terça-feira, 23 de maio de 2017

...livreiros locais como agentes da cultura local e regional


Olá!
Hoje há uma grande tendência para silenciar as edições de livros de escritores regionais e o cenário não é mais negro porque as livrarias regionais vão promovendo os que escrevemos e promovemos a nossa cultura local e regional.
Para agravar esta situação muitos dos municípios deixam-se seduzir pelas «Feiras do Livro de Pacote». Eu explico o que tenho visto com os meus olhos em algumas Feiras do Livro dos nossos Municípios: vem um espertalhaço e traz as novidades das grandes editoras nacionais e muito do «lixo nacional livreiro» que já não se consegue vender, sendo algums escoado nos municípios com a sua ajuda.
Livros de autores locais ou da região nem vê-los e alguns Municípios lá põem em lugar envergonhado dois ou três livros de autores regionais.
A nossa cultura local e regional vai sendo silenciada e esquecida mesmo nas nossas terras o que é incompreensível. As pessoas vão comprando o que os meios de comunicação anunciam e a par de alguns bons livros nacionais vem imenso lixo, que passado pouco tempo é vendido ao quilo como produto a reciclar.

Os nossos Municípios deviam olhar para os nossos livreiros locais como agentes da cultura local e regional e que muito a custo vão sobrevivendo. Deviam promovê-los nos actos públicos, chamando-os a estar presentes, e não esquecê-los ou ignorá-los.
Os próprios Ministérios da Educação e da Cultura fazem o jogo dos grandes interesses editoriais e livreiros que ignoram a nossa cultura regional e local.
Para remar contra a maré muito desfavorável alguns dos nossos livreiros trasmontanos e alto durienses, liderados pela Liraria Traga Mundos, de Vila Real, criaram um movimento para repensarem estratégias, entreajudas e cooperação. Para que este movimento tenha bom sucesso é preciso que alguns dos nossos municípios mudem de atitude para com as livrarias locais. As livrarias locais aguentam o ano todo, ano após ano, e não podem ser esquecidas, mas acarinhadas como agentes de cultura permanente, e dar-lhes a melhor atenção na venda de livros escolares, nas Feiras do Livro e promovêlas nos roteiros turísticos locais e regionais.
Um Município não se pode queixar de alguma indiferença do poder central e depois na divulgação da nossa cultura e dos nossos autores comportam-se pior que o poder de Lisboa e Porto.

Assim, está em votação para eleger as melhores livrarias do país, promovido pela APEL (Associação Portuguesa de Editores e Livreiros) e votar na melhor livraria da sua terra ou na que pensa ser a melhor a nível regionalal é uma forma de dar visibilidade ao esforço dos nossos livreiros locais e regionais.
Veja a mensagem abaixo da Livraria Traga-Mundos e perca uns segundos a responder ao questionário simples da votação. Se a sua preferência não estiver expressa na lista escrevo o nome em outras. Mas vote!
Difunda a mensagem pelos seus contactos.
Obrigado por se associar à difusão da nossa cultura local e regional.

Saudações,
Jorge Lage






A livraria Traga-Mundos está a votos a nível nacional em Portugal.



- em 2014 a livraria Traga-Mundos ficou classificada em 6.º lugar, em 2015 em 4.º lugar, em 2016 em 5.º lugar – sempre a melhor classificada no Norte de Portugal;



Para votar:

- entre no questionário;

- escolha o distrito de Vila Real;
- escolha a opção “Traga-Mundos em Vila Real”.

O B R I G A D O !
[partilhe também com os seus amigos]


Sem comentários:

Enviar um comentário