Outubro de 2016: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no Mountains 2016, no IPB – Instituto Politécnico de Bragança, em Bragança;
- dias 13, 14 e 15 de Outubro de 2016: participação com uma banca de livros, mais algumas coisas e loisas, no XI Congresso Ibérico de Estudos Rurais, na UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em Vila Real;
- e ao longo de 2016 haverá mais, sempre muito mais...

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Viajar com... Luísa Dacosta


“Viajar com… Luísa Dacosta” de Ramiro Teixeira

«A coleção "Viajar com…" pretende dar a conhecer alguns dos mais relevantes escritores da literatura portuguesa. Com eles visitaremos os lugares destes escritores e das suas obras, trilharemos os mesmos caminhos e admirar-nos-emos perante as mesmas paisagens, sejam elas os campos verdejantes do Minho, as águas do Atlântico, a sobriedade granítica do Porto ou a tenaz humanidade das terras transmontanas e durienses.
Neste sétimo volume, profusamente ilustrado com fotografais atuais e antigas, viajamos com Luísa Dacosta, uma das Autoras que traduzem a modernidade da Literatura Portuguesa escrita no feminino.»

 

A autora nasceu em Vila Real, algumas portas mais acima da porta da livraria Traga-Mundos... Mais uma razão para termos como desígnio disponibilizar sempre a obra completa que se encontra no momento no mercado editorial:
- “Natal Com Aleluia”;
- “Um Olhar Naufragado” (Diário II);
- caixa: “A Maresia e o Sargaço dos Dias”, “Natal Com Aleluia” e “De Mãos Dadas Estrada Fora...” + “Luísa Dacosta – Entre Sílabas de Luz” (Pequena Fotobiografia) por Laura Castro;
- caixa: “A-Ver-O-Mar” com desenhos de Armando Alves, “Morrer A Ocidente” com desenhos de Jorge Pinheiro + “Eu Fui Ao Mar Às Laranjas” um ensaio sobre Luísa Dacosta por Maria Alzira Seixo;
- obras completas de Luísa Dacosta para a infância: “A Rapariga e o Sonho”, “Robertices”, “A Menina Coração de Pássaro”, “O Príncipe Que Guardava Ovelhas”, “Sonhos na Palma da Mão”, “O Perfume do Sonho, na Tarde”, “O Elefante Cor-de-Rosa”, “O Rapaz Que Sabia Acordar a Primavera”, “História Com Recadinho”, “Lá Vai Uma... Lá Vão Duas”, “Teatrinho do Romão”;
- “António José Saraiva e Luísa Dacosta: correspondência” edição de Ernesto Rodrigues.
Todas as obras disponíveis na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...


quarta-feira, 20 de julho de 2016

Mensaige an mirandés, de Fernando Pessoa


“Mensaige” de Fernando Pessoa
puosta na mirandés por Fracisco Niebro

Trata-se da primeira obra de Fernando Pessoa a ser traduzida e editada em mirandês, por Fracisco Niebro (pseudónimo de Amadeu Ferreira).

«QUINTO

D. FONSO ANRIQUEÇ

Pai, fuste cabalheiro.
Hoije la bela ye nuossa.
Dá-mos l eisemplo anteiro
I tue anteira fuorça!

Dá, contra l’hora an que, arrada,
Nuobos anfiéles bínçan,
La bençon cumo spada,
La spada cumo bençon!»


«Se a luta pela sobrevivência do mirandês enquanto língua viva e autónoma tem sido uma tarefa árdua e incansável de uma grande diversidade de agentes, com Amadeu Ferreira sempre na linha da frente, já esta obstinação, num primeiro momento longínqua e utópica, de dotar o mirandês de uma literatura escrita, de uma dimensão literária, só a ele é devido o reconhecimento de tal autoria (...).» Fernando de Castro Branco, prefácio

