domingo, 13 de janeiro de 2019

Identidades que se comem


“Identidades Que Se Comem – Da rusticidade alheireira à intimista Lhéngua Mirandesa” de António Manuel Monteiro

“O que pretendem estas Identidades?, que se comem...
aqui, em Honras a um pequeno compromisso difícil de cumprir, senão impossível, comentar memórias e acercar saudades, levar aos amantes da diferença o corpo do [nosso] Território, estas identidades gastronómicas são tão-só o conjunto de atributos e subtilezas individuais, referências e influências que convertem produtos e simplicidades da Natureza em comeres especiais e diferenciados.”

Disponível na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro em Vila Real... | Traga-Mundos – lhibros i binos, cousas i lhoisas de l Douro an Bila Rial...
[também disponíveis os seguintes títulos do autor: “Crónicas Comestíveis”, “Estórias do Azeite”, “Palavras do Olival”; “Cozinha Transmontana” de Alfredo Saramago, fotografias Inês Gonçalves; “Comidas Conversadas – Memórias de Herança Transmontana”]


Sem comentários:

Publicar um comentário