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponível os seguintes títulos an mirandés - alguns bilingues: "Antre Monas i Sbolácios" Adelaide Monteiro, "Camino de la Cándena" Alcides Meirinhos, "Ua Antologie - Poeta Mirandés" Fernando de Castro Branco, "L Ancuontro" Valter Deusdado, "L Bózio de Las Raízes" Rosa Maria Fernandes Martins, "L Mais Alto Cantar de Salomon" bersion de Fracisco Niebro, "L Pastor Que Se Metiu de Marineiro" Faustino Antão, "L Purmeiro Libro de Bersos" Fonso Roixo, "L Segundo Libro de Bersos" Fonso Roixo, "La Paixarina Azul i Outras Cuontas" Bina Cangueiro, "Ls Bersos de Jantonho" José António Esteves, "Lucrécia Cunta-mos Como Era" Alcina Pires, "Nuobas Fábulas Mirandesas i Cuontas Sacadas de la Bida" Faustino Antão, "Tiempo de Las Cerejas" São Sendin, "Tortulhas - Cuontas Deste Mundo i de l Outro" Alfredo Cameirão; “Ls Lusíadas” de Luís Vaz de Camões; “Mirandés – Stória dua lhéngua i dun pobo” e “Ls Lusíadas” banda zenhada José Ruy; “Calantriç de Nineç” de Rapç de la Rue, “La Mona L Maio” José Francisco João Fernandes; “Tra-los-Montes” de Nuno Neves,; “Bózios, Retombos i Siléncios / Gritos, Ecos e Silêncios” de Adelaide Monteiro;  “L Segredo de Peinha Campana” texto Fracisco Niebro dezeinhos Sara Cangueiro, “La Bouba de La Tenerie” e “Ars Vivendim Ars Mortendi” de Fracisco Niebro; “La Mona l Maio – Cuontas de la Raia i de l Praino | A Mona de Maio – Contos da Raia e do Planalto” de José Francisco João Fernandes, traduçon / tradução Alcides Meirinhos, eilhustraçones / ilustrações Ana Afonso;  “O Lodo e as Estrelas / L Lhodo i Las Streilhas” de Telmo Ferraz, traduçion pa l mirandês Fracisco Niebro; “A Terra de Duas Línguas – II – Antologia de Autores Transmontanos” coordenação: Ernesto Rodrigues e Amadeu Ferreira]

terça-feira, 19 de julho de 2016

... parabéns à Traga-Mundos

«A «APEL» (Associação Portuguesa de Escritores e Livreiros» decidiu, nos últimos anos divulgar o ranking das livrarias portuguesas mais preferidas pelo público, sendo uma forma de estimular as gerências a cativar os seus clientes. A «Traga-Mundos» (foto anexa), de António Silva, de Vila Real, tem-se esforçado em captar clientes em todo o Norte e até feito incursões na vizinha Galiza e no Brasil. A situação de mercado não está fácil e as grandes editoras tentam vender o bom e o «lixo» nos grandes espaços comerciais. Esta livraria de Vila Real em 2014 obteve o 6.º lugar e em 2015 o 4.º. Em 2016 a votação duplicou e todos querem estar, pelo menos no topo 10. Mesmo assim a Traga-Mundos obteve o 5.º lugar, à frente de outras com mais historial como a Leya – na Barata, a Bertrand – no Chiado, a FNAC - no Chiado e a Lello & Irmãos – no Porto. O 1.º lugar tem sido para «A das Artes» - em Sines. Sem livrarias como a Traga-Mundos, em Vila Real, pouco se conheceria dos autores transmontanos regionais e locais, porque há um grande boicote dos grandes editores e livreiros ao que se produz na província. Por isso, dou os meus parabéns à Traga-Mundos pelo prémio e pela sua luta em difundir a nossa cultura transmontana e alto-duriense e a todos os que preferem as nossas livrarias locais, pólos de irradiação da nossa cultura.
Consulta: «Traga-Mundos - livros e vinhos e coisas do Douro - Património Mundial, Rua Miguel Bombarda, 24 - 5000-625 VILA REAL 259103113/935157323, .traga.mundos1@gmail.com , www.traga-mundos.blogspot.com.» Jorge Lage

[http://tempocaminhado.blogspot.pt/2016/07/livraria-traga-mundos-de-vila-real-das.html]

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Clube Traga-Júnior a votos - orçamento participativo


Orçamento Participativo 2016
Junta de Freguesia de Vila Real
projecto n.º 7 - VOTE

CLUBE TRAGA-JÚNIOR
[em parceria com a livraria Traga-Mundos]

Promoção da Cultura Transmontana junto de crianças e jovens.

Público - alvo: Crianças e jovens.

Objetivos:
- Divulgar e promover a Cultura Transmontana nas suas diversas vertentes;
- Fomentar o contacto/convívio com as diversas comunidades transmontanas;
- Promover o convívio intergeracional;
- Intercâmbio cultural com crianças e jovens da Galiza em parceria com a livraria Airas das Letras de Allariz, Galiza.




domingo, 17 de julho de 2016

Vila Real zen...


A livraria Traga-Mundos foi convidada para participar com uma banca de livros, e mais algumas coisas e loisas, no Vila Real Zen, dia 23 de Julho de 2016, sábado, das 09h00 às 23h00, no Parque Corgo, em Vila Real